Tag: governo britânico

Governo britânico extingue visto para 27 áreas profissionais

O Governo britânico está empenhado em reduzir a imigração para níveis considerados por ele como sustentáveis. Em um momento de alto desemprego, o governo acredita ser certo os empregadores no país procurarem primeiro mão-de-obra no mercado local. Ao mesmo tempo, entende que os trabalhadores qualificados do exterior podem desempenhar apoio importante na economia britânica.

Diante disso, o governo encomendou ao Comitê Consultivo para Migração (MAC) um estudo sobre o limite anual de imigrantes sob o visto do Tier 2 para o anuênio 2012/13. O estudo recebeu informações de mais de 130 organizações de  todo o Reino Unido. Após cuidadosa consideração do relatório, o governo decidiu que o limite de Tier 2 (Geral) permanecerá em seu atual nível de 20.700 aceitações de vistos para 2012/13 e 2013/14.

No entanto, esta mudança resultou em 27 ocupações que não serão mais elegíveis ao visto sob o Tier 2. Entre eles estão técnicos de TI e gestores de segurança, ou seja, esses postos de trabalhos não serão mais abertos aos trabalhadores vindos de países não pertencentes à Comunidade Européia. Por outro lado, ocupações altamente qualificadas, como engenheiro, professor, arquiteto, ou químicos ainda estarão disponíveis. Mas o governo britânico fez uma alteração que também atinge estes trabalhadores: elevou o nível de competência mínima para um trabalho qualificado de nível 4 para nível 6, ou seja, não serão mais aceitos apenas diplomas de Segunda Grau. O candidato deverá apresentar diploma universitário.

 Também as regras para posições com salários altos – em torno de  £ 70.000 – e trabalhos que requerem doutorado serão flexibilizadas. Isso vai reduzir a burocracia, uma vez que as empresas não precisarão mais anunciar vagas através JobCentrePlus, onde por sinal, não são susceptíveis em obter candidatos a esses tipos de postos. Porém, ainda terão que anunciar a vaga, mas de forma mais ampla e seguindo o Código de Prática do Reino Unido. Para os candidatos em potencial é necessário que falem inglês em um nível intermediário e a proposta salarial do emprego deve estar em acordância aos requisitos específicos do cargo no país.  

Essas novas regras já foram aprovadas e já fazem parte da lei imigratória desde o dia 6 de abril. A data foi, inclusive, considerada como o início do calendário anual do Home Office para aplicações dos vistos para o Tier 2. Porém, elas entrarão efetivamente e definitivamente em vigor a partir do dia 14 de junho, pois o Home Office entende que as empresas precisam de um tempo hábil para se adequarem, assim também como os imigrantes candidatos às vagas.

 Ocupações extintas para vistos

 Gestores de clientes
Gerentes de escritório
Gestores de segurança
Gestores da saúde
Gerentes de asilos e creche
Gerentes de produção animal, silvicultura e pesca
Gerentes da área de eventos e exposições
Gerentes de imobiliárias
Gestores de empresas de reciclagem
Tecnólogos e técnicos de arquitetura urbanismo

Inspetores de construção
Técnicos de Operações de TI
Paramédicos
Técnicos da área médica e odontológica
Oficiais do navio

Estimadores e avaliadores
Técnicos financeiros e contábeis
Compradores e diretores de compras
Profissionais de marketing e associados
Oficiais de proteção ambiental e conservação
Profissionais de nível intermédio de serviços públicos
Consultores e especialistas em orientação profissional
Examinadores legais
Higienistas ocupacionais e escritórios de segurança (saúde e segurança)

 Ocupações de alta qualificação em escassez no Reino Unido

 Engenheiros de planejamento e controle de qualidade
Profissionais de software
Médicos
Psicólogos
Farmacêuticos / farmacologistas
Dentista
Veterinários
Profissionais docentes universitários
Professores do ensino secundário
Professores do ensino básico e de educação infantil
Profissionais da educação para portadores de necessidades especiais
Pesquisadores científicos
Pesquisadores das ciências sociais
Advogados, juízes e médicos legistas
Contabilistas
Assistentes sociais
Oficiais de liberdade condicional
Bibliotecários
Arquivistas e curadores
Parteiras
Enfermeiros
Radiologistas
Pedicuro
Fisioterapeutas
Fonoaudiólogos
Terapeutas ocupacionais
Jornalistas, editores de jornais e periódicos
Pilotos de aeronaves e engenheiros de vôo
Especialistas em Tributação

Vale lembrar que a LondonHelp4U tem uma equipe de consultores em imigração devidamente registrados e reconhecidos pelo governo britânico. Além disso, somos agente EnglishUK autorizado, por essa razão tivemos 100% de sucesso em nossos pedidos de visto em 2011. Não confie seu sonho em mãos despreparadas, faça-nos uma visita e garanta seu futuro!

 

Ampliado o apoio às vítimas de violência doméstica

A ajuda para os imigrantes forçados a fugir de suas relações conjugais como resultado da violência doméstica passou a ser permanente a partir de dia 1 de abril. Cônjuges e parceiros elegíveis terão um período limitado de licença excepcional pela Agência de Fronteiras do Reino Unido. Isto lhe proporcionará acesso a fundos públicos e serviços de apoio, permitindo às vítimas a abandonar o relacionamento abusivo e aplicar para a residência no Reino Unido.

O governo britânico considera a violência doméstica um crime terrível que afeta pessoas de todas as idades e origens. “Ninguém deve ser forçado a ficar em um relacionamento abusivo e as vítimas de violência merecem apoio”, disse o ministro da imigração, Damian Green. O novo sistema irá ajudar cônjuges estrangeiros de parceiros britânicos. O governo estima que o sistema beneficiará 500 pessoas a fugir de relações abusivas em todo o Reino Unido.

O anúncio segue um programa piloto bem sucedido, que já chegou a ajudar 1.522 pessoas, incluindo 738 mulheres com filhos, a escapar de situações violentas e perigosas desde novembro de 2009. Em muitos casos, as vítimas tinham medo de procurar ajuda, pois não tinham acesso ao apoio financeiro e temiam a remoção do Reino Unido se o relacionamento acabasse.

Quem pode se beneficiar

Para conseguir a permissão para se estabelecer no Reino Unido como vítima de violência doméstica a pessoa deve ter um relacionamento estável com um cidadão britânico ou uma cidadão estabelecido no país.  Porém, para isso a pessoa deve provar que:

* foi lhe garantida a permissão para entrar ou permanecer no Reino Unido como marido, esposa, parceiro civil ou parceiro do mesmo sexo de um cidadão britânico ou uma pessoa com residência no país (mesmo que a permissão não é mais válida);
* o relacionamento era existente e verdadeiro (não um ‘casamento de conveniência`, por exemplo) quando foi recebida a última permissão de permanência;
* a pessoa foi vítima de violência doméstica, e o fato foi o causador do rompimento da relação.

 O QUE É VIOLÊNCIA DOMÉSTICA?

A violência doméstica é qualquer comportamento ameaçador, violento ou mesmo de abuso entre adultos que estão ou estiveram em um relacionamento, ou entre membros da família.  Tal fato pode afetar qualquer pessoa, independentemente do seu sexo ou sexualidade. A violência pode ser psicológica, física, sexual ou emocional. Pode incluir ‘violência baseada na honra’, mutilação genital feminina e casamentos forçados.

 O pedido de ajuda deve ser apresentado tão logo seja possível. Não é preciso esperar até ao termo da licença atual de permanência no Reino Unido. É melhor aplicar o mais cedo possível para que o governo possa lidar com a mais recente evidência da violência.

Muitas pessoas podem estar se perguntando se podem candidatar-se mesmo que a licença de permanencia tenha terminado. Segundo a Agência de Fronteiras, a ajuda pode sim ser concedida a alguém que se submete à sua aplicação mesmo estando “fora de tempo “, ou seja, após a data em que sua licença atual para permanecer expirar. No entanto, qualquer decisão de recusa de aplicação fora do tempo não terá um direito de recurso, como estabelecem os termos do Artigo 82 da Lei de Imigração, Nacionalidade e Asilo de 2002.

O cônjuge vítima da violência doméstica precisa produzir provas documentais para satisfazer o governo de que  sofreu realmente a violência. Estas devem ser provas objetivas, a partir de fontes independentes, como boletim de ocorrência da polícia e exames médicos do GP. Quando disponíveis, os documentos devem ser fornecidos em cópias originais. Mesmo assim, o governo irá verificar a veracidade do ocorrido junto à policia e o médico. É importante que quando a pessoa não puder apresentar os documentos ela forneça uma explicação plausível e completa por escrito do porquê.

A LondonHelp4U tem uma equipe de consultores em imigração devidamente registrados e reconhecidos pelo governo britânico. Além disso, somos agente EnglishUK autorizado, por essa razão tivemos 100% de sucesso em nossos pedidos de visto em 2011. Não confie seu sonho em mãos despreparadas, faça-nos uma visita e garanta seu futuro!

 

Exigência de bom caráter é mandatória ao aplicar para cidadania Britânica

Giselle Ribeiro

O governo Britânico, além de não medir esforços quanto ao lançamento de propostas para limitar o número de imigrantes, que desejam permanecer no Reino Unido indefinitivamente, precave-se de todas as formas quanto ao “bom comportamento” dos mesmos que desejam solicitar a cidadania Britânica.  Além de um pesado arsenal de documentos, ter um ‘status’ positivo de bom caráter é mandatório. O governo Britânico considera características de um “bom caráter”, por exemplo, o respeito aos direitos e liberdade do Reino Unido e se a pessoa anda dentro da lei e cumpriu seus deveres e obrigações como residente. Ademais, reserva o direito de verificar com a polícia, como também, entrar em contato com outros departamentos governamentais no processo de triagem. Ao assinar o formulário de aplicação para a cidadania Britânica,  significa, para o aplicante, consentir que o governo entre em contato com qualquer organização no intuíto de obter as informações que julgarem importantes sobre o aplicante.

Seu registo criminal
Será realizado checagem de antecedentes criminais de todos os pedidos de pessoas com idade acima de 10 anos. Deve ser fornecido detalhes de todos os processos civis que resultaram em uma ordem judicial contra o aplicante, como também detalhes de todas as convicções criminais ainda não cumpridas. Apenas infrações que resultaram em processo na corte judicial afetará o histórico de bom comportamento do aplicante. Por outro lado, se o aplicante tem uma convicção não cumprida, é pouco provável que o pedido de cidadania seja bem sucedido. O aplicante deve esperar até o final do seu período de reabilitação antes de aplicar. Vale ressaltar que aplicações feitas  após 1 Janeiro de 2008 serão recusadas se o requerente tiver sido condenado por uma infração penal, e se a convicção ainda não se tornou ‘gasta’ em conformidade com as disposições da Lei de Reabilitação de Delinquentes 1974.

O que é uma convicção não cumprida?
A pena ou convicção se torna cumprida depois que um certo período de tempo tenha se passado (este período é chamado de reabilitação). O período de reabilitação vai depender da sentença. O qual começa a partir da data em que a pessoa foi condenada. Se a pena for maior que 30 meses de prisão, por um único crime, isto nunca se tornará gasto. O seu pedido de cidadania é, portanto, improvável de ser bem sucedido.  Se o aplicante tiver sido condenado por um crime, onde o período de reabilitação já é terminado não é necessário apresentar detalhes da convicção criminal. Se o aplicante for, no entanto, condenado por um delito durante o período de reabilitação de sua convicção anterior, o período de reabilitação poderá ser prorrogado, se tiver sido condenado por uma infracção, onde o período de reabilitação não tenha terminado, deve incluir detalhes sobre a convicção. O solicitante deve fornecer detalhes de qualquer delito para o qual pode ir a corte, ou dos delitos do qual estão aguardando audiência. Isso inclui quaisquer infrações das quais houve prisão, e espera para saber se será formalmente acusado. Se o aplicante vive na Escócia, deve fornecer detalhes de quaisquer penalidades civis recentes. Se for preso ou acusado de algum delito, após ter feito a aplicação, deve avisar o Home Office.

Outras coisas à considerar:
Deve ser informado se o aplicante já teve qualquer envolvimento com o terrorismo, mesmo atos que não são considerados como atos de terrorismo pelo aplicante, mas por outros, devem ser mencionados. O aplicante também deve mencionar se já teve qualquer envolvimento em crimes, no curso de conflitos armados, incluindo  crimes contra a humanidade, de guerra, ou genocídio. Para mais informações sobre qualquer tipo de visto, não hesite, entre em contato com a LH4U, nós estamos preparados para lhe oferecer o melhor suporte e segurança na solicitação do seu visto.

Critérios mais rigorosos para quem quer estudar no Reino Unido entram em vigor no dia 4 de Julho de 2011

Giselle Ribeiro

A cada dia que passa, preocupado com o aumento do número de imigrantes em solo Britânico, o governo tem lançado propostas para limitar o número de pessoas com o sonho de viver no Reino Unido, ou ainda, tem cada vez mais lançado medidas rigorosas quanto aos requerimentos para expedição de vistos.

No mês de Abril 2011 a London Help 4U publicou matéria sobre mudanças rigorosas para pessoas que querem vir estudar no Reino Unido. Tais mudanças foram, inicialmente, anunciadas pelo Parlamento Inglês no dia 22/03/2011, com data para entrar em vigor a partir de 04/07/2011. Portanto, se você deseja estudar no Reino Unido e não sofrer as alterações no seu visto a partir do dia 04 de Julho de 2001, deve solicitar o visto antes dessa data.

As principais alterações dizem respeito a permissão ao direito de trabalho,  a visita de familiares/dependentes, limitar o abuso de fundos de manutenção, para que estudantes genuínos, em progressão acadêmica, possam estudar em instituições genuínas.

Essas mudanças foram anunciadas pelo ministro Inglês de Imigração, Damian Green, em declaração ministerial no dia 13/07/2011:

“Estudantes deverão comprovar, em sua aplicação de visto, suas condições para custear seus estudos e despesas pessoais enquanto viverem no Reino Unido. Excluiremos a permissão de trabalho para novos estudantes; somente alunos em instituições de ensino superior e instituições financiados pelo governo, mediante sua situação atual, terão o direito de fazê-lo”

Veja abaixou as as principais mudanças implementadas a partir de 04 de julho de 2011:

  • Restrição dos direitos de trabalho para novos estudantes;
  • Restringir a permissão para visita de dependentes para aqueles que estudam a nível de pós-graduação em instituições de ensino superior em cursos com duração mínima de 12 meses, e alunos patrocinados pelo governo em cursos com duração mínima de 6 meses;
  • Exigir a demonstração dos estudantes de progressão acadêmica no curso, ou seja, os colégios, universidades escolas, devem demonstrar que o novo curso, em caso de extensão do visto, represente uma continuidade dos estudos;
  • Garantir que os fundos de manutenção são verdadeiramente acessíveis ao requerente, durante toda a duração de seu curso, através da introdução de uma declaração no formulário de pedido de visto;
  • Comprometemo-nos com a publicação de lista das instituições financeiras que o Home Office considera, com base na experiência, não verificam as demonstrações financeiras para nossa satisfação em mais de 50 por cento de uma amostra de casos;
  • Introduzir um processo de aplicação simplificada, de baixo risco, para aplicantes nacionais ​​nos cursos com patrocinadores altamente confiáveis;
  • Ampliar a lista de cursos para os quais os alunos devem receber a liberação ATAS   (Certificado de tecnologia acadêmica);
  • Restringir a capacidade para ministrar cursos de contabilidade credenciada pela Associação de Chartered Certified Accountants (ACCA) aos patrocinadores com status de platina ou ouro por ACCA, e;
  • Esclarecer a posição das universidades no exterior, com campus no Reino Unido;

O ministro Damien Green também anunciou que a Agência de Garantia de Qualidade (QAA) e o Independent Schools Inspecção (ISI) vai alargar as suas atividades para inspecionar provedores de financiamento privado, em linha com nosso compromisso de que todos os patrocinadores privado sejam verificados ou revistos por um desses órgãos até o final de 2012.

Assim, para que não seja pego de surpresa quando renovar o seu visto, é sempre aconselhável se planejar, haja vista que os vistos podem ser solicitados até três meses antes do início do seu curso, o que garante a tranquilidade e expedição do seu visto sem maiores surpresas. Lembrando ainda, que a partir de 21 de Abril de 2011, é necessária a comprovação por meio de certificados reconhecidos pelo Home Office do nível intermediário de inglês.

Para mais informações sobre seus direitos no Reino Unido ou regularizar sua situação, por favor entre em contato com a London Help 4U. Nós estamos preparados para lhe oferecer o melhor suporte e segurança na solicitação de seu visto, indiferente da categoria.

 

More stringent criteria for those who want to study in the UK study come into force on July 4, 2011

At each day, worried about the increasing number of immigrants in British soil, the government has been launching proposals to limit the number of people, with the dream of living in the United Kingdom, with more concise measures towards visa shipment. In April 2011 the London Help 4U published the initial of many severe changes for people who want to come to the UK as students. These changes were initially announced in British Parliament on 22/03/2011 and already have a date to validate, 04/07/2011. So if you want to study in the UK and not go through such changes, you must submit an application before July 4, 2011.

The goal is to restrict the boundaries of work for students, the visit of dependants, to limit the abuse of maintenance funds, so that genuine students, in academic progression, are able to study in genuine institutions. These changes were announced by the English Minister for Immigration, Damian Green, in a written ministerial statement on 13/07/2011:
“Students must demonstrate, in their visa application, they hold conditions to finance their studies and living expenses while living in the UK. We will not allow new students to work, only students in institutions of higher education, or institutions funded by the government, will have the right to do so through their current situation”ListenRead phonetically

See bellow the main changes implemented from 04 of Jully 2011:

  • New students will no longer be allowed to work;
  • Restrict the permission of dependants to visit those studying at postgraduate level at HEIs on courses lasting at least 12 months, and government-sponsored students on courses lasting at least 6 months;
  • Require education providers to vouch that a new course represents genuine academic progression;
  • Ensure that maintenance funds are genuinely available to the applicant, by introducing a declaration on the visa application form;
  • Commit to publish a list of financial institutions that we consider, on the basis of experience, do not verify financial statements to our satisfaction in more than 50 per cent of a sample of cases;
  • Introduce a streamlined application process for low-risk nationals applying to attend courses with Highly Trusted Sponsors;
  • Extend the list of courses for which students must receive ATAS clearance;
  • Restrict the ability to deliver accountancy courses accredited by the Association of Chartered Certified Accountants (ACCA) to those sponsors accorded platinum or gold status by ACCA; and
  • Clarify the position of overseas universities with campuses in the UK.

Damien Green has also announced that the Quality Assurance Agency (QAA) and the Independent Schools Inspectorate (ISI) will extend their activities to cover privately funded providers, in line with our commitment that all privately funded sponsors would be inspected or reviewed by one of the publicly recognised bodies by the end of 2012.

So, if you wish not to get caught by surprise when you renew your visa, it is always advisable to plan, given that a visa can be requested up to three months before the start of your course, which guarantees the tranquillity and issuance of your visa without surprises. Recalling also that from April 21, 2011, it is mandatory to prove, through certificates recognized by the Home Office, an intermediate level of English.

For more information about your rights in the UK, or to know more about how to officialise your visa status, please contact the London Help 4U. We are prepared to offer the best support and security on your visa request, regardless of category.

Governo lança proposta criando dificuldades para aquisição de residência permanente no Reino Unido

Giselle Ribeiro

O governo Britânico não tem medido esforços quanto ao lançamento de propostas para limitar o número de imigrantes que querem permanecer Reino Unido. Dando continuidade a essas mudanças, o governo declarou, no dia 09 de junho de 2011, que em breve os imigrantes com visto temporário de trabalho enfrentarão maiores restrições ao solicitar a residência permanente.

No sistema atual, aqueles que possuem visto temporário de trabalho, classificados como Tier 2 no sistema baseado em pontos, tem a possibilidade de solicitar o visto definitivo desde que possam cumprir com todos os requisitos e prazos necessários.

De acordo com o órgão de controle de Imigração (UK Border Agency), estudos demonstram que no ano de 2010, cerca de 84.000 pessoas das que entraram no Reino Unido com visto temporário de trabalho tiveram residência permanente concedida, o que contrasta com o ano de 1997, no qual apenas cerca de 10.000 pessoas obtiveram êxito ao requerer o visto permanente. Com essa reforma, o governo pretende reduzir os níveis de imigração de acordo com um limite anual que ainda será estabelecido pelos órgãos responsáveis.

Alguns novos requisitos para a solicitação de residência permanente já entraram em vigor, como por exemplo, para aqueles que se candidatarem aos vistos de investimento e de trabalho nas categorias Tier 1 ou Tier 2, é exigido demonstração de proficiência em inglês, satisfazer exigências salariais específicas e provar bom comportamento, sem nenhuma infração criminal.

Além disso, o governo lançou uma consulta pública que irá analisar, em doze semanas, novas propostas para a reforma.

Tudo indica que o Tier 2 deverá ser renomeado, passando a ser considerado visto temporário, essa mudança acabará com a suposição de que a solicitação de  residência permanente estará garantida para todos aqueles que desejarem obter essa categoria de visto de trabalho.

Como ressalta o nosso especialista de imigração Humberto Ferrarini, no sistema atual aqueles que obtém visto de trabalho pelo período contínuo de 5 anos, ao final desse período poderiam estar solicitando a residência permanente. Com as novas mudanças propostas o governo estará criando maiores requisitos ou selecionando as categorias e ocupações de trabalho para aquisição da residência permanente no Reino Unido.

Ainda sobre o Tier 2, é possível que sejam criadas subcategorias para este nível, as quais será permitido solicitar o visto definitivo. Acredita-se que, por exemplo, pessoas que estiverem recebendo um salário maior que £150.000 ou que possuírem ocupações consideradas de alto valor econômico ou social para o Reino Unido estarão aptas a solicitar a residência permanente.

Além disso, poderá ser criada uma nova categoria considerada excepcional no Tier 2, que permitirá a aplicação da residência permanente àqueles que residiram por, no mínimo, três anos no Reino Unido. Já as demais subclassificações do Tier 2, aquelas que não terão direito a solicitação da residência permanente, permitirão que o migrante permaneça no Reino Unido por um prazo máximo de 5 anos. O governo ainda decidirá como, exatamente, serão constituídas e de que forma irão funcionar essas categorias.

Outra exigência que, possivelmente, será implementada, diz respeito àquelas pessoas que pretendem ser considerados como dependentes de um migrante que possua o visto de Tier 2. O governo estuda exigir a comprovação de nível de Inglês para todos os indivíduos que venham para o Reino Unido como dependente do trabalhador, com visto Tier 2.

Além de todas essas reformas a serem discutidas em relação ao Tier 2, o governo ainda pretende realizar mudanças no Tier 5, restringindo, provavelmente, o tempo máximo de 12 meses a licença para viver no Reino Unido.

As autoridades também querem limitar as rotas para aqueles trabalhadores, que retornam com os seus empregadores, após um período de residência no exterior, como é o caso de empregados domésticos, jardineiros, chefes de cozinha, motoristas. A nova proposta planeja a extinção desse pedido de visto de trabalho.

Segundo o Ministro de Imigração, Damian Green, as propostas descritas acima têm como objetivo romper a relação entre a imigração temporária e a permanente, introduzindo critérios mais rigorosos para aqueles que quiserem permanecer no Reino Unido, os quais permitirão, segundo ele, o maior controle da migração pelas autoridades.

Para maiores informações sobre vistos de trabalho e residência permanente no Reino Unido, por favor, entre em contato com a Londonhelp4U. Nos estamos preparados para lhe oferecer o melhor suporte e segurança na solicitação de seu visto.

 

 

GOVERNMENT LAUNCHES PROPOSAL TO TOUGH THE ACQUISITION OF PERMANENT RESIDENCE IN THE UNITED KINGDOM.

The UK government has not been measuring efforts with regards to create tough rules to limit the number of immigrants settling permanently in the UK.

Continuing to these changes, the government declared, on June 9, 2011, that immigrants with temporary work visa will face more restrictions when applying for permanent residence.

In the current system, those with temporary work visa, classified as Tier 2 in the points-based system has the possibility of applying for permanent visa provided they meet all necessary requirements and deadlines.

According to UK Border Agency, studies has shows that in 2010, approximately 84,000 people of those who entered the UK on temporary work visa were granted permanent residence, which contrasts with the year 1997, in which only about 10,000 people have succeeded in requiring the permanent settlement. With this reform, the government aims to reduce immigration levels according to an annual limit.

Some new requirements for applying for permanent residence has entered into force, for example, for those who wants to apply for visas in the investment and work categories Tier 1 or Tier 2, is required to demonstrate English proficiency, meet specific salary requirements and prove good behavior, without any criminal offense.

In addition, the government has launched a public consultation that will examine, in twelve weeks, new proposals for reform. Everything indicates that Tier 2 should be renamed and as a result, considered a temporary visa. This will eventually change upon the assumption that the request for permanent residence for those who wish to obtain through this category is always granted.

As stressed by one of our experts in immigration advice, Humberto Ferrarini, in the current system those who get work visa for the continuous period of five years, at the end of this period could be seeking permanent residence. The new proposed changes will create more government requirements or selecting categories of work and occupations to acquire permanent residence in the UK.

Still on the Tier 2, it might be created subcategories to this level, which will be allowed to apply for a permanent visa. It is believed that, for example, people who are receiving a salary greater than £ 150,000 or who have occupations considered high social or economic value to the UK will be able to apply for permanent residence.

Furthermore, it may be created a new category considered exceptional in Tier 2, which will allow the application of permanent residence to those who have resided for at least three years in the UK. As for the other subgroups of Tier 2, those who do not have the right to request permanent residence, the migrant will remain in the UK for a maximum period of 5 years. The government has yet to decide how, exactly, will be constituted and how they will operate these categories.

The government is considering requiring evidence of English level for all individuals who come to the UK as a dependent Tier 2 visa holder. Besides all these reforms to be discussed in relation to Tier 2, the government intends to make changes in Tier 5, restricting, probably, to the maximum of 12 months leave to live in the UK. The authorities also wants to limit the routes for those workers who return with their employers after a period of residence abroad, as in the case of domestic servants, gardeners, chefs, drivers, etc. The new proposal plans to the extinction of the request for a work visa.

According to the Immigration Minister, Damian Green, the proposals outlined above are aimed at breaking the link between temporary and permanent immigration by introducing more stringent criteria for those who want to stay in the UK which would, according to him, the better control of migration authorities.

For more information about your rights in the UK, or to know more about how to officialise your visa status, please contact the London Help 4U. We are prepared to offer the best support and security on your visa request, regardless of category.