Tag: visto de estudante

Saiba tudo sobre as alterações nas solicitações de visto de estudante Tier 4

O Home Office está constantemente anunciando mudanças nas leis de imigração e, a partir de 5 e 12 de novembro, algumas coisas mudam para quem tem intenção de estudos no Reino Unido. São elas:

Alterações nas solicitações de Visto de Estudante para o Tier 4 (General) Student, que entrarão em vigor a partir do dia 5 de novembro de 2015

  • Os estudantes que não forem do Reino Unido e que solicitarem um visto Tier 4 Geral (Estudante) para um programa abaixo do nível de graduação (Diploma Fundação Internacional e Programas de Ingês Pré-Sessional), devem apresentar prova de domínio da língua inglesa por meio de um teste, o UKVI, aprovado pelo IELTS. Serão considerados válidos apenas os testes feitos a partir do dia 6 de abril de 2015. Os alunos de dentro do Reino Unido também podem utilizar testes da Trinity English Tests, também realizados a partir do dia 6 de abril de 2015.

 

Alterações nas solicitações de Visto de Estudante para o Tier 4 (General) Student, que entrarão em vigor a partir do dia 12 de novembro de 2015

 

  • A quantia exigida para manter-se em Londres será de £1,265 por mês para um máximo de 9 meses = £ 11,385 por ano.
  • Para fora de Londres, o aumento será de £1,015 por mês para um máximo de 9 meses = £ 9.135.
  • Remoção da regra “presença estabelecida”: todos os alunos que solicitarem um visto de dentro do Reino Unido devem demonstrar ter fundos suficientes para se manterem de até, no máximo, nove meses.
  • Tier 4 (General): os estudantes de dentro do Reino Unido que estão cursando A Levels, HND ou programas equivalentes em uma faculdade, não serão capazes de solicitar o visto Tier 4 (General) para iniciarem seus estudos na universidade. Eles devem solicitar de fora do Reino Unido, a menos que eles estejam estudando em uma faculdade em que aulas UKVI são “embutidas como via de programas”.
mudanças tier 4

As principais mudanças anunciadas do Tier 4, visto de estudante no Reino Unido

A cada semana temos novidades vindas do Home Office a respeito das mudanças nos vistos para o Reino Unido. Essa semana anunciaram mudanças no Tier 4, visto de estudante. A gente traz detalhes para você ficar informado.

Novos alunos em faculdades públicas financiadas pelo governo serão impedidos de trabalhar no Reino Unido.

A partir do “outono”, “os estudantes universitários” não serão capazes de mudar para um visto de trabalho ou prolongar seu visto de estudo, enquanto eles estão no Reino Unido.

As regras em torno de progressão acadêmica estão sendo esticados de modo que os estudantes universitários só serã autorizados a estender os seus estudos no mesmo nível acadêmico, se o curso que desejam estudar está ligado ao seu curso anterior, ou se a universidade confirma que o curso apoia as aspirações de carreira do aluno. O limite de tempo para a extensão da educação será reduzido de três para dois anos no “outono”.

A exigência de fundos para alunos sob o Tier 4 está a aumentar, juntamente com o montante máximo pago pela acomodação que pode ser compensado com a exigência financeira. A regra que permitiu alunos a estenderem a data de saída dentro do Reino Unido e para mostrar fundos financeiros suficientes por apenas dois meses está sendo removida.

A aplicação das regras relativas aos prazos está a ser “esclarecida”, de modo que o tempo que um estudante já ficou estudando no Reino Unido é calculado usando o período total do tempo permitido que já foi anteriormente concecido a ele.

Mudanças estão sendo feitas para permitir que um visto Tier 4 seja emitido em linha com a data que o aluno tem intenção de viajar.

Condições de estudo estão sendo alteradas para evitar que aqueles que têm o Tier 4 estudem nas academias ou escolas mantidas por uma autoridade local. Aqueles que desejam fazer um foundation para se preparar para ingresso no ensino superior também estão sendo impedidos de fazê-lo sob a rota do Tier 4 (Crianças).

As regras estão sendo atualizadas à medida que as responsabilidades das organizações patrocinadoras e a terminologia forem mudando.

 

 

Se tiver qualquer dúvida, fale conosco no 020 7636 8500, nos escreva no info@londonhelp4u.co.uk ou preencha qualquer formulário de contato em nosso site!

Magnifying glass in the hand against Big Ben in London

Estudantes estrangeiros serão proibidos de trabalhar e forçados a deixar o Reino Unido quando seus estudos acabarem

Fonte: Daily Mail

Os estudantes estrangeiros devem ser proibidos de trabalhar na Grã-Bretanha sob uma nova ofensiva sobre a imigração ordenada pela Home Secretary Theresa May.

Quando terminar os cursos eles terão de deixar o país antes de solicitar outro visto para voltar ao Reino Unido para um trabalho.

Ministros dizem que as novas regras, que se aplicam a todos aqueles de fora da União Europeia, vão impedir que faculdades e colleges sejam usadas como uma “porta dos fundos para um visto de trabalho britânico”.

Os números oficiais mostram que 121 mil estudantes de fora da UE entraram no Reino Unido em 12 meses até junho do ano passado, mas apenas 51.000 o deixaram – um influxo líquido de 70.000.

O governo estima que o número de estudantes estrangeiros que vêm para o Reino Unido vai aumentar mais de 6 por cento ao ano até 2020. Home Secretary Theresa May tomou medidas contra 870 faculdades falsas, proibindo-os de receber estudantes estrangeiros.

Mas os conservadores prometeram ir mais longe, sem os Lib Dems no poder para forçar as regras a serem diluídas.

Eles querem que os vistos de estudante parem de ser utilizados como uma maneira fácil de entrar no Reino Unido antes de conseguir um emprego e depois solicitar benefícios do governo.

Segundo as novas regras, os estudantes não pertencentes à UE não terão permissão de trabalho enquanto no Reino Unido e não serão capazes de pedir uma extensão de visto quando terminarem o seu curso.

Os estudantes terão de deixar o país antes de solicitar o retorno ao Reino Unido sob um visto de trabalho.

Também estão esperando reduzir o tempo de permanência para dois anos quando os planos forem revelados esta semana.

O ministro da Imigração James Brokenshire disse que era “parte de nosso plano para controlar a imigração para o benefício da Grã-Bretanha.”

“Infratores de imigração querem vender o acesso ilegal ao mercado de trabalho do Reino Unido e há uma abundância de pessoas dispostas a comprar.

‘Contribuintes que trabalham duro estão ajudando a pagar por colégios com financiamento público e esperam que eles estejam oferecendo ensino de altíssima qualidade, não uma porta dos fundos para um visto de trabalho britânico.’

Sajid Javid, Secretário de Negócios, disse na sexta-feira (10) que o governo iria evitar que o sistema de educação sofresse abuso de imigrantes.

Ele disse: “O que precisamos deixar claro é que nosso sistema de imigração permite que venham imigrantes que querem vir ao Reino Unido para estudar em nossas universidades renomadas, nossos fantásticos colleges”, disse a um programa.

“Mas também precisamos ter um Sistema que não permite nenhum abuso quando as pessoas estão usando o direito de estudo como uma maneira de alcançar a residência permanente na Grã-Bretanha”.

“Então nós temos de quebrar o vínculo e se certificar que o sistema é focado nas pessoas que querem estudar e então, assim que completaram seus estudos, deixam o país”.

Mas as universidades têm advertido que qualquer repressão poderia danificar o setor e líderes de negócios também estão atentos com o movimento, advertindo que poderia roubar a Grã-Bretanha de habilidades vitais.

Seamus Nevin, líder de emprego e competências no Instituto de Administração, disse: “As propostas do Secretário de Negócios para mandar embora estudantes estrangeiros após a graduação são equivocadas e prejudicaria o sistema de ensino britânico, a nossa economia e influência global.

A Grã-Bretanha já torna difícil e caro o acesso para estudantes internacionais de entrar e permanecer, e agora estas propostas irão vergonhosamente mandá-los embora quando seus estudos acabarem.

“Restringir trabalhadores talentosos de ficar no Reino Unido iria prejudicar negócios e levar a uma perda de habilidades importantes.

“Fechando a porta para graduados internacionais altamente treinados numa altura em que a nossa economia precisa ainda mais dele seria extremamente prejudicial para as empresas do Reino Unido.

“No interesse do nosso setor de educação, das nossas empresas e da nossa posição internacional, o secretário de Negócios deveria reconsiderar esta proposta.”

beautiful woman posing calling hand gesture with a London phonebox behind her

Entenda a diferença entre o visto de estudante no Reino Unido como visitante e o visto de estudante Tier 4

Quer saber mais sobre visto de estudante no Reino Unido?

Sem dúvida, o sonho de muitos é estudar no Reino Unido, em especial a Inglaterra. Se for Londres, melhor ainda, certo?

Mas a gente também sabe que essas questões de visto são uma confusão na cabeça da maioria das pessoas. Como bons especialistas, a LondonHelp4U vai explicar direito como funciona o visto de estudante no Reino Unido, que pode ser o visto de estudante como visitante (Student Visitor) ou o Tier 4 e qual é a melhor opção que você pode fazer. Vamos lá!

Student Visitor – Visto de Estudante no Reino Unido como Visitante

Basicamente, é o mais comum de todos e o mais simples. Veja as suas exigências:

– apenas para cursos que não exigem comprovação de nível mínimo de inglês, ou seja, cursos gerais de inglês

– cursos com duração de, no máximo, 11 meses

– é necessário a carta da escola com a matrícula no curso

– comprovar recursos financeiros (se a cidade escolhida for Londres, precisa demonstrar £1,020 mensais e se for outra do Reino Unido é necessário £820 mensais), que precisam estar na conta do requerente por no mínimo 3 meses antes da solicitação, lembrando que, quanto maior o período que o dinheiro estiver disponível, melhor, e qualquer pessoa com a intenção de desenvolver o potencial do solicitante pode patrocinar essa quantia, como os pais, vôs, família, empresa etc.

Se a sua intenção é permanecer no Reino Unido entre 6 e 11 meses, você deve requerer seu visto antes de viajar. Se o seu curso tiver duração de até 6 meses, você pode receber seu visto no aeroporto, mas você deve ter a carta de matrícula da escola antes de chegar do mesmo jeito.

Além dessas exigências básicas, é essencial mostrar intenção de retornar ao país de origem após o período de estudos como, por exemplo, mostrar que vai continuar a trabalhar no país de origem ou mesmo estudar, e comprovar vínculos familiares e profissionais.

Lembrando que sua solicitação de visto deve ser feita pessoalmente no Consulado Britânico do seu país de origem.

Agora, há também uma nova exigência: estudantes devem pagar £150 para o Home Office para usufruir do NHS, serviço de saúde pública do Reino Unido, antes de submeter a solicitação do visto.

Se você quiser estender seu visto, você não pode fazer isso em território britânico e deve voltar ao seu país de origem novamente.

E trabalhar, pode?

Não, com o Student Visitor você não tem permissão de trabalho no Reino Unido.

 

Tier 4

Vamos falar agora do Tier 4, o visto de estudante no Reino Unido.

Para estudar no Reino Unido, e caso tenha intenção de estudar em cursos com duração superior a 11 meses, você deve solicitar o visto Tier 4 e precisa cumprir algumas condições, que são:

– ter uma oferta para fazer um curso numa instituição de ensino reconhecida pela Agência de Imigração do Reino Unido (UK Border Agency)

– ter dinheiro suficiente para se manter durante o curso

Até aí tudo certo, fácil de entender. Mas agora vamos entrar no assunto dos pontos. Mas como assim? Veja só:

Para requerer um visto nessa categoria, o estudante deve atingir 40 pontos, que são divididos assim:

30 pontos, que você ganha com o “visa letter” que contém o nº do CAS.
O nº do CAS é número eletrônico com a comprovação de matrícula em instituição de ensino licenciada pela Agência de Imigração do Reino Unido (UK Border Agency), onde deve constar que o estudante possui o nível mínimo de inglês B1 para o General English e B2 para cursos de graduação, pós-graduação e MBA e a certificação deve ter sido expedida pelo IELTS, que, atualmente, é a única reconhecida pelo Home Office para pessoas que fazem a solicitação de visto pelo Brasil.

Em casos de universidades, algumas podem fazer o teste próprio para aceitação do estudante sem a necessidade do IELTS, isso porque a elas são permitido verificar o nível de inglês do estudante antes de começar o curso.

10 pontos, que você ganha comprovando recursos financeiros.

Candidatos ao Tier 4 deverão comprovar que possuem recursos financeiros para os custos de sua estadia no Reino Unido, sem a necessidade de recorrer à ajuda de terceiros ou de trabalhar no País. E esse dinheiro só pode ser proveniente do próprio estudante ou dos pais dele.

Segundo estipulado pela Agência de Imigração do Reino Unido (UK Border Agency), a quantia necessária é de £1,020 mensais para quem pretende estudar em Londres e £820 mensais para quem optar por outra cidade. Solicitantes cujo curso tem duração de mais de nove meses devem apresentar apenas o total de £9,180 em conta, ainda que o curso seja superior a 9 meses.

Este montante deve estar disponível em conta corrente do próprio estudante ou dos pais com no mínimo 30 dias de antecedência à solicitação.

Para o Tier 4, o importante é apenas informar por que você está fazendo o curso e como ele vai aprimorar sua carreira e as prospectivas que você tem com esse objetivo.

Para os solicitantes, também há a nova exigência do pagamento de £150 para o Home Office para usufruir do NHS, serviço de saúde pública do Reino Unido, antes de submeter a solicitação do visto.

A grande diferença do Tier 4 é que você pode extendê-lo dentro do território britânico, sem precisar voltar ao Brasil.

Lembrando que sua solicitação de visto deve ser feita pessoalmente no Consulado Britânico do seu país de origem ou dentro do Reino Unido, se você já tiver algum outro visto de permanência em solo britânico.

E trabalhar, pode?

Depende do curso. Se for um curso a nível de graduação, com o Tier 4 você tem permissão de trabalho no Reino Unido de até 20 horas semanais e 40 horas semanais durante as férias escolares.

Quem vem para fazer cursos de inglês ou qualquer outro que não seja de universidade, não tem permissão de trabalho.

 

Esperamos ter esclarecido todas as suas dúvidas!

A LondonHelp4U trabalha há 14 anos com vistos para o Reino Unido e está com as portas abertas para te receber e tirar suas dúvidas a respeito deste e de qualquer outro visto.

Fale conosco no info@londonhelp4u.co.uk, ligue pra nossa agência no 020 7636 8500 ou preencha o formulário abaixo que retornaremos muito em breve a sua solicitação.

dublin 02

Irlanda aperta as regras para trabalho durante intercâmbio

dublin 02

Má notícia para quem vai bancar os estudos na Irlanda com trabalho no país. É que o governo irlandês apertou as regras para quem se divide entre as aulas e o trabalho durante intercâmbio.

Pelas novas diretrizes, o estudante só poderá trabalhar 40 horas semanais nos meses de férias irlandesas (maio, junho, julho, agosto) e durante o recesso de fim de ano, que vai de 15 de dezembro a 15 de janeiro. Antes, também era possível trabalhar 20 horas semanais durante o período de aulas para quem tinha visto de estudante válido por um ano.

De acordo com Ana Luisa D’Arcadia de Siqueira, diretora de marketing da Global Study, mais mudanças podem surgir já que é grande o número de estrangeiros que se matriculam em cursos penas para conseguir o visto e não frequentam as aulas.