Tag: Trabalhe em Londres

Governo Britânico implementa novas regras para beneficiar apenas os melhores estudantes e conter o abuso

Com o objetivo de reduzir o abuso no visto de estudante e garantir apenas que os melhores e mais brilhantes estudantes internacionais permaneçam para trabalhar no Reino Unido, o ministro da imigração, Damian Green, anunciou novas regras, que entrarão em vigor em poucas semanas. Atualmente, os estudantes podem trabalhar por 2 anos após os seus estudos terem sido concluídos, sob o Tier 1 (trabalho pós-estudo). Mas a partir do dia 06 de abril, um sistema mais seletivo entrará em vigor. Somente os estudantes mais talentosos poderão pedir para ficar no Reino Unido para fins de trabalho. Somente aqueles que se formarem em uma universidade, e apresentar uma oferta de trabalho qualificado, com um salário de pelo menos 20 mil libras (ou mais, em alguns casos) feita por um empregador respeitável credenciado pela Agência de Fronteiras do Reino Unido, serão capazes de continuar a viver e trabalhar no país a fim de beneficiar a economia britânica.

As regras são parte de uma reforma radical do sistema de visto de estudante do governo que tem como meta:

  • Incentivar o crescimento – o governo britânico abrirá um sistema de “Estudante Empreendedor”, com até 1.000 vagas para estudantes internacionais que trabalham em idéias inovadoras e querem ficar para desenvolvê-las, mas não atendem aos requisitos do Tier 1 (Empreendedor);
  • Impulsionar a economia – os jovens empresários ou diretores de pequenas empresas terão a chance de ficar no Reino Unido depois de terminados seus estudos, mas devem comprovar 50 mil libras para investir em seus negócios;
  • Garantir que os alunos possam se sustentar – pela primeira vez, desde 2008, haverá um aumento na quantidade de dinheiro que os estudantes e imgrantes, juntamente com seus dependentes, devem comprovar;
  • Evitar o abuso – restringir estágios a um terço para os estudantes internacionais que estudam apenas cursos que não sejam de graduação universitária. Isso vai garantir que aqueles que vêm para o Reino Unido estão aqui para estudar, e não trabalhar (como foi frequentemente o caso no passado). Além disso, o tempo que pode ser gasto em um curso de graduação será restrita a um limite de 5 anos.

Se você se encaixa nos requisitos do Tier 1 fique atento ao seguintes detalhe:

A partir do dia 6 abril, o Home Office deixará de manter os requerimentos abertos pelos empreendedores com pedidos de extensão para o visto com base no Tier 1, enquanto o requerente busca os documentos comprovativos. Atualmente, o órgão mantém os requerimentos em aberto para o estrangeiro levantar as evidências de que foi registrado como diretor ou autônomo, no Reino Unido nos 3 meses anteriores à aplicação. Como o Home Office observou que tal procedimento, introduzido em 2008, não estava sendo utilizado, fez a retirada do serviço. Se você se candidatar a partir de 6 de abril deverá fazê-lo já com todos os seus documentos em mãos, incluindo a evidência dos registros citados acima. A LondonHelp4U tem uma equipe de consultores em imigração devidamente registrados e reconhecidos pelo governo britânico. Além disso, somos agente EnglishUK autorizado, por essa razão tivemos 100% de sucesso em nossos pedidos de visto em 2011. Não confie seu sonho em mãos despreparadas, faça-nos uma visita e garanta seu futuro!

Consultor de Imigração – admissão imediata!

Processo seletivo para Consultor de Imigração – admissão imediata!

Sobre a vaga:

  • Experiência comprovada com requerimentos de vistos junto ao Home-Office;
  • Atendimento  ao cliente via email e telefone, sobre questões imigratórias;
  • Ser familiarizado com processos operacionais que envolvem: requerimentos de cidadania européia, todos os Tier’s, entry clearance e naturalização;
  • Participar de palestras e eventos promovidos pela empresa, entre outras atividades pertinentes ao cargo;
  • Ser proativo quanto às atualizações constantes do UKBA, como preenchimento dos formulários de visto, leis, etc;
  • Fluente em inglês e Português;
  • Full time work permit;
  • Curso superior completo.

Salario + comissão. Interessados enviar CV para info@londonhelp4u.co.uk

Valor salarial é decisivo para trabalhadores que desejam permanecer no Reino Unido

Giselle Ribeiro

O Migration Advisory Committee, (MAC), anunciou, após extensa revisão, que a renda salarial é a melhor maneira de decidir se um trabalhador pode ficar no Reino Unido. Com início em junho deste ano, o estudo realizado pelo MAC a pedido do governo teve como principal missão identificar os critérios econômicos mais adequados para determinar quais trabalhadores na categoria Tier 2  podem instalar-se definitivamente no Reino Unido, e quais seriam os efeitos econômicos de restringir ou retirar esses direitos. O objetivo era identificar um salário que impediria qualquer patrocinador, seu cônjuge e seus dependentes de se tornarem um fardo para o Estado, através dos benefícios. Ficou considerado que o limite de renda mínima deve ser a mesma de um residente britânico para poder patrocinar um cônjuge, companheiro ou dependente para que o mesmo tenha direito de permanecer no Reino Unido, sob a rota famíliar.

Um salário mínimo entre £ 18.600 e £ 25.700, antes do imposto, deve ser introduzido para os residentes que desejam patrocinar um sócio ou dependente para a cidadania. Atualmente, o limite é uma renda anual de £ 5.500, depois dos impostos, excluindo os custos de habitação. Isto é equivalente a £ 13.700 antes de impostos e incluindo custos de moradia. Os limiares são baseados no nível de renda em que uma família não tem direito a benefícios do Estado ou, pelo menos, contribui tanto para as finanças públicas, uma vez que consome estes serviços. A faixa salarial de £ 18.600 reduzirá o nível de conceções para permanência, através da via familiar, em 45 por cento. Ainda, um mínimo de £ 25.700 reduziria em 63 por cento, afirmou MAC. O professor David Metcalf, presidente do órgão disse: “As nossas recomendações são feitas em uma base puramente econômica e reconhecemos que a imigração da família não é determinada somente pela economia. No entanto, nossa análise sugere que há justificativa para o aumento do limite salarial.”

Os efeitos de qualquer mudança não serão totalmente sentidos até 2016. Isso vai dar tempo para os empregadores e para o governo trabalharem em conjunto para melhoria das qualificações da força de trabalho. Em um relatório separado do MAC, também foi recomendado que relaxar as restrições de emprego atual sobre os trabalhadores da Bulgária e da Romênia causaria novas perturbações no mercado de trabalho no Reino Unido. O governo tem a opção de levantar os controles de transição no final de 2011 ou mantê-los no lugar por mais dois anos, quando deve ser levantado nos termos da legislação da UE. Entretanto, há um risco de que isso teria um impacto adverso sobre o mercado de trabalho no Reino Unido pois tais restrições poderiam aumentar o número desses trabalhadores dentro do país. Professor Metcalf disse: ” O mercado de trabalho do Reino Unido está seriamente perturbado e há um risco que o levantamento das restrições agravaria isso.“ Por isso caro leitor, não hesite e venha para a LH4U. Aqui nós temos uma time de advisers devidamente registrados e capacitados para lidar com o seu caso.

Ministério das Fronteiras anuncia restrição para trabalhos a imigrantes

Giselle Ribeiro

Trabalhos especializados que não são mais necessários no Reino Unido serão removidos da lista já aprovada pelo governo, para ajuda a garantir que somente entrarão no Reino Unido trabalhadores imigrantes necessários ao país. O processo de redução de cargos para imigrantes é considerado parte da rota de imigração Tier 2 através do Sistema Baseado em Pontos. Imigrantes altamente qualificados, não membros da União Européia, a procura de experiência profissional no Reino Unido devem solicitar vistos por esta via. O governo aceitou, no dia 18 de outubro, as recomendações do órgão independente Migration Advisory Committee (MAC), responsável por gerenciar o número de vagas de trabalho abrangidos pela lista, a proposta da redução de 40 mil cargos. O total de vagas de trabalho foi suprimido de 230.000 para 190.000. Apenas uma minoria desses empregos serão preenchidos por trabalhadores imigrantes. O MAC fundamentou a proposta em provas onde de uma série de indústrias e setores mostraram trabalhadores residentes disponíveis para preencher as vagas de trabalho. Ministro da Imigração, Damian Green, disse: “Juntamente com os limites impostos para trabalhadores estrangeiros, também estamos tomando medidas para fornecer às empresas com as habilidades que eles precisam da força de trabalho britânica e reduzir a necessidade da contratação de imigrantes.”

Os cargos recomendados pelo MAC para remoção incluem:

  • Professores de biologia do ensino secundário;
  • Terapeutas da fala;
  • Farmacêuticos;
  • Ortopedistas;
  • Veterinários, e,
  • Classificação e arquivo de músicos de orquestra.

Adicionados à lista serão:

  • atuários;
  • Soldadores de tubos de alta integridade;
  • Cientistas ambientais e,
  • Geoquímicos

O governo aceitou a lista recomendada pelo MAC na íntegra. No entanto, o cargo ‘classificação e arquivo de músicos de orquestra’ não será removido da lista imediatamente, mas somente quando novas discussões acontecerem com a indústria, e houver mais conhecimento sobre o mercado de trabalho residente. A lista, já revisada, entrará em vigor a partir de 14 de novembro de 2011. Isso significa que:

  • Para as solicitações de visto cobertas pelo limite anual, a nova lista será aplicada a todas as solicitações através do Tier 2 para certificados restritos de patrocínio feitos em ou após 14 novembro de 2011.
  • Para solicitações fora do limite anual, a nova lista será aplicada a todos os certificados irrestritos de patrocínio atribuídos aos imigrantes em ou após 14 de novembro de 2011.

Como resultado, empregadores só poderão trazer profissionais para o Reino Unido, na categoria Tier 2, se o cargo estiver na lista das ocupações escassas estipuladas pelo MAC. Ademais, o cargo deve passar por um teste de mercado de trabalho para que fique constatado que não há residentes adequados para a vaga, e o mesmo deve ter sido anunciado no mínimo 4 semanas antes da contratação do imigrante.