Tag: matérias

Neste mês de Julho a LondonHelp4U celebra 9 anos realizando sonhos

Giselle Ribeiro

Transformar sonhos em realidade tem sido o objetivo da LondonHelp4U desde 2001. Dirigida pela Brasileira Francine Mendonça, a LondonHelp4U é pioneira na comunidade brasileira nos serviços que oferece que vão desde assistência especializada em qualquer tipo de visto, seja para o Reino Unido ou para qualquer lugar do mundo, abertura de empresas, pacotes de intercâmbio personalizados, translado e acomodação, retorno de taxas, etc. Composta por uma equipe de profissionais capacitados, dentre eles advogados formados e formalmente certificados pelos órgãos que regulamentam consultoria em imigração no UK, a LondonHelp4U se tornou referência de confiança e credibilidade na comunidade.

Vivendo há 14 anos na Inglaterra, Francine possui amplo conhecimento sobre os problemas enfrentados por aqueles que desejam viver no exterior, mais do que isso, entende as dificuldades de adaptação a uma nova cultura. Sua experiência é complementada por cursos profissionalizantes em Imigração e Direitos Humanos, que lhe forneceram sólida base para a construção de uma empresa com valores focados em orientar pessoas sobre como se adequarem a uma nova cultura e legislação. “Eu trabalhei duro quando cheguei e sempre me deparava com pessoas em dificuldade pela falta de informação, e por não conhecerem seus direitos acabavam se envolvendo com falsificação de documentos, sendo explorados profissionalmente, etc. O que era para ser um sonho acabava se tornando um pesadelo! Comecei ajudando essas pessoas a se interarem dos seus direitos, mostrando que há um jeito de se legalizar”, diz Francine sobre o que a motivou a abrir a agência.

No início de 2007, a agência inaugurou sua primeira filial no Brasil, na região central da cidade de São Paulo, onde conta com agentes espe­cializados em assessorar pessoas interessadas em estudar e viver no Reino Unido.  A LondonHelp4U é reconhecida por instituições que controlam e regulamentam as consultorias em imigração que atuam no Reino Unido, como o Office of The Immigration Services Comissioner (OISC), Immigration Law Practioners Association (ILPA), Joint Council for the Welfare of Immigrants (JCWI), Companies House and Member of The Bar Council. A agência é associada à London Chamber of Commerce & Industry, motivo pelo qual se mantém constantemente atualizada sobre a regulamentação do comércio britânico, por meio de seminários e cursos de capacitação, é membro do Brazilian Chamber of Commerce, e recentemente teve recomendação de honra para integrar o corpo da Câmara Britânica de Comércio e Indústria no Brasil – Britcham. Os diferenciais da LondonHelp4U são vastos. Com um extenso network de clientes e importantes parceiros, a empresa ganhou forte respaldo na comunidade.

Em Abril de 2011 ganhou o certificado de “Melhor Empresa de Imigração” pelo UK Braziliam Grammy Award 2010/2011, segundo a própria Francine, esse prêmio se deve à eficiência do serviço que prestamos pois garantimos 100% de aprovação devolvendo o dinheiro do cliente caso o visto não seja aprovado, “a LH4U sabe o que faz” diz Francine. Ainda, o advogado e consultor de imigração da LH4U, Humberto Ferrarini, adverte: “Hoje em dia, muitas pessoas se intitulam consultores de imigração, o cliente precisa estar atento para não cair em mãos despreparadas, pois o barato poderá sair caro! Essa profissão, além de uma devida certificação, requer experiência tanto quanto uma constante atualização devido às frequentes mudanças que ocorrem nas leis de imigração, na LH4U temos esse diferencial.” Em celebração dos seus 9 anos, a LH4U estará sorteando entre os clientes que procurarem a agência, neste mês de Julho, 10 Ipods shuffle, 10 ingressos para a London Eye e presenteando a todos com fitinhas do Senhor do Bonfim! E mais, quem quiser ficar por dentro das últimas notícias de imigração, agenda cultural e promoções imperdíveis é só visitar o site da LH4U na web e se cadastrar para a Newsltter mensal. Happy Birthday LH4U!!


LondonHelp4U celebrates 9 years making dreams come true

Turning dreams into reality has been the main goal of LondonHelp4U since 2001. Directed by Brazilian Francine Mendonça, LondonHelp4U is pioneer amongst the Brazilian community offering services ranging from assistance in any type of visa, whether to the UK or anywhere in the world, starting a business, customised student exchange packages, transfer and accommodation, tax return, etc. Comprised of trained professionals, including qualified lawyers formally certified by agencies that regulate immigration consultants in the UK, LondonHelp4U won the community’s confidence and credibility over the years.

Living in England for 14 years, Francine has extensive knowledge about the problems faced by those who wish to live abroad, more than that, she understands the difficulties of adapting to a new culture. Her experience is complemented by training courses in Immigration and Human Rights, which provides a solid basis for building a company focused on values ​​aiming to guide people on how to fit into a new culture and legislation. “When I arrived in London I used to constantly come across individuals in difficulty due to lack of information, not aware of their rights. As a result, they would become involved with document fraud, professionally exploited, etc. What was meant to be a dream would become a nightmare! I started helping these people so they would get acquainted with their rights in this country, showing them that there were ways to live legally” says Francine about what motivated her to open LondonHelp4U.

In early 2007, the agency opened its first branch in Brazil, in the central region of São Paulo, where it employs knowledgeable agents to advise people interested in studying and living in the UK. LondonHelp4U is recognized by institutions that control and regulate immigration consultants who work in the UK such as The Office of Immigration Services Commission (OISC), Immigration Law Practitioners Association (ILPA), Joint Council for the Welfare of Immigrants (JCWI), Companies House and Member of the Bar Council. The agency is associated with London Chamber of Commerce & Industry, reason why LH4U keeps constantly updated with British trade regulations through regular seminars and training courses. LH4U is also a member of the Brazilian Chamber of Commerce, and recently, had recommendation of honor to integrate the British Chamber of Commerce and Industry in Brazil – Britcham. LondonHelp4U’s differentiators are vast, with an extensive network of customers and key partners, the company has gained strong support within the community.

In April 2011, LH4U won an important prize for “Best Company of Immigration” by UK Grammy Award 2010/2011 Brazil. According to Francine, this award is due to the efficiency of the service we provide, we operate at “no win no fee” and “LH4U knows what it does” reinforces Francine. The lawyer and immigration consultant at LH4U, Humberto Ferrarini, warns: “Today, many people call themselves immigration consultants, the client must be careful not to fall into unprepared hands as “cheap can be costly”! This profession, as well as a proper certification requires experience and constant updating referable to the frequent changes which occur in immigration laws nowadays”. In celebration of its 9 years, we will be raffling among customers who seek the agency this month 10 Ipods shuffle, 10 tickets to London Eye and regaling everyone with the Lord of Bonfim ribbons! Also, who want to stay current with latest immigration news, cultural events and promotions just need to visit our web site and sign up for our monthly Newsltter. LH4U Happy Birthday!

Critérios mais rigorosos para quem quer estudar no Reino Unido entram em vigor no dia 4 de Julho de 2011

Giselle Ribeiro

A cada dia que passa, preocupado com o aumento do número de imigrantes em solo Britânico, o governo tem lançado propostas para limitar o número de pessoas com o sonho de viver no Reino Unido, ou ainda, tem cada vez mais lançado medidas rigorosas quanto aos requerimentos para expedição de vistos.

No mês de Abril 2011 a London Help 4U publicou matéria sobre mudanças rigorosas para pessoas que querem vir estudar no Reino Unido. Tais mudanças foram, inicialmente, anunciadas pelo Parlamento Inglês no dia 22/03/2011, com data para entrar em vigor a partir de 04/07/2011. Portanto, se você deseja estudar no Reino Unido e não sofrer as alterações no seu visto a partir do dia 04 de Julho de 2001, deve solicitar o visto antes dessa data.

As principais alterações dizem respeito a permissão ao direito de trabalho,  a visita de familiares/dependentes, limitar o abuso de fundos de manutenção, para que estudantes genuínos, em progressão acadêmica, possam estudar em instituições genuínas.

Essas mudanças foram anunciadas pelo ministro Inglês de Imigração, Damian Green, em declaração ministerial no dia 13/07/2011:

“Estudantes deverão comprovar, em sua aplicação de visto, suas condições para custear seus estudos e despesas pessoais enquanto viverem no Reino Unido. Excluiremos a permissão de trabalho para novos estudantes; somente alunos em instituições de ensino superior e instituições financiados pelo governo, mediante sua situação atual, terão o direito de fazê-lo”

Veja abaixou as as principais mudanças implementadas a partir de 04 de julho de 2011:

  • Restrição dos direitos de trabalho para novos estudantes;
  • Restringir a permissão para visita de dependentes para aqueles que estudam a nível de pós-graduação em instituições de ensino superior em cursos com duração mínima de 12 meses, e alunos patrocinados pelo governo em cursos com duração mínima de 6 meses;
  • Exigir a demonstração dos estudantes de progressão acadêmica no curso, ou seja, os colégios, universidades escolas, devem demonstrar que o novo curso, em caso de extensão do visto, represente uma continuidade dos estudos;
  • Garantir que os fundos de manutenção são verdadeiramente acessíveis ao requerente, durante toda a duração de seu curso, através da introdução de uma declaração no formulário de pedido de visto;
  • Comprometemo-nos com a publicação de lista das instituições financeiras que o Home Office considera, com base na experiência, não verificam as demonstrações financeiras para nossa satisfação em mais de 50 por cento de uma amostra de casos;
  • Introduzir um processo de aplicação simplificada, de baixo risco, para aplicantes nacionais ​​nos cursos com patrocinadores altamente confiáveis;
  • Ampliar a lista de cursos para os quais os alunos devem receber a liberação ATAS   (Certificado de tecnologia acadêmica);
  • Restringir a capacidade para ministrar cursos de contabilidade credenciada pela Associação de Chartered Certified Accountants (ACCA) aos patrocinadores com status de platina ou ouro por ACCA, e;
  • Esclarecer a posição das universidades no exterior, com campus no Reino Unido;

O ministro Damien Green também anunciou que a Agência de Garantia de Qualidade (QAA) e o Independent Schools Inspecção (ISI) vai alargar as suas atividades para inspecionar provedores de financiamento privado, em linha com nosso compromisso de que todos os patrocinadores privado sejam verificados ou revistos por um desses órgãos até o final de 2012.

Assim, para que não seja pego de surpresa quando renovar o seu visto, é sempre aconselhável se planejar, haja vista que os vistos podem ser solicitados até três meses antes do início do seu curso, o que garante a tranquilidade e expedição do seu visto sem maiores surpresas. Lembrando ainda, que a partir de 21 de Abril de 2011, é necessária a comprovação por meio de certificados reconhecidos pelo Home Office do nível intermediário de inglês.

Para mais informações sobre seus direitos no Reino Unido ou regularizar sua situação, por favor entre em contato com a London Help 4U. Nós estamos preparados para lhe oferecer o melhor suporte e segurança na solicitação de seu visto, indiferente da categoria.

 

More stringent criteria for those who want to study in the UK study come into force on July 4, 2011

At each day, worried about the increasing number of immigrants in British soil, the government has been launching proposals to limit the number of people, with the dream of living in the United Kingdom, with more concise measures towards visa shipment. In April 2011 the London Help 4U published the initial of many severe changes for people who want to come to the UK as students. These changes were initially announced in British Parliament on 22/03/2011 and already have a date to validate, 04/07/2011. So if you want to study in the UK and not go through such changes, you must submit an application before July 4, 2011.

The goal is to restrict the boundaries of work for students, the visit of dependants, to limit the abuse of maintenance funds, so that genuine students, in academic progression, are able to study in genuine institutions. These changes were announced by the English Minister for Immigration, Damian Green, in a written ministerial statement on 13/07/2011:
“Students must demonstrate, in their visa application, they hold conditions to finance their studies and living expenses while living in the UK. We will not allow new students to work, only students in institutions of higher education, or institutions funded by the government, will have the right to do so through their current situation”ListenRead phonetically

See bellow the main changes implemented from 04 of Jully 2011:

  • New students will no longer be allowed to work;
  • Restrict the permission of dependants to visit those studying at postgraduate level at HEIs on courses lasting at least 12 months, and government-sponsored students on courses lasting at least 6 months;
  • Require education providers to vouch that a new course represents genuine academic progression;
  • Ensure that maintenance funds are genuinely available to the applicant, by introducing a declaration on the visa application form;
  • Commit to publish a list of financial institutions that we consider, on the basis of experience, do not verify financial statements to our satisfaction in more than 50 per cent of a sample of cases;
  • Introduce a streamlined application process for low-risk nationals applying to attend courses with Highly Trusted Sponsors;
  • Extend the list of courses for which students must receive ATAS clearance;
  • Restrict the ability to deliver accountancy courses accredited by the Association of Chartered Certified Accountants (ACCA) to those sponsors accorded platinum or gold status by ACCA; and
  • Clarify the position of overseas universities with campuses in the UK.

Damien Green has also announced that the Quality Assurance Agency (QAA) and the Independent Schools Inspectorate (ISI) will extend their activities to cover privately funded providers, in line with our commitment that all privately funded sponsors would be inspected or reviewed by one of the publicly recognised bodies by the end of 2012.

So, if you wish not to get caught by surprise when you renew your visa, it is always advisable to plan, given that a visa can be requested up to three months before the start of your course, which guarantees the tranquillity and issuance of your visa without surprises. Recalling also that from April 21, 2011, it is mandatory to prove, through certificates recognized by the Home Office, an intermediate level of English.

For more information about your rights in the UK, or to know more about how to officialise your visa status, please contact the London Help 4U. We are prepared to offer the best support and security on your visa request, regardless of category.

Uma ajudinha que virou negócio

A Little help that turned into business

Brasileira, residente em Londres, transforma sua vivência na cidade em uma empresa de consultoria e de  intercâmbio, há dez anos em expansão

Por Márcio Souza

 

Em 1998, então com 26 anos, a jornalista Francine Mendonça da Silva, apesar de levar uma vida confortável, em São Lourenço do Sul-RS, não estava feliz. Recém-formada, a natural inquietude, aparentemente sem motivo, somou-se ao desejo de conhecer o mundo e a vontade de aprender inglês. O resultado atende hoje pelo nome de London Help 4u, uma empresa de consultoria em intercâmbio, com sede em Londres, que há dez ajuda brasileiros interessados em estudar na Europa, e claro, principalmente em Londres, na Inglaterra.

Tudo começou em 1998 quando Francine embarcou para Londres para estudar inglês.  A viagem à Inglaterra foi planejada para aprender o idioma e, depois, voltar para o Brasil. Mas ela se apaixonou pela cidade e resolveu esticar a estadia por mais alguns meses, mudou o visto de turista para estudante (naquela época isso era permitido) e começou a trabalhar com baby sitting (babá) para pagar os seus custos de sua permanência. Assim, passaram-se três anos, até que Francine decidiu investir em si própria e empreender no país.  “Com o passar do tempo eu fui aprendendo sobre as leis do país e as exigências para vistos, escolha das escolas, etc. Eu ajudava muita gente que chegava à Inglaterra sem muita informação. O que fiz na verdade foi começar a cobrar por um serviço que eu já vinha prestando gratuitamente”, conta Francine, que atende tanto brasileiros interessados em estudar no exterior, como os que já estão na Europa, mas com problemas de documentação.

O investimento inicial para montar o primeiro escritório foi de cerca de 2 mil libras (aproximadamente R$ 5 mil). “Comprei uma mesa, três cadeiras e um computador e montei meu primeiro escritório”, diz.

Foi de tanto correr atrás de informação para esclarecer dúvidas de outras pessoas que ela percebeu a carência do mercado de intercâmbio. “Naquela época, quem morava fora do Brasil ou estava pensando em viajar tinha pouquíssimas opções de empresas de consultoria. Quando você mora fora, geralmente, trabalha e estuda e quase nunca tem tempo para pesquisar as leis do país e entender o sistema. Eu fiz disso um negócio e entrei em um mercado excelente e muito pouco explorado”, diz.

Quando a jornalista começou, as informações eram muito escassas e desencontradas. Então, ela fez disso um serviço profissional. “Fiz cursos sobre leis de imigração e obtive uma licença do governo britânico para aconselhar e representar meus clientes junto à imigração. Para renovar essa licença eu tenho que fazer cursos e provas todos os anos, além de pagar uma taxa para o governo”, explica.

A parte burocrática para montagem do negócio foi o menos complicado. Isso porque ela já tinha visto de residência no país quando decidiu abrir a empresa. “Para obter um visto de business quem não é residente, nem tem passaporte europeu, precisa comprovar 250 mil libras de caixa (cerca R$ 650 mil). Não foi o meu caso, pois primeiro apliquei  para o visto de residente como unmarried partner (noivo, no Brasil), pois eu vivia com um cidadão da comunidade europeia e, depois de dois anos nessa situação, já é possível solicitar residência. Como residente, tive de pagar apenas 300 libras (cerca de R$ 750) de taxa de abertura”, conta.

Mas, e toda aquela papelada que no Brasil é preciso levar para abrir um negócio próprio? Naquela época (e hoje em dia não é muito diferente, informa Francine) esses trâmites na Inglaterra são simples. “Basta preencher os formulários, pagar uma taxa e o governo envia o registro por e-mail, em 24 horas. Não é preciso fazer inscrição em nenhum outro órgão”, diz.

O que existe, além desse registro junto ao governo, explica a jornalista, são as licenças necessárias para atuar na área eleita. “No meu caso, que trabalho com imigração, preciso ter a OISC, que regulamenta a atividade”, explica.

Tão simples quanto a abertura da empresa é o sistema de pagamento de impostos (não entenda como “manso”). Francince conta que paga um VAT (Value Added Tax – taxa adicionada ao valor, em tradução livre) – uma espécie de Imposto Sobre Serviços (ISS) no Brasil – de 20% sobre o serviço prestado e uma taxa única anual de 19% sobre o lucro líquido da empresa, imposto que deve ser pago no fim de todo ano fiscal. “Se você tiver funcionários, você recolhe ainda o Insurance Number, que varia de acordo com o valor do rendimento do trabalhador (o nosso Pis)”, acrescenta.

Atualmente, a London Help 4u fatura mensalmente entre 80 mil a 120 mil libras (entre R$ 200 mil e R$ 300 mil), com lucro líquido variando entre 30 mil e 50 mil libras (R$ 75 mil e R$ 125 mil).

 

Novos tempos

 

Francince pontua que seu mercado tem mudado. Como o Brasil hoje vive um bom momento econômico – é a oitava economia mundial e a oferta de empregos está em ascensão, assim como a renda média do trabalhador, têm diminuído o número de brasileiros sonhando em ganhar a vida no exterior.

Essa nova realidade poderia ser um empecilho para o negócio de Francine, mas segundo a jornalista, o efeito é justamente o contrário. “Em termos de quantidade, é claro que caiu o número de brasileiros que nos procuram em busca de intercâmbio, mas a qualidade desses clientes melhorou muito. São pessoas que estão realmente interessadas em viver uma nova experiência, aprender um segundo idioma e enriquecer-se culturalmente e não financeiramente”, diz Francine.  A London Help 4u fecha em média de 15 a 25 pacotes de intercâmbio para a Europa todo mês.

Administração

 

Atualmente, além da sede em Londres, a London Help 4u conta também com um escritório em São Paulo, inaugurado no final de 2006. A filial brasileira foi aberta com o objetivo de manter um contato mais próximo com os estudantes brasileiros, já que antes tudo era feito via internet. A escolha por São Paulo levou em conta o potencial econômico da cidade. “São Paulo é o coração do Brasil e, além disso, é um pouco parecida com Londres. São metrópoles onde é possível encontrar de tudo para todos”, conta.

São 14 funcionários trabalhando na sede londrina e outros quatro no Brasil. Apesar da distância, é Francine quem também administra a filial brasileira. “Faço tudo pela internet. Reuniões via msn, e-mails e, quando preciso falar com alguém, utilizamos o Skype”, explica a jornalista que, mesmo contando com os avanços da tecnologia, visita a sua terra natal pelo menos quatro vezes por ano.

O negócio vai bem e Francine diz já ter alcançado uma estabilidade financeira. Tanto que está ampliando sua área de atuação. “Estamos oferecendo um novo produto: o ‘Investor Brasil’, para auxiliar brasileiros e europeus que vivem na Inglaterra interessados em comprar terrenos ou casas no Brasil. Tem muita gente que quer investir no Brasil mas, por estar longe, não consegue. Vamos facilitar o processo”, conta.

A dica de Francine para quem quer investir fora do Brasil é simples e é a mesma para quem investe no mercado interno. “É preciso buscar o máximo de informações sobre o país que você desejar viver, aprender o idioma fluentemente, fazer um estudo de mercado e entender as regras que regulamentam o setor, ou seja, os mesmos cuidados para ter um negócio em qualquer lugar”.

(Publicado na edição 98 da revista Meu Próprio Negócio)

——————————————

Brazilian citizen, resident in London, transforms her life experience in a consultancy and interchange company, which has been growing from the past ten years.
Marcio Souza:
In 1998, the journalist Francine Mendonca da Silva, 26 years at the time, although having a comfortable life in Sao Lourenco do Sul – RS, wasn’t happy. The new graduate had a natural disquietude, apparently for no reason, and this feeling added with the desire to travel the world and learn English. The result today is known by London Help 4U, a consultancy company with its headquarters that for the past ten years has been helping Brazilians who are interested to study in Europe, and especially in London, in England.
It all started in 1998 when Francine came to London to study English.
The trip to England was planned to learn the idiom, and then to go back to Brazil. However Francine fell in love with the city and decided to stay for a few more months; she changed her tourist visa to a student visa (at that time this change was permitted) and started to work as a babysitter to pay for her living costs here. After three years Francine decided to invest in herself and also to invest in the country. “With time I started to learn about the country’s laws and the policies for obtaining a visa, the choices of languages schools, etc. I used to help a lot of people who used to arrive in England without many knowledge and information. What I did in reality it was to charge for a service which I was already doing for free”, recalls Francine, who not only works with Brazilians interested in learning abroad but also with Brazilians who are already here in Europe but with documents issues.
The initial investment to set up the first office was around 2 thousand pounds (approximately 5 thousand reais). “I bought one table, three chairs, and a computer and I set up my first office” says Francine.
It was by searching for information in order to obtain answers for people’s questions that Francine realized there was an opportunity in this market. “At that time, who used to live outside Brazil or who was thinking in travelling they had very limited options of consultancy agencies. When you live abroad, generally you work and study and hardly there is any time for you to search about the country’s laws and to also understand how the system works. I made a business of this and managed to get into an excellent market which it was hardly exploited before” explains Francine.
When the journalist started, the information available was very limited.
So, from this opportunity she made it her professional business. “I did some courses about immigration laws and from there I obtained a license from the British government to advise and represent my clients alongside the immigration. To renew this license I have to do some courses and sit exams every year, and also I have to pay a fee to the government”, she explains.
The bureaucratic side to build the business was the least complicated part. This was because she already had a resident permit visa to stay in the country when she decided to open the company. “To obtain a business visa, for someone who is not UK resident or doesn’t have an European passport, they need to prove they have 250 thousand pounds (around 650 thousand reais). It wasn’t my case, because first I applied for the resident permit visa as unmarried partner (fiancé was in Brazil), and because I used to live with a European citizen after two years it is possible to apply for residence. As a resident in the UK I only needed to pay 300 pounds (around 750 reais) for opening fees”, explains Francine.
How about all those paperwork that in Brazil they request you to have in order to open up a business? At that time (and nowadays it is not very different, says Francine) to open a business in England was simple. “You just need to fill in some forms, pay a fee and the government sends your registration by email, in 24 hours. It is not needed to register in another body agency”, she says.
What exists alongside this registration with the government, explains the journalist, is the license necessary to work. “In my case, because I work with immigration, I need to have the OISC, which regulates the activity” she explains.
Also in the same easy of opening a business company is the payment of taxes. Francine tell us that she pays a VAT (Value Added Tax) basically it is a fee added on top of the value of a product – it is equivalent to the tax upon services in Brazil – from 20% of the user’s service and a annual tax of 19% upon the profit of the company before taxes, tax which should be paid at the end of each financial year. “If you have employees you also collect Insurance number, which varies according to how much you earn (equivalent to Pis in Brazil)” she adds.
At the moment London Help 4U makes a monthly gross profit of around 80 thousand and 120 thousand pounds ( between 200 thousand and 300 thousand reais), with a net profit varying between 30 thousand and 50 thousand pounds ( 75 thousand and 125 thousand reais).
New time
Francine points out that her market has changed. As Brazil experiences a good economic moment nowadays – it is the eighth world’s economy and the job offers are fast growing, as well as the average income, the number of Brazilians who dreams with a better life abroad has been decreasing.
This new reality could be a barrier for Francine’s business, however, according to the journalist; the effect is actually the opposite. “ In terms of quantity, it is clear that the number of Brazilians who seek our help has declined, however the quality of these clients got much better. They are people who are really interested in new experiences, interested in learning a new idiom and enrich culturally and not financially” says Francine. London Help 4U does in average about 15 to 25 interchange deals to Europe every month.

Agora é definitivo! Prévia permissão para casar no Reino Unido é desnecessária.

Now it’s definite! Prior permission to marry in the UK is unnecessary.

Em 29 de março de 2011 o governo anunciou a data para encerramento do sistema de prévia aprovação para casamento ou união de casais do mesmo sexo no Reino Unido. O regime será abolido em 09 maio de 2011, sujeito à aprovação pelo Parlamento.

Atualmente, qualquer imigrante que já está no Reino Unido e está sujeito a controle de imigração deve solicitar um certificado de aprovação antes que possa se casar ou registrar uma parceria civil neste país (exceção à aqueles que vão se casar dentro da Igreja Anglicana).

O atual sistema era utilizado como forma de prevenir falso casamento ou casamento por conveniência, porém, esse regime fere diretamente direitos humanos universais, como o direito a se casar e constituir uma família por ser discriminatório.

O governo britânico está agora a procurar corrigir a declaração reiterada pelos Tribunais do Reino Unido que o regime é incompatível com o artigo 14 da Convenção Europeia dos Direitos do Homem (leia-se com o artigo 12). Além disso, as alterações feitas na sequência de decisões dos Tribunais enfraqueceram o regime, e já não é um método eficaz de prevenir falso casamento ou casamentos por conveniência.

O processo pelo Parlamento para a abolição do regime de acordo com a ordem de medidas nos termos da Lei dos Direitos Humanos 1998 está chegando ao fim. A Ordem deve ser aprovada pelas duas Casas do Parlamento para que isso aconteça, Camara dos Comuns e Camara dos Lordes. A Camara dos Comuns aprovou a ordem em 29 de março. Durante este debate, o Ministro para a Imigração anunciou a data de encerramento proposta para 09 de maio, se a Câmara dos Lordes aprovar durante o debate ocorrido no dia 04 de abril.

Ressalta o nosso especialista em imigração Humberto Ferrarini que entrar em um falso casamento não dá direito aos migrantes de permanecer no Reino Unido. O Home Office irá continuar a investigar a suspeita de abuso e, se possível, proibir ou evitar que os casamentos falsos ou por conveniência se materializem, com ações preventivas antes que eles ocorram. Se o Home Office descobrir que os casamentos não são verdadeiros, eles podem discutir a união e inclusive processor o casal se possível.

Alguns esclarecimentos são necessários nesse momento de transição.

Você ainda precisará solicitar um certificado de aprovação, se você quer se casar ou registar-se uma parceria civil até que o regime seja aboilido e a ordem de correção entre em vigor. Os migrantes que estão sujeitos ao controle de imigração deve seguir o processo atual até novo aviso.

A data prevista para encerramento desse regime é 09 maio de 2011, sujeito à aprovação parlamentar. Se quiser casar após 09 de maio de 2011, não precisará de um certificado ou aprovação, conforme regime anterior, todavia, deve-se aguardar a aprovação do Parlamento determinando a ordem de correção, quando não mais haverá nenhuma exigência legal para a obtenção de um certificado de aprovação, após essa data.

Os processos que continuam no Home Office continuam com seus trâmites normais. Assim, as permissões serão processadas até que o regime legal termine.

Quanto ao retorno dos documentos e passaportes que já se encontram no Home Office, começaram a ser devolvidos logo que o sistema atual termine. Entretanto, em alguns casos, eles podem segurar os documentos se, por exemplo, verificarem que você não tem permissão válida para entrar ou permanecer no Reino Unido. Se os documentos forem retidos, a notificação será feita por carta.
Se solicitar o cancelamento e retorno dos documentos antes do dia 09 de maio, deve estar ciente que o sistema atual continua em vigor e não poderá oficilizar a sua união antes dessa data.

Uma vez que o sistema atual é encerrado, ainda há a obrigação de marcar e entregar os documentos necessários para o casamento ou união civil em Cartório. Lembrando que o Home Office tem treinado os empregados dessas repartições para fiscalizar e denunciar casamentos ou uniões civis que considerem com grandes chances de ser falso ou por conveniência.

Por último, há de se observar que essas regras são válidas para quem já está no Reino Unido. Aqueles que pretendem vir se casar aqui ainda continuam obrigados a solicitar o visto de noivo(a) no país de residência e cumprir os requisitos legais para obtenção do mesmo.

Para mais informações sobre como se casar no Reino Unido ou regularisar a sua situação, por favor, entre em contato com a LondonHelp4U. Nós estamos preparados para oferecer-lhe o melhor suporte e toda segurança na solicitação do seu visto.

———————————————————

On March 29, 2011 the government announced the date for closure of the system of prior approval for marriage or union of same-sex couples in the UK. The scheme will be abolished on May 9, 2011, subject to approval by Parliament.
Currently, any immigrant who is already in the UK and is subject to immigration control must request a certificate of approval before he can marry or register a civil partnership in this country (except for those who are getting married within the Anglican Church).
The current system was used in order to prevent bogus marriage or marriage of convenience, however, this system strikes directly universal human rights as the right to marry and raise a family because it is discriminatory.
The British government is now seeking to correct the statement reiterated by courts of the United Kingdom that the scheme was incompatible with Article 14 of the European Convention on Human Rights (read with Article 12). In addition, changes made following decisions of the courts weakened the regime, and is no longer an effective method of preventing false marriage or marriages of convenience.
The process by Parliament for the abolition of the order of measures under the Human Rights Act 1998 is coming to an end. The Order must be approved by both Houses of Parliament for that to happen, the Chamber of Commons and the Lords. The Chamber of Commons passed the order on March 29. During this debate, the Minister for Immigration announced the proposed closing date for May 9, if the House of Lords approved during the debate that occurred on April 04.
Underscores our immigration specialist Humberto Ferrarini entering a fake marriage does not entitle migrants to stay in the UK. The Home Office will continue to investigate suspected abuse and, if possible, prohibit or prevent fake marriages for convenience or to materialize, with preventive actions before they occur. If the Home Office to find out that marriages are not true, they can discuss the union and the couple even processor if possible.
Some clarifications are needed at this time of transition.
You still need to apply for a certificate of approval if you want to marry or register a civil partnership to make the scheme aboilido and order of correction to take effect. Migrants who are subject to immigration control should follow the current process until further notice.
The closing date for this scheme is 09 May 2011, subject to parliamentary approval. If you want to get married after May 9, 2011, will not need a license or approval as the previous regime, however, must await the approval of Parliament by determining the order of correction, if not more there is no legal requirement to obtain a certificate of approval after that date.
The processes that remain at the Home Office continue with their normal manner. Thus, the permissions will be processed until the statutory end.
Concerning the return of documents and passports that are already on the Home Office began to be returned at the end the current system. However, in some cases, they can hold documents, for example, find that you do not have valid permission to enter or remain in the UK. If documents are withheld, the notice shall be made by letter.
If you request cancellation and return of the documents before the 09th of May, should be aware that the current system remains in place and can not oficilizar their union before that date.
Since the current system is closed, there is an obligation to mark and submit the required documents for marriage or civil union in Registry. Recalling that the Home Office has been training the employees of these departments to monitor and report marriages or civil unions to consider with great chances to be false or for convenience.
Finally, we should also note that these rules apply to those already in the UK. Those who want to come here to marry are still required to apply for a visa for fiancé (e) the country of residence and meet legal requirements for obtaining it.
For more information about marrying in the UK or régulariser your situation, please contact LondonHelp4U. We are prepared to offer you the best support and security through your visa request.