Year: 2012

Visto para fins religiosos

Visto para fins religiosos

Giselle Ribeiro

Caro leitor, em resposta aos muitos emails que temos recebido com perguntas sobre visto para fins religiosos decidimos escrever esse artigo para melhor informá-lo. Primeiro de tudo, se você deseja vir para o Reino Unido como um Ministro Religioso – em missão pastoral – ou para ocupar um cargo como membro de uma ordem religiosa na comunidade você deve ter certeza que o seu patrocinador (o ministério religioso que o convida) é uma organização religiosa genuína (bona fide), e possui registro junto ao Ministério de Fronteiras Britânico. Uma ordem religiosa é definida, para esse fim, como uma linha de pensamento ou comunidade de pessoas que vivem, de alguma forma, de acordo com suas especificidades e crenças religiosas. A instituição religiosa deve ser:

• Registrada, como órgão de caridade, no Reino Unido de acordo com a legislação pertinente em vigor; ou

• Uma corporação eclesiástica (ou empresa individual ou coletiva) criada para fins de caridade.

No entanto, se o patrocinador é uma instituição de caridade que não é registrada de acordo com a legislação pertinente você deverá explicar a razão do não-registro em sua aplicação. A organização religiosa também deve ser a estrutura de uma comunidade baseada na fé com um sistema comum de crenças espirituais, códigos de conduta e prática religiosa, que existe para apoiar e / ou propagar práticas comuns, não excluindo de sua comunidade religiosa com base no sexo, nacionalidade ou etnia do indivíduo. Ademais, deve receber apoio financeiro e material para o ministério religioso da congregação de forma voluntária, sem o uso de coerção e não violar, ou encorajar outros a violar qualquer legislação do Reino Unido, e ainda não operar contra o interesse público, ou de forma negativa, sobre a vida pessoal ou familiar como estes são comumente entendidos no Reino Unido.

Existem duas categorias de visto para fins religiosos dentro do sistema baseado em pontos – o Tier 2 e Tier 5. Há algumas diferenças entre ambas as categorias, veja quais são:

Tier 2 Tier 5
Duração 3 anos – podendo ser prorrogado por mais 3 anos, mas não dá o direito a permanência difinitiva 24 meses
Valor mínimo de dinheiro em conta para obtenção do visto carta do banco comprovando valor mínimo de 3.000,00 reais por pelo menos 90 dias antes da aplicação do visto carta do banco comprovando valor mínimo de 3.000,00 reais por pelo menos 90 dias antes da aplicação do visto
Nível mínimo de inglês B2 Não há necessidade
Pontos necessários 70 pontos: 50 para certificado de patrocínio, 10 para evidência financeira, e 10 para nível de Inglês 40 pontos: 30 para certificado de patrocínio, e 10 para evidência financeira

Seu patrocinador deseja comprovar sua manutenção financeira

Seu patrocinador deve providenciar uma carta em papel timbrado oficial, contendo os dados do aplicante, número do certificado de patrocínio e confirmação da manutenção financeira por escrito. Mas, lembre-se que você deve fornecer o certificado com número de registro do patrocinador mesmo se o seu patrocinador não for financiar a sua estadia, esse documento é fundamental para o sucesso de sua aplicação e só pode ser obtido se o seu patrocinador tiver registro junto ao ministério de Fronteiras britânico.

Na LondonHelp4U temos uma equipe de consultores de imigração experientes para ajudá-lo. Garantimos 100% de sucesso em seu pedido de visto ou o seu dinheiro de volta!

mudanças significativas nas regras de pedidos de residência

Governo Britânico estabelece mudanças significativas nas regras de pedidos de residência

Giselle Ribeiro

Na segunda semana de junho de 2012, o Governo britânico anunciou mudanças significativas nas regras de imigração para cidadãos não membros da União Européia, em processo de requerimento de entrada ou permanência no Reino Unido, com base em sua relação familiar com um cidadão britânico ou uma pessoa estabelecida no Reino Unido. Em 2010, esse tipo de concessão representou cerca de 18% de todos os pedidos de visto provenientes de  cidadãos não membros da União Européia para o Reino Unido; cerca de 54.000 pessoas para cada 300.000. As novas regras de imigração também irão unificar a consideração no âmbito da legalidade do artigo 8º, da Convenção Européia dos Direitos Humanos, que basicamente afirma que todos têm direito ao respeito pela sua vida privada e familiar, definindo a base sobre a qual uma pessoa pode entrar ou permanecer no Reino Unido, tendo como meios sua família ou vida privada.

As novas regras já foram consideradas e discutidas pelo Parlamento, e já tem data para serem implementadas. A maioria dessas alterações serão aplicadas a candidatos que requererem seus vistos a partir de 09 de julho de 2012; sendo válodas, em geral, para noivo(a) de uma proposta de parceria civil, cônjuge, companheiro não casado, ou companheiro do mesmo sexo, a menos que indicado de outra forma, ou o contexto imponha interpretações diferentes. As mudanças fazem parte do programa do Governo para reformar as rotas de imigração, e tiveram ampla consulta e aconselhamento do Comitê de Consultoria em Imigração do Reino Unido.

Saiba mais sobre as mudanças:

►introdução de um novo patamar de renda mínima de £18.600 para patrocínio de cônjuge ou companheiro, noivo(a), ou parceiro civil do mesmo sexo; renda mínima de £ 22.400 para uma criança, e um extra de  £2.400 para cada criança adicional;

►publicação de lista de fatores associados aos relacionamentos genuínos e não genuínos, para ajudar os assistentes sociais na identificação dessas questões;

►alargamento do período probatório mínimo para parceiros de britânicos de dois para cinco anos, a fim de testar a autenticidade da relação;

►fica abolido a residência imediata para os cônjuges de parceiros britânicos, mesmo se o casal tiver vivido juntos por pelo menos quatro anos fora do Reino Unido, obrigando-os a concluir o período probatório de cinco anos;

►a partir de outubro/2013 será mandatório que todos os candidatos para a residência tenham passado pelo teste “Life in the UK”, e o nível de inglês será mais avançado, passando de A1 para nível B1;

►permitir que dependentes adultos e idosos tenham direito à residência, apenas se puderem demonstrar que devida à doença, idade ou deficiência, exijam cuidados de longa duração pessoal, que só pode ser fornecida pelo parente que reside no Reino Unido, sendo que o requerimento de residência deverá ser feito fora do Reino Unido, ficando proibido a troca de categoria; e

►restringir apelos da família para concessões de troca de categoria (visitante para residente), através do estreitamento das atuais definições de família e patrocinador para fins de recurso, e, em seguida, sujeito à passagem pelos Tribunais de Contas e Crime, que foi publicado em 11 de Maio de 2012, onde ficou revogado o pleno direito de recurso contra recusa de um visto de visita familiar.

Além disso, como você já deve saber, o teste Life in the UK vai ficar mais difícil. E o melhor de tudo é que você não tem que esperar até perto do final do seu visto para fazê-lo, pois o teste não perde o valor. Por isso, ofereceremos o curso de preparação para o teste, antes das mudanças, nos dias 30 de junho e 01 de Julho/2012. Na LondonHelp4U estamos comprometidos a fornecer a informação correta sobre os seus direitos; damos garantia de 100% ou seu dinheiro de volta!

Fonte: UKBA

Preencha o formulário abaixo, marque sua consulta e tire suas dúvidas.

Nome

E-mail

Telefone:

O que você precisa?

Data pretendida:

Hora pretendida:

Mensagem:

Como ouviu falar da LondonHelp4u?

Por favor, digite o que você vê na imagem:
captcha

Li e concordo com os Termos e Condições Gerais da LondonHelp4U

cidadão não europeu pode obter residência no Reino Unido

Como um cidadão não europeu pode obter residência no Reino Unido

Se você é um cidadão da Comunidade Européia pode solicitar a residência no Reino Unido. De acordo com o direito europeu, você não precisa desta documentação. No entanto, se precisa apoiar um pedido de residência para qualquer membro da sua família que não seja cidadão europeu, você deve demonstrar que é residente no Reino Unido. Para isso, você precisa comprovar alguns requesitos exigidos pelo Home Office, que são:

– estar morando no Reino Unido por um período contínuo de 5 anos;

– estar empregado ou provar o status de autônomo;

– ou estar estudando;

– comprovar autonomia econômica, ou seja, ter fundos suficientes para sustentar a família sem necessidade de fundos públicos;

– ou ser aposentado;

– ou estar em busca de trabalho.

Por outro lado, o membro não europeu da família de um cidadão europeu também terá que ter uma licença para entrar e estar no Reino Unido. Este documento é uma forma de autorização semelhante a um visto. Além disso, a pessoa terá que comprovar que vai viver com o cidadão europeu no país de forma permanente ou a longo prazo. Também se o membro não europeu estiver vindo para cá, ele deverá fazê-lo em companhia do cidadão europeu, ou comprovar que vai se juntar ao mesmo assim que chegar. Esses são basicamente os primeiros passos rumo à residência.

Confirmação do direto de residência

Se um cidadão da Comunidade Européia ou da Suíça vive no Reino Unido, em conformidade com as leis de Imigração  de 2006, os membros da sua família que não são  cidadãos europeus ou suíços também têm o direito de viver aqui. Basta aplicar para o “cartão de residência”.  Este é um documento que confirma o seu direito de residência ao abrigo da legislação européia. Este cartão de residência pode ser considerado como um endosso (também denominado de “vinheta”) no passaporte do cidadão não europeu, ou pode ser um documento separado chamado de “documento comprovativo do estatuto de imigração”. Um cartão de residência é normalmente válido por 5 anos a partir da data em que é emitido.

Quando o cidadão não europeu viveu aqui durante um período ininterrupto de 5 anos com o europeu ou com um membro de nacionalidade suíça, desde que comprove que teve um emprego, ou foi autônomo, ou frequentou algum instituto educacional, ou mesmo teve condições econômicas auto-suficientes no Reino Unido ao longo desses 5 anos, pode aplicar para a residência permanente no país.

O que a pessoa precisa é obter documentos que comprovem o seu direito de residência, que são o passaporte válido do cidadão não europeu; o passaporte válido ou carteira de identidade do cidadão europeu; evidências do relacionamento entre ambas as partes; duas fotos tipo passaporte do não europeu. Também devem ser anexadas ao processo evidências de que o cidadão europeu está exercendo seus direitos de acordo com o Tratado Europeu caso esteja aplicando para o “cartão de residência” ou visto de família; e por fim, evidências de que o cidadão não europeu tem direitos de residência no Reino Unido.

Mas preste atenção, você pode ser prejudicado se não obter essa confirmação, como por exemplo:

• você pode ter dificuldade em provar que reside legalmente no Reino Unido;
• se você deixar o Reino Unido, você geralmente precisa obter uma licença de família de cidadão membro da Comunidade Européia antes de retornar aqui, a fim de garantir a readmissão como membro da família do já citado cidadão europeu, e;
• você pode ter dificuldade para obter ou mudar de emprego.

Se você pretende entrar com um pedido de residência no Reino Unido e tem alguma dúvida, a LondonHelp4U pode ajudar.  Com uma equipe de consultores em imigração devidamente registrados e reconhecidos pelo governo britânico, obtivemos 100% de sucesso em nossos pedidos de visto em 2011. Confie o seu futuro em quem sabe o que faz!

Preencha o formulário abaixo, marque sua consulta e tire suas dúvidas.

Nome

E-mail

Telefone:

O que você precisa?

Data pretendida:

Hora pretendida:

Mensagem:

Como ouviu falar da LondonHelp4u?

Por favor, digite o que você vê na imagem:
captcha

Li e concordo com os Termos e Condições Gerais da LondonHelp4U

Governo britânico extingue visto para 27 áreas profissionais

Governo britânico extingue visto para 27 áreas profissionais

O Governo britânico está empenhado em reduzir a imigração para níveis considerados por ele como sustentáveis. Em um momento de alto desemprego, o governo acredita ser certo os empregadores no país procurarem primeiro mão-de-obra no mercado local. Ao mesmo tempo, entende que os trabalhadores qualificados do exterior podem desempenhar apoio importante na economia britânica.

Diante disso, o governo encomendou ao Comitê Consultivo para Migração (MAC) um estudo sobre o limite anual de imigrantes sob o visto do Tier 2 para o anuênio 2012/13. O estudo recebeu informações de mais de 130 organizações de  todo o Reino Unido. Após cuidadosa consideração do relatório, o governo decidiu que o limite de Tier 2 (Geral) permanecerá em seu atual nível de 20.700 aceitações de vistos para 2012/13 e 2013/14.

No entanto, esta mudança resultou em 27 ocupações que não serão mais elegíveis ao visto sob o Tier 2. Entre eles estão técnicos de TI e gestores de segurança, ou seja, esses postos de trabalhos não serão mais abertos aos trabalhadores vindos de países não pertencentes à Comunidade Européia. Por outro lado, ocupações altamente qualificadas, como engenheiro, professor, arquiteto, ou químicos ainda estarão disponíveis. Mas o governo britânico fez uma alteração que também atinge estes trabalhadores: elevou o nível de competência mínima para um trabalho qualificado de nível 4 para nível 6, ou seja, não serão mais aceitos apenas diplomas de Segunda Grau. O candidato deverá apresentar diploma universitário.

Também as regras para posições com salários altos – em torno de  £ 70.000 – e trabalhos que requerem doutorado serão flexibilizadas. Isso vai reduzir a burocracia, uma vez que as empresas não precisarão mais anunciar vagas através JobCentrePlus, onde por sinal, não são susceptíveis em obter candidatos a esses tipos de postos. Porém, ainda terão que anunciar a vaga, mas de forma mais ampla e seguindo o Código de Prática do Reino Unido. Para os candidatos em potencial é necessário que falem inglês em um nível intermediário e a proposta salarial do emprego deve estar em acordância aos requisitos específicos do cargo no país.

Essas novas regras já foram aprovadas e já fazem parte da lei imigratória desde o dia 6 de abril. A data foi, inclusive, considerada como o início do calendário anual do Home Office para aplicações dos vistos para o Tier 2. Porém, elas entrarão efetivamente e definitivamente em vigor a partir do dia 14 de junho, pois o Home Office entende que as empresas precisam de um tempo hábil para se adequarem, assim também como os imigrantes candidatos às vagas.

Ocupações extintas para vistos

Gestores de clientes
Gerentes de escritório
Gestores de segurança
Gestores da saúde
Gerentes de asilos e creche
Gerentes de produção animal, silvicultura e pesca
Gerentes da área de eventos e exposições
Gerentes de imobiliárias
Gestores de empresas de reciclagem
Tecnólogos e técnicos de arquitetura urbanismo

Inspetores de construção
Técnicos de Operações de TI
Paramédicos
Técnicos da área médica e odontológica
Oficiais do navio

Estimadores e avaliadores
Técnicos financeiros e contábeis
Compradores e diretores de compras
Profissionais de marketing e associados
Oficiais de proteção ambiental e conservação
Profissionais de nível intermédio de serviços públicos
Consultores e especialistas em orientação profissional
Examinadores legais
Higienistas ocupacionais e escritórios de segurança (saúde e segurança)

 Ocupações de alta qualificação em escassez no Reino Unido

Engenheiros de planejamento e controle de qualidade
Profissionais de software
Médicos
Psicólogos
Farmacêuticos / farmacologistas
Dentista
Veterinários
Profissionais docentes universitários
Professores do ensino secundário
Professores do ensino básico e de educação infantil
Profissionais da educação para portadores de necessidades especiais
Pesquisadores científicos
Pesquisadores das ciências sociais
Advogados, juízes e médicos legistas
Contabilistas
Assistentes sociais
Oficiais de liberdade condicional
Bibliotecários
Arquivistas e curadores
Parteiras
Enfermeiros
Radiologistas
Pedicuro
Fisioterapeutas
Fonoaudiólogos
Terapeutas ocupacionais
Jornalistas, editores de jornais e periódicos
Pilotos de aeronaves e engenheiros de vôo
Especialistas em Tributação

Vale lembrar que a LondonHelp4U tem uma equipe de consultores em imigração devidamente registrados e reconhecidos pelo governo britânico. Além disso, somos agente EnglishUK autorizado, por essa razão tivemos 100% de sucesso em nossos pedidos de visto em 2011. Não confie seu sonho em mãos despreparadas, faça-nos uma visita e garanta seu futuro!