Month: January 2016

Você conhece os passaportes mais poderosos do mundo?

 

Possuir um passaporte de um país que mantém relações diplomáticas com um grande número de países permite ao cidadão viajar com mais facilidade.

O ranking abaixo é baseado em quantos países os portadores de cada passaporte podem visitar sem a necessidade de pedir um visto de entrada.

passports

Já no fim do ranking…

Os países que se encontram no fim do ranking são São Tomé e Príncipe , os Territórios Palestinos , as Ilhas Salomão , Mianmar e o Sudão do Sul. Os titulares de passaportes de cada um desses países podem visitar apenas 28 países sem visto.

O passaporte britânico

O processo para se tornar um cidadão britânico nunca foi tão popular, o número de aplicações aumentou consideravelmente nos últimos anos.

Parte dos requisitos básicos para conseguir a sonhada naturalização é a comprovação do conhecimento da língua Inglesa e da cultura local através dos testes B1 e Life in the UK.

Se você acredita que direito de se tornar um cidadão britânico mas ainda tem dúvidas sobre como realizar a aplicação, entre em contato com a LondonHelp4U.

 

A LondonHelp4U

A LondonHelp4U é uma agência de imigração com 15 anos de experiência em processos de vistos para o Reino Unido. Nossa missão é ajudar pessoas e empresas que procuram infomação e auxílio durante o processo de imigração.

Resposta pública à nova lei que estabelece o salário mínimo de aplicantes para a residência britânica

 

A partir de abril de 2016, os trabalhadores não europeus que residem no Reino Unido há mais de 5 anos terão que comprovar o ganho mínimo de £35 mil por ano.

Esse novo requisito não afeta imigrantes que se encontram em outras rotas que tem como objetivo a residência permanente – como por exemplo, os brasileiros parceiros de cidadãos europeus e britânicos que residem no Reino Unido.

O novo requerimento, publicado em 2012, é parte do plano abrangente que visa reduzir o número de imigantes no Reino Unido. Todos os anos mais de 60 mil imigrantes e seus familiares vêm a trabalho, a meta é reduzir o número para 20 mil.

Essa é a primeira vez que o governo impõe um requisito salarial no direito de se tornar um residente permanente. Até então, o único requerimento era ter trabalhado por no mínimo 5 anos.

Resposta pública

Nos meses que antecedem a validação da nova lei, Theresa May, a secretária de Interior britânico (Home Secretary), está enfrentando duras críticas provenientes de parte da população e associações de investidores que acreditam que o requisito salarial vai afetar parte da economia britânica, especialmente em setores vitais como o de ensino.

teacher-702998_960_720

Como resposta ao público, em 2015 o governo decidiu isentar das novas regras,  em caráter temporário, os  enfermeiros, pois havia uma preocupação generalizada sobre a escassez desses profissionais.

Uma petição pública foi lançada em 12 de janeiro para tentar convencer o Governo a repensar o novo requisito de rendimento mínimo,  a petição já tem mais de 70 mil assinaturas mas precisa de no mínimo 100 mil para que seja discutida em pauta por parlamentares.

Você pode visualizar e assinar a petição seguindo esse link: https://petition.parliament.uk/petitions/118060

LondonHelp4U

A LondonHelp4U é uma agência de imigração com 15 anos de experiência em processos de vistos para o Reino Unido. Nossa missão é ajudar pessoas e empresas que procuram infomação e auxílio durante o processo de imigração.

Conte conosco se você tem dúvidas ou precisa de ajuda em sua aplicação de visto!

As novas restrições impostas às aplicações para o Tier 2 podem prejudicar a economia Britânica

 

Profissionais qualificados que receberam uma oferta de emprego devem obter o visto Tier 2 para trabalhar no Reino Unido. Para aplicar para o visto, o candidato deve ter um contrato de trabalho garantido através de um patrocinador licenciado que emitirá um certificado de patrocínio válido. O candidato também deve atingir uma pontuação suficiente no sistema que aloca pontos  baseados no salário, patrocínio, fluência da língua inglesa e fundo monetário disponível.

O Home Office estabeleceu um limite para as aplicações;  somente 20.700 aplicantes por ano serão aceitos.

Essa e outras medidas buscam conter o número de profissionais qualificados que visam morar no Reino Unido.

De acordo com o escritório de estatísticas nacionais, o número de imigrantes qualificados, provenientes de países não Europeus, chega a  7.5% do número total de imigrantes que chega ao Reino Unido todos os anos.

O governo está disposto a tornar o processo de entrada de imigrantes não Europeus cada vez mais difícil. Depois das eleições gerais, o Primeiro Ministro David Cameron, pediu ao comitê de imigração que apresentasse idéias que reduzissem a imigração de estrangeiros provenientes de países não Europeus. Foi sugerido que o governo aumentasse o salário mínimo que imigrantes qualificados ganhariam no Reino Unido com o visto Tier 2. O valor mínimo agora é de £20,800 para todos os tipos de aplicações do Tier 2.

Centro de Londres
Centro de Londres

Prejuízo

Algumas associações de empresários e  também importante membros da sociedade discordam das políticas restritivas e acreditam que dificultar a entrada de imigrantes qualificados prejudica  a economia Britânica. As leis de imigração, cada vez mais restritivas, diminuem a demanda pelo visto Tier 2, e isso faz pouca diferença nas estatísticas. Porém a redução de mão de obra especializada causa impactos em outros setores.

As restrições impostas aos aplicantes do Tier 2 é vista como uma ameaça ao estatus de Londres como um centro global de talentos de liderança mundial.

Pesquisas confirmam que a maioria das organizações que precisam trazer imigrantes qualificados de fora da União Europeia, estão sendo prejudicadas pela falta  de trabalhadores especializados. O problema que causa danos em grandes empresas, também afeta algumas pequenas empresas que, nos próximos anos, podem até ter que fechar as portas por falta de trabalhadores qualificados.

O comitê de imigração publicará novos relátorios no primeiro trimestre de 2016.

 

LondonHelp4U

A LondonHelp4U é uma agência de imigração com 14 anos de experiência em processos de vistos para o Reino Unido. Nossa missão é ajudar pessoas e empresas que procuram infomação e auxílio durante o processo de imigração.

Se você ou sua empresa estão em dúvida sobre a aplicação para o Tier 2 ou para outros vistos, entre em contato com um de nossos especialistas.

Nossa política de seu visto na mão ou seu dinheiro de volta garante que seu processo estará em boas mãos, e caso não seja bem sucedido, nós devolveremos o seu dinheiro.*

Fique por dentro de todas as notícias sobre vistos para o Reino Unido seguindo-nos em nossas redes sociais.

 

*Sujeito a termos e condições

O que acontece dentro dos centros de detenção de imigração no Reino Unido

 

Todos os anos, dezenas de milhares de aspirantes a imigrantes para o Reino Unido são levados para centros de detenção enquanto as autoridades procuram meios de deportá-los.

Além de pessoas que são barradas nos aeroportos, os centros também recebem imigrantes que foram encontrados em situação irregular e estrangeiros aguardando decisões sobre seus pedidos de asilo ou que aguardam deportação após uma aplicação má sucedida.

Existem 13 centros de remoção de imigrantes no Reino Unido que podem acomodar até 3.000 pessoas no total. Nos últimos anos, mais de 30.000 pessoas passam pelos centros por ano.

Todos os dias há indivíduos de diferentes nacionalidades entrando e saindo. Não existe um limite de tempo de detenção, o governo diz que o período médio é de dois meses, mas há casos de detentos que ficam retidos por meses ou anos.

Tanto o detento quanto o país de retorno devem aceitar a deportação, há casos de estrangeiros que não possuem documentos necessários para voltar, como até mesmo o próprio passaporte. Problemas assim atrasam o processo de retorno e isso nem sempre é visto como algo negativo. Infelizmente, para alguns estrangeiros, a vida no centro de detençao ainda parece melhor do que a idéia de voltar pra casa.

Centro de Harmondsworth. Fonte: The Sun newspaper
Centro de Harmondsworth. Fonte: The Sun newspaper

A vida no centro

O cotidiano dentro dos centros varia.  Há atividades durante o dia, os detentos podem assistir televisão, estudar até usar a internet. A entrada de repórteres não é permitida, mas os aspirantes a imigrantes podem se comunicar com o mundo de fora dos centros pelo telefone.

Os recém-detidos têm que dividir quartos por um tempo indeterminado, os quartos chegam a acomodar 6 pessoas mas algumas vezes os estrangeiros conseguem acomodação individual.

A maioria dos detentos reclamam do tratamento dado por oficiais. Para alguns, existe um sentimento de prisão dentro dos centros. E a atitude de poucos piora a sensação de aprisionamento, há relatos de detentos que cospem no chão e usam os chuveiros como privadas. Há também relatos de que os médicos não levam a sério os problemas de saúde apresentados pelos detentos.

 

Um dos quartos do centro de Yarl's Wood. Fonte: The Telegraph newspaper
Um dos quartos do centro de Yarl’s Wood. Fonte: The Telegraph newspaper

 

Trabalho

Os cidadãos detentos podem trabalhar dentro dos centros, eles ganham pra servir comida ou para limparem os quartos. O salário não é alto, é na verdade menor do que o salário mínino por hora, mas pode ser gasto na loja do centro.

O Home Office, nome dado ao governo Britânico, diz que os centros de detenção/remoção são essenciais e efetivos no controle de imigração. O governo também diz que considera a saúde dos detentos extremamente importante e garante que todos são tratados com dignidade e respeito.

 

 

Se você se interessou e gostaria de conhecer mais casos de detentos, a BBC lançou um documentário chamado The Detained (O Detento), que está disponível online: http://www.bbc.co.uk/programmes/p01yqp0b

A LondonHelp4U é uma agência de imigração com 14 anos de experiência em processos de vistos para o Reino Unido. Nossa missão é ajudar pessoas e empresas que procuram informação e auxílio durante o processo de imigração.

 

Esse artigo foi escrito baseado em notícias da BBC.