Category: Notícias sobre imigração

ukborders

Minuto legal: queda na imigração líquida no Reino Unido é destaque

Confira um resumos das principais notícias de imigração da semana. Tem queda da imigração líquida nos Reino Unido, escassez de mão de obra em território britânico e o plano de deportação de imigrantes ilegais de Trump nos EUA.

Número da imigração líquida no Reino Unido cai pela primeira vez nos últimos anos
A imigração líquida para o Reino Unido caiu para 273 mil pessoas no último ano, até setembro de 2016. Os números registram a diferença entre o número de pessoas que vêm para viver no Reino Unido e aqueles que saem. A imigração foi estimada em 596.000 pessoas – compreendendo 268.000 cidadãos da UE, 257.000 cidadãos não comunitários e 71.000 cidadãos britânicos. Bulgária e Romênica foram os países que mais enviaram imigrantes ao país. Já entre os que deixaram o Reino Unido, estão cerca de 323.000 pessoas, um aumento de 26.000 pessoas com relação ao ano anterior. A meta do governo britânico é que a imigração líquida seja inferior a 100 mil pessoas.

Turistas britânicos poderão ter que pagar para visitar a Europa depois do Brexit
Os turistas britânicos podem ter que pagar para visitar a Europa depois do Brexit disse o ministro da Imigração Robert Goodwill. O ministro declarou que a União Europeia está considerando adotar uma versão do Sistema Eletrônico de Autorização de Viagem (ESTA), usado pelos Estados Unidos. Atualmente britânicos tem que pagar £ 11 para poder visitar os EUA por 90 dias sem a necessidade de um visto. A ideia da Europa seria de  usar um sistema semelhante.

Reino Unido registra escassez de mão de obra com queda no número de trabalhadores europeus
Empresas do Reino Unido estão com dificuldades para preencher postos de trabalho em lojas, fábricas e hospitais por conta de uma baixa no número de imigrantes da União Europeia que procuram trabalho no UK após o Brexit. Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada pelo Chartered Institute of Personnel and Development e do Adecco Group. Os proprietários das empresas estão relatando escassez de mão-de-obra e habilidades em toda a cadeia de suprimento de alimentos, bem como em setores como manufatura, saúde e hospitalidade.

Plano de Trump amplia deportação de imigrantes ilegais
O Departamento de Segurança Interna dos EUA anunciou um novo plano para aumentar o controle sobre os imigrantes ilegais que vivem no país. Em documentos divulgados na última terça (21), o governo americano deu orientações para ampliar os critérios de definição dos imigrantes que podem ser deportados ou presos caso vivam sem documentos no país. Agora qualquer pessoa sem documentos que não puder provar que vive nos Estados Unidos continuamente há mais de dois anos estará sujeito à deportação imediata. A medida propõe uma grande mudança com relação a política anterior adotada por Obama.

México não vai aceitar planos de imigração de Trump
O México indicou que não aceitará as novas propostas de imigração do governo Trump, dizendo que irá para as Nações Unidas defender os direitos dos imigrantes nos EUA. “Não vamos aceitá-lo porque não temos que aceitá-lo. Quero deixar claro, de forma enfática, que o governo do México e o povo mexicano não precisam aceitar medidas que um governo quer impor unilateralmente a outro”, declarou Luis Videgaray, ministro das Relações Exteriores do México. A declaração é uma resposta ao plano de controle dos imigrantes ilegais, que pode levar deportações em massa para o México, não apenas de mexicanos, mas também de imigrantes de outros países latino-americanos.

minutolegal

Minuto legal: Tony Blair contra Brexit e “Dia sem Imigrantes” nos EUA

Confira as principais notícias de imigração da semana:

Ex-primeiro ministro Tony Blair diz que ainda é tempo dos britânicos reverterem o Brexit

Tony Blair disse que é sua “missão” persuadir os britânicos a “se levantarem” e mudarem suas mentes sobre o Brexit. Em discurso em Londres na última quinta (16), Tony afirmou que as pessoas votaram no referendo de junho “sem conhecimento dos verdadeiros termos de Brexit”. “Tudo que eu estou dizendo é uma coisa muito, muito simples, que este é o começo do debate – que se uma parte significativa desse 52% (que votaram a favor do Brexit) mostrarem a mudança real de suas ideias, nós devemos ter a oportunidade de reconsiderar esta decisão. Se faremos isso através de outro referendo ou outro método, isso é outra questão”, declarou Blair, que foi primeiro-ministro do Reino Unido entre 1997 e 2007.

Reino Unido nega asilo para crianças refugiadas
O governo do Reino Unido declarou que só tem recursos para receber 450 crianças refugiadas. Esperava-se que cerca de 3.000 crianças fossem autorizadas a vir para o Reino Unido segunda a Lei de Imigração. As crianças autorizadas a vir foram aquelas que tinham alguma conexão familiar no Reino Unido. Comissários dos direitos das crianças das quatro nações do UK  expressaram “profunda preocupação” com a decisão do governo. O arcebispo de Canterbury disse que a decisão foi “lamentável”.

Imigrantes nos EUA não vão ao trabalho para mostrar sua importância para a economia
Nessa última quinta (16) imigrantes de várias regiões dos EUA organizaram o “Dia Sem Imigrantes”. Os imigrantes não foram trabalhar para mostrar seu impacto na economia. Alguns restaurantes mostraram solidariedade e  fecharam suas portas. “Por meio da não colaboração de nosso trabalho e por deixarmos de consumir, estamos apenas fazendo uma declaração realmente audaciosa de que este país é sustentado por nós”, declarou Maria Fernanda Cabello, uma ativista de imigração.

Brasil aprova mais de 900 pedidos de permanência de imigrantes africanos
O Conselho Nacional de Imigração (CNIg) aprovou os pedidos de permanência no Brasil de 972 ganeses e senegaleses que vivem nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.
Após o registro junto à Polícia Federal, eles terão direito a permanecer no País por tempo indeterminado. “Nós recebemos um pedido da Defensoria da União que enquadra esses imigrantes nos casos considerados omissos ou especiais e permite que se conceda a autorização de permanência a partir de um viés humanitário”, explica o coordenador do CNIg no Ministério do Trabalho, Luiz Alberto Matos dos Santos.

Número de imigrantes que tentam cruzar a fronteria dos EUA para o Canadá cresce
O número de imigrantes ilegais que cruzam a fronteira dos Estados Unidos para perdir asilo no Canadá cresce a cada dia. De acordo com a BBC News,  os ganenses Seidu Mohammed e Razak Iyal seriam deportados de volta para Gana, na África, após terem seus status de refugiado negado nos Estados Unidos.  Os dois tiveram seus dedos amputados após terem as mãos congeladas durante a travessia da fronteira, por conta do inverno rigoroso da região.  Segundo a BBC, um número recorde de pessoas tem tentado fazer a travessia nas últimas semanas, após a entrada de Trump no poder.

passbrasil

Minuto legal: confira as novidades de imigração da semana

A equipe da LondonHelp4U preparou um resumo das principais notícias de imigração da semana para que você se mantenha informado dos últimos acontecimentos. Tem Brexit, Trump e independência escocesa. Confira.

Parlamento rejeita projeto de lei para proteger cidadãos europeus no Reino Unido.
Um projeto de lei que pretendia conceder o visto de Residência Permanente para todos os cidadãos europeus que vivem no Reino Unido após o Brexit foi rejeitado pelo parlamento britânico. A votação, realizada na última quarta (8), teve 332 votos contra e 290 a favor do projeto. A ministra Amber Rudd declarou que o status dos cidadãos da União Europeia só pode mudar depois que o parlamento aprovar um novo sistema de imigração.

Exigências de Theresa May dificultam negociações do Brexit com União Europeia
De acordo com a agência de notícia Bloomberg, as exigências iniciais de Theresa May, primeira-ministra britânica, não vão de encontro com o que espera a União Europeia.  Ela pretende sair do mercado comum de bens e serviços, reprimir a imigração, mas ao mesmo tempo quer um relacionamento comercial ambicioso com a UE e também liberdade para negociar acordos com outros países.

Metade da população da Escócia quer independência do Reino Unido diz pesquisa
Uma pesquisa do jornal “The Herald” revelou que 49% da povo escocês é a favor da independência do Reino Unido por conta do Brexit. A mesma pesquisa realizada em 2014, apresentava que 45% gostariam da independência. A primeiro-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, alertou que o tempo está se esgotando para que o Reino Unido e o país cheguem a um acordo que possa impedir um segundo referendo sobre a independência escocesa.

EUA revalidam cerca de 60 mil vistos revogados por decreto de Trump
Um decreto do presidente norte-americano Donald Trump havia suspendido 60 mil vistos já emitidos pelos Estados Unidos. Os vistos eram de cidadãos de sete países mulçumanos que sofreram bloqueio através do decreto do presidente. No último sábado (4), um juiz reverteu a decisão. “Revertemos a revogação provisória de vistos. Os indivíduos que tiverem vistos que não foram fisicamente cancelados já podem viajar”, disse um porta-voz do Departamento de Estado. O presidente Trump não se conteve e chamou a decisão do juiz de “ridícula” no Twitter.

Alemanha acelera expulsão de imigrantes com pedidos de asilo negado
A Alemanha declarou na última quinta (9) que vai acelerar a expulsão de pessoas cujo pedido de asilo tenha sido negado. Ângela Merkel, chanceler alemã, explicou que os candidatos a asilo cujo pedido seja recusado pela Justiça deverão abandonar o país. “Isso nos dá a possibilidade de receber as pessoas em situação de emergência”. Desde 2015, a Alemanha acolheu mais de 1 milhão de imigrantes.

Brexit_Flags_White_Paper

White Paper: governo divulga informações sobre imigração no pós-Brexit

O governo britânico divulgou o White Paper, documento oficial com informações sobre o plano de saída do Reino Unido da União Europeia.

No que diz respeito aos imigrantes, o governo deixa claro que seu objetivo é retomar o controle das fronteiras e saber quantos e quem são os cidadãos europeus no país.

“Continuaremos a ser um país aberto e tolerante, que reconhece a valiosa contribuição dos imigrantes para a nossa sociedade e e que acolhe os que têm as competências e os conhecimentos necessários para melhorar ainda mais a nossa nação. Mas no futuro devemos garantir que podemos controlar o número de pessoas que vêm para o Reino Unido da UE.”, diz um trecho do documento.

Fim da livre-circulação
“O público deve ter confiança em nossa capacidade de controlar a imigração. É simplesmente impossível controlar a imigração em geral quando existe uma livre circulação ilimitada de pessoas para o Reino Unido a partir da UE”, consta no documento.

O governo afirma que vai desenvolver um sistema de imigração que permita controlar o o número de pessoas que vem da Europa, desse modo, a livre circulação de cidadãos europeus deixará de existir e a imigração dos mesmos para o país ficará sujeita a legislação do Reino Unido.

O documento aponta para os níveis recordes de imigração registrados no Reino Unido nos últimos anos e a preocupação com os serviços públicos, como escolas e habilitação, por conta do aumento do número de pessoas vivendo no país.

O White Paper  diz que os imigrantes qualificados serão bem-vindos. “Incentivaremos os mais brilhantes e os melhores a vir para este país, como parte de um futuro estável e próspero com a UE e os nossos parceiros europeus”.

Direitos dos imigrantes que já estão no país
O documento afirma que entre as prioridades do início do Brexit, está a definição dos direitos dos imigrantes europeus que já vivem no país, cerca 2.8 milhões de pessoas. “Queremos garantir o status dos cidadãos da UE que já vivem no Reino Unido e dos cidadãos britânicos nos outros Estados-Membros, o mais rapidamente possível”.

Porém, nenhuma informação mais específica foi revelada ainda. “O Reino Unido continua pronto a dar às pessoas a certeza que elas querem e chegar a um acordo recíproco com os nossos parceiros europeus na primeira oportunidade. É a coisa certa e justa a fazer”, diz o White Paper.

LONDON, ENGLAND - MAY 28:  Border Force check the passports of passengers arriving at Gatwick Airport on May 28, 2014 in London, England. Border Force is the law enforcement command within the Home Office responsible for the security of the UK border by enforcing immigration and customs controls on people and goods entering the UK. Border Force officers work at 140 sea and airports across the UK and overseas.  (Photo by Oli Scarff/Getty Images)

Novas regras imigratórias para cidadãos europeus no Reino Unido

O governo britânico lançou em novembro do ano passado novos regulamentos de imigração para os cidadãos da Área Econômica Europeia, referentes aos direitos de entrada e residência no país dos mesmos. As novas alterações entraram em vigor no último dia 1 de Fevereiro de 2017.

Não existem grandes alterações para os cidadãos europeus classificados como pessoas qualificadas.. As alterações principais dizem respeito a pedidos apresentados por membros de família dependentes de cidadãos europeus. Entre as principais mudanças estão:

– Uma nova definição de parcerias civis, casamentos e parcerias duradouras de conveniência

– “Parcerias duradouras de conveniência” foram definidas para incluir uma parceria durável que foi criada para contornar os requisitos de imigração ou permitir que um indivíduo se beneficie dos regulamentos da Área Comum Europeia.

– Introduzir um novo requisito de língua inglesa do nível A2 para dependentes de cidadãos britânicos que já estejam há 2 anos e meio no Reino Unido e queiram seguir por mais 2 anos e meio.

– Extinção do direito de recurso para membros de família estendidos, como primos, tios  e sobrinhos

– Um novo processo de verificação do  Home Office para verificar se um cidadão da Área Econômica Euopeia ou membro da família realmente se qualifica para residência.

As novas mudanças vem de encontro com a política de restrição imigratória do Reino Unido e com a aproximação do Brexit.  Se você possui cidadania europeia ou vive como dependente de um, confira o que você pode fazer para se prevenir de futuros problemas com a imigração:

– Certificado de Residência: Portadores de passaporte europeu podem tirar esse certificado assim que mudarem para o Reino Unido.

– Residência Permante: Cidadãos com passaporte europeu ou que viveram no Reino Unido por 5 anos como membro da família de um cidadão da Área Econômica Europeia (EEA) podem solicitar um cartão de residência permanente.

– Cidadania Britânica: todos aqueles que tiverem a Residência Permanente, após 1 ano com o documento, podem solicitar a naturalização britânica

Se você  ficou com dúvidas quanto aos seus direitos ou da sua família após essas modificações, entre em contato com a LondonHelp4U. Nossos profissionais terão prazer em ajudá-lo.