Category: Blog

Minuto Legal: Estudo aponta que o pessímismo sobre Brexit aumentou no Reino Unido

Estudo aponta que o pessímismo sobre Brexit aumentou no Reino Unido

A pesquisa mostra que os níveis de pessímismo em relação ao Brexit aumentaram entre os habitantes da Escócia e em toda a Grã-Bretanha. O estudo liderado pelo NatCen Social Research relata que 69% dos escoceses acreditam que o Brexit está sendo mal manuseada pela primeira-ministra Theresa May, contra 57% no ano passado. Em todo o Reino Unido, o aumento subiu para 61% dos entrevistados. Este foi um grande avanço em relação aos 41% registrados em fevereiro do ano passado. A primeira-ministra Theresa May está tentando negociar um novo relacionamento comercial com a UE, mas sua autoridade é geralmente vista diminuída com o Partido Conservador e a renúncia de aliados-chave.

Brexit poderia levar a “uma década perdida de crescimento” no país

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, disse que o Brexit numa negociação díficil poderia custar ao país meio milhão de empregos e £ 50 bilhões em investimentos perdidos até 2030. Khan disse que os resultados foram provenientes de pesquisas dos analistas Cambridge Econometrics. Ele pediu ao governo que altere sua estratégia em conversações com Bruxelas. “Esta nova análise mostra por que o governo agora deve mudar sua abordagem e negociar um acordo que nos permita permanecer no mercado único”, disse Khan. A análise da Cambridge Econometrics prevê que um Brexit difícil poderia atingir até 87 mil empregos somente em Londres, com a produção econômica da capital 2% menor em 2030 do que seria esperado sob um Brexit suave.

A libra atinge o nível mais alto desde votação do Brexit

A libra esterlina saltou o nível mais alto contra o dólar americano desde o voto do Brexit. O aumento de quase US $ 1,37 ocorreu depois que Bloomberg informou que os ministros das finanças espanholas e holandesas concordaram em buscar um acordo do Brexit que mantesse o Reino Unido próximo da UE. A libra subiu mais de 1% para US $ 1,3691, seu nível mais alto desde 24 de junho de 2016.

Donald Trump critica imigrantes dos países do El Salvador e Haiti

Segundo o jornal El Pais, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump não quer pessoas de “países de merda” nos Estados Unidos. A declaração foi feita pelo presidente nesta semana, durante uma reunião para renegociar o programa que concede residência legal a imigrantes do Haiti, El Salvador e países africanos, de acordo com fontes citadas pelo The Washington Post. No inicio da semana, o republicano retirou essas proteções para 200.000 salvadorenhos; em novembro, fez o mesmo com 59.000 haitianos.

Estudantes estrangeiros movimentam à economia britânica

Estudantes internacionais acrescentam £20 bilhões de libras para a economia do Reino Unido, segundo um relatório do Higher Education Policy Institute. A análise, dilvulgada pela BBC, relata que as taxas de matrícula e os gastos pessoais se tornaram um fator importante às economias locais. Apenas Londres gera 4,6 mil milhões de libras.

O diretor do Higher Education Policy Institute, Nick Hillman, afirma que o relatório expressa a evidência de que os estudantes estrangeiros no Reino Unido são um benefício significativo para economia britânica. Os estudantes, originalmente vindos de fora da União Européia, valem £ 102,000 para o Reino Unido. Há cerca de 230 mil alunos que chegam a cada ano para cursos universitários no Reino Unido,  a maioria deles pós-graduados, de acordo com estudo.

“Menos estudantes internacionais significariam muito menos empregos em todas as áreas do Reino Unido, porque os alunos internacionais têm gastos com as taxas de matrícula nas universidades e principalmente em gastos pessoais: alimentação, lojas de bicicletas, empresas de táxi, casas noturnas e livrarias,” afirma Hillman.

Londres tem a maior participação de estudantes estrangeiros, porém o estudo mostra que, em termos relativos, as cidades menores, com mais de uma universidade, podem ter um impacto maior. O Higher Education Policy Institute, que realizou o estudo com a empresa de educação Kaplan, argumenta que Reino Unido deve ter uma abordagem mais positiva para estudantes do exterior e separá-los do debate mais amplo sobre imigração.

Visto de Turista / Estudante

LondonHelp4U pode te ajudar no processo de visto para estudante!

Short-term – Para aqueles que pretendem estudar no Reino Unido em cursos com duração de até 11 meses podem aplicar para o visto de curta duração. Para isto é preciso ter uma oferta para fazer um curso numa instituição de ensino reconhecida pela Agência de Imigração do Reino Unido (UK Border Agency) e ter recursos financeiros para se manter durante todo o período do curso. Não é possível estender este visto, que tem como duração de 1 a 11 meses.

Tier 4 – Para estudar no Reino Unido em cursos superiores (graduação, mestrado etc) ou para cursos com duração superior a 11 meses, você deve aplicar para o visto Tier 4. Para isto é preciso ter uma oferta para fazer um curso numa instituição de ensino reconhecida pela Agência de Imigração do Reino Unido (UK Border Agency), ser apto a falar, ler, escrever e entender a língua inglesa, com certificado reconhecido pelo Home Office no nível intermediário, possuir recursos suficiente para se manter durante o curso e ser de um país que não pertence a Área Econômica Europeia (EEA) ou da Suíça.

Foto: divulgação

O que ainda está em discussão sobre o Reino Unido e a Irlanda com Brexit

photo: Andrew Wilson

Historicamente, os cidadãos irlandeses têm um estatuto especial na lei do Reino Unido, o Common Travel Area (CTA), que é separado dos direitos que eles têm como cidadãos da União Européia. CTA permite que os habitantes dos países viajem livremente, sem estar sujeito a controles de passaporte. No entanto, a expectativa dos especialistas é que o Reino Unido negocie uma nova legislação específica para os irlandeses após o Brexit.

A professora Dagmar Schiek, Jean Monnet, presidente da legislação e política da UE na Queens University de Belfast, afirma que existe uma certa amplitude dentro das regras da UE para permitir um acordo bilateral entre a República da Irlanda e o Reino Unido. No entanto, ela enfatiza que exigiria que os restantes membros da UE concordassem com isso: “De acordo com a legislação da UE, qualquer relação futura entre a República da Irlanda e o Reino Unido ficaria sujeita a um acordo não apenas com a República da Irlanda, mas com o todo da UE.”

O futuro do Common Travel Area (CTA) após Brexit ainda é incerto. Os governos do Reino Unido e da Irlanda demonstram manter as  mesmas diretrizes de negociação atual afirmando que a União respeitará esses acordos bilaterais. No entanto, exista um acordo político generalizado sobre a não-existência de uma “fronteira dura” com a Irlanda, essa ausência de controles na fronteira irlandesa pós-Brexit tornaria-a única entre as fronteiras da UE.

O professor Bernard Ryan da Universidade de Leicester argumenta que será necessária uma nova legislação para proteger irlandeses no Reino Unido pós-Brexit. Em síntese, a República da Irlanda não é considerada um “país estrangeiro” para efeitos das leis do Reino Unido, e os cidadãos irlandeses não são considerados “estrangeiros”. Além disso, os irlandeses são tratados como se tivessem permissão de imigração permanente para residirem no Reino Unido a partir da data em que assumem a “residência comum” aqui.

Este atual status especial, Common Travel Area (CTA), afeta os direitos dos cidadãos irlandeses em várias áreas, incluindo elegibilidade para a cidadania britânica, para votar, candidatar-se à eleição e para benefícios sociais. Acredita-se que, segundo especialistas, os cidadãos irlandeses têm mais direitos do que outros cidadãos da UE residentes no Reino Unido.

Informações: http://www.parliament.uk/commons-library

Minuto Legal: A União Européia prevê que o Brexit termine até 2020

Confira as principais notícias de imigração no Minuto Legal da Londonhelp4U.

Bancos do Reino Unido vão bloquear contas de imigrantes ilegais

A partir deste mês, os bancos começarão a verificar se os clientes são imigrantes ilegais, em uma mudança estabelecida na Lei de Imigração de 2016, segundo o jornal inglês “Independent.” Cerca de 70 milhões de contas serão revisadas quatro vezes por ano. Qualquer pessoa que se encontre imigrante ilegal pode ter conta bancária congelada. Funcionários esperam identificar 6.000 clientes com vistos inválidos.

A União Européia prevê que o Brexit termine em 2020

De acordo com o BBC, o “período de transição” do Reino Unido deve terminar até 31 de dezembro de 2020. Grupos empresariais pediram um período de transição mais longo, uma vez que o Reino Unido sai em março de 2019. Os termos da transição, que o Reino Unido chama de fase de implementação, ainda não foram negociados entre os dois lados.

A UE reafirma que o Reino Unido terá que continuar a seguir suas regras e não pode adotar uma abordagem “à la carte”. Essas negociações inicialmente se concentrarão em acordar os termos precisos da fase de transição, antes de passar para o relacionamento futuro do Reino Unido e do futuro da UE

Theresa May insiste que os estudantes sejam contados nos números da imigração

A primeira-ministra do Reino Unido reitera que os estudantes estejam incluídos nas estatísticas da imigração da Grã-Bretanha, apesar de temer que o governo seja derrotado na parlamento sobre o assunto. Theresa May está sendo aconselhada por ministros do gabinete, incluindo Amber Rudd, secretário de casa, e Philip Hammond, chanceler, para abandonar esta insistência de que os alunos continuem a ser contados no objetivo de reduzir os números da imigração.

Os aliados da Theresa May estão preocupados que o governo tenha mais uma derrota sobre o assunto quando os deputados discutirem o projeto de lei de imigração da Brexit nas próximas semanas, no entanto, a primeira-ministra não está recuando.

A imigração líquida cai em mais de 100 mil após o voto de Brexit

Estima-se que a imigração líquida tenha caído quase um terço para 230 mil no ano passado, de acordo com dados oficiais. É a primeira vez que um ano completo de dados está disponível desde que o Reino Unido votou em deixar a UE em junho de 2015. A migração líquida é a diferença entre as pessoas que chegam ao Reino Unido por mais de um ano e o número de pessoas que deixaram o Reino Unido por um ano ou mais. Neste período de 12 meses, 572 mil pessoas chegaram ao Reino Unido e 342 mil emigraram, de acordo com o relatório do Office for National Statistics.

foto: google imagens

Os passaportes mais poderosos do mundo: europeus no top 10

A empresa de consultoria Henley & Partners realiza anualmente um ranking para determinar os passaportes mais poderosos do mundo.

O estudo leva em consideração o passaporte que permite viajar para o maior número de países sem a necessidade de um visto. Na edição de 2016, quem levou a melhor foi a Alemanha, que fechou tratado com três novas nações e passou para a primeira posição.

O passaporte alemão dá direito a entrada em 177 países sem visto de entrada. Em segundo lugar vem os suecos, que tem livre acesso a 176 nações. Na terceira posição ficam empatados Finlândia, França, Itália, Espanha e Reino Unido. Os cidadãos desses países podem entrar em 175 países sem burocracias.

O Brasil aparece na 21 posição, empatado com Bulgária e România e com permissão de entrada sem visto. em 153 países.

Na outra ponta da lista, com os passaportes que abrem menos portas, estão Afeganistão (acesso a 25 países), Paquistão (29), Iraque (30), Somália (31) e Síria (32). O ranking anual da Henley é feito em parceria com a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) desde 2006.

Confira o top ten:

1             Alemanha

2             Suécia

3             Finlândia, França, Itália, Espanha, Reino Unido

4             Bélgica, Dinamarca, Holanda, Estados Unidos

5             Áustria, Japão, Cingapura

6             Canadá, Irlanda, Luxemburgo, Noruega, Portugal, Coreia do Sul, Suíça

7             Grécia, Nova Zelândia

8             Austrália

9             Malta

10           República Tcheca, Hungria, Islândia

A LondonHelp4U é uma empresa de imigração com 15 anos de experiência em processos de vistos para o Reino Unido, bem como cidadanias britânica, portuguesa e italiana. Nossa missão é ajudar os imigrantes brasileiros a terem  acesso à Europa e tornar seus processos burocráticos mais fáceis e rápidos.  Quer falar com a gente? Tire suas dúvidas e marque uma consulta. Nos contate por telefone: HelpLineUK 24h + 44 75 85668158 ou +44 0207 636 8500 ou por e-mail info@londonhelp4u.co.uk . Para mais dicas e informações sobre imigração, acompanhe nossas redes sociais e nosso website.