Month: July 2015

Custos judiciais de divórcio no Reino Unido irão aumentar em um terço

Olá pessoal!

Você está planejando pedir um divórcio no Reino Unido? Portanto, temos uma notícia para você e é melhor fazê-lo até o final do verão. Explicamos o porquê.

Até o final deste ano, maridos ou esposas que querem dar fim ao seu casamento vão pagar £550 para um tribunal civil na Inglaterra e no País de Gales, um aumento de £140.

O Ministério da Justiça disse que os aumentos da taxa, embora não agradáveis, eram necessários e assegurarão que os ricos, não os vulneráveis, paguem mais.

As medidas estão descritas em uma carta ao Chairman of the Justice Select Committee Robert Neill da courts minister Shailesh Vara.

Em 2013, o Ministério da Justiça anunciou os primeiros planos para aumentar as taxas de divórcio de £410 para £750, uma alta de mais de 80%. No entanto, após “considerar cuidadosamente” preocupações levantadas em uma consulta, esse aumento foi reduzido a um terço.

Sr. Vara disse que os aumentos da taxa não seriam popular, mas eram necessários para ajustar a economia.

A LondonHelp4U trabalha com divórcio no Reino Unido e pode ajudá-lo com isso. Então aproveite o preço normal e obtenha seu divórcio, se você quiser – é claro! – agora. Conte conosco.

Ligue-nos para 020 7636 8500 ou envie um e-mail para cartorio@londonhelp4u.co.uk.

Fonte: BBC

Nós merecemos as coisas de graça, poxa!

Por Stuart Heritage, para o Time Out London

Se você tivesse de escolher uma palavra para descrever Londres iria ser ‘cara’, não é? Isto é principalmente porque ‘Oh Deus, é tão caro! Por que o meu quarto custa £ 1.500 por mês? É apenas um colchão em um armário.’

Londrinos merecem mais. Nossa cidade é enorme e suja, todo mundo nos odeia e todos nós temos de fazer fila para o nosso jantar como se fôssemos da era Yeltsin russos ou algo assim. Mas você sabe a pior parte de viver em Londres? Pagamos por coisas. Nós merecemos as coisas de graça, poxa!

Onde começar? Transporte público gratuito, obviamente. Nós nem sequer seríamos o primeiro lugar a fazer isso. Tallinn, a capital da Estônia, ofereceu transporte público gratuito para os residentes em 2013, ajudando a reduzir as emissões de carbono e fizeram crescer o mercado de trabalho. Nós poderíamos compensar o custo aumentando as tarifas para os turistas. Quero dizer, obviamente, os metrôs e ônibus seriam abarrotados, e nós iríamos todos morrer com 35 anos a partir de uma combinação de estresse, superaquecimento e corações atrofiados de nunca mais andar em qualquer lugar, mas pelo menos teríamos dinheiro suficiente para umas compras no Lidl.

E vamos tomar o exemplo de Jerusalém com a introdução livre em toda a cidade de wi-fi (a capital de Israel tem desde 2004). Basta pensar em todas as coisas que poderíamos alcançar no tempo gasto pedindo ao barman suas senhas, ou tentando se qualificar como hotel_guest ou hotel_conf, ou gritando obscenidades implacáveis ​​em BTWifi-com-FON. Poderíamos escrever livros. Nós poderíamos prestar mais atenção aos nossos filhos. Nós poderíamos curar o câncer, provavelmente – se não estivéssemos muito ocupados assistindo Netflix no pub.

Além disso, vamos abrir as portas de algumas das mais amadas atrações de Londres. Todos os residentes devem poder ir à Torre de Londres uma vez por ano, o que equivale a duas viagens na London Eye, ou 40 viagens naquele teleférico que ninguém nunca vai. Isso ajudaria a unir as nossas Londres – Londres de Wetherspoons e lojas de frango e o 176 para Penge – com a estranha e intangível Londres que só turistas experienciam. Mais uma vez, nós poderíamos pagar por isso cobrando o adicional aos “fora da cidade”.

Na verdade, vamos ainda mais longe. Em nossos aniversários, todos nós devemos obter um souvenir gratuito da Cool Britannia em Piccadilly. E vamos ocupar a M&Ms World também. Porque nós somos os 99% de londrinos que nunca estiveram na loja porque é apenas M&Ms e você pode comprá-los no Tesco Express.

Londres é agora a terra das coisas gratuitas. Mas por que parar aí? Por que não vamos espalhar esta gloriosa utopia? Apenas três noites aprendendo como transformar uma caixa de madeira em um banquinho estofado com a bandeira da Union Jack pintada nele, que nos daria todos os meios para abrir a nossa própria lojinha de cerveja caríssima. Poderíamos abrir uma em Croydon. E Bromley. E Derby. E Minehead. Eventualmente todo o país seria exatamente como Londres. E, seja sincero, não é esse o sonho?

Não caia no golpe: fraudulentos se fingem do Home Office e tiram dinheiro de imigrantes por telefone

Caros leitores,

Recebemos aqui uma informação que pode ser do interesse de vocês e compartilhamos para que fiquem atentos e não caiam em fraudes.

Algumas pessoas no Reino Unido têm recebido ligações de indivíduos fingindo que são do Home Office e reiterando números de passaporte, de visto e inclusive números de celulares. Com essas informações, eles dizem às pessoas que estão investigando-as por serem ilegais no Reino Unido e, então, solicitam um boa quantia de dinheiro para “correr atrás disso”.

Infelizmente, muitas pessoas já caíram nessa fraude. E esta informação que estamos divulgando aqui é para previni-los disso.

Caso qualquer pessoa que se diga do Home Office ligue pedindo informações pessoais e especialmente dados de cartão para pagamento, recomendamos não fornecer a informação e procurar um especialista em imigração.

Ainda que o Home Office faça ligações, eles precisam se identificar, e por ser ligação, não confie se pedirem informações pessoais.

Qualquer atitude nesse sentido pode ser apenas um golpe para se beneficiar sem qualquer vínculo com o Home Office.

Caso tenha algum processo junto ao Home Office, procure um profissional especializado de imigração, como a LondonHelp4U, para se informar melhor se achar o caso suspeito antes de tomar qualquer atitude que lhe possa prejudicar não só financeiramente.

Ficamos à disposição!

Passaporte para menor de 18 anos com autorização de viagem

Olá, pessoal!

Vocês que nos acompanham aqui devem saber que trabalhamos com serviços de cartório para brasileiros que moram no Reino Unido.

No último post sobre o assunto, falamos sobre renovação de passaporte, que fazemos para você, e hoje vamos explorar outro serviço que trabalhamos: o passaporte para menor de 18 anos com autorização de viagem anexada.

Se você mora em qualquer cidade do Reino Unido e está querendo renovar o passaporte brasileiro do seu filho já com essa autorização no Consulado Brasileiro de Londres, deixe tudo em nossas mãos!

Afinal, se você não mora em Londres, não é sempre que você pode se deslocar para a capital, né? E nosso serviço pode facilitar bastante sua vida!

Em primeiro lugar, o passaporte. Pai e mãe devem autorizar a concessão de passaporte ao menor de 18 anos e as suas assinaturas devem ser reconhecidas por um agente consular ou por um notário público pessoalmente.

Você precisa ter em mãos a certidão de nascimento ou identidade do menor e os documentos brasileiros válidos e com foto.

Caso pai e mãe não possam estar presentes no Consulado Brasileiro de Londres, é obrigatória a assinatura de uma autorização na presença de um notário público, que, em seguida, devem ser reconhecidas por ele e legalizado pelo FCO – Foreign Commonwealth Office, e você pode fazer isso conosco também.

E seu um dos pais estiver no Brasil?

Não tem problema. A assinatura na autorização precisa ser reconhecida em cartório brasileiro por autenticidade, ou seja, presencialmente no cartório.

Autorização de viagem

Ok. Já tenho tudo isso, mas também quero que meu filho ou filha viajem e não poderei ir. Como faço a autorização?

A LondonHelp4U também pode fazer esse serviço para você e a autorização será anexada ao passaporte do menor de 18 anos para viajar acompanhado de apenas um dos pais, de um terceiro ou até desacompanhado.

Para isso, os pais devem comparecer pessoalmente ao Consulado Brasileiro para assinar a autorização.

Conte com a LondonHelp4U para fazer isso para você. Entre em contato conosco pelo 020 7636 8500 ou no cartorio@londonhelp4u.co.uk. Nós responderemos a sua solicitação muito em breve!

Retenção de visto no Reino Unido: em quais situações é possível

Se você sempre teve dúvidas sobre retenção de visto no Reino Unido, estamos aqui para responder a algumas questões frequentes!

Vamos explorar o assunto e explicar para você os casos mais comuns em que é possível que isso aconteça.

Divórcio

Se você reside no Reino Unido com visto de dependente de europeu, ou seja, porque você é casada(o) ou tem algum vínculo afetivo com um europeu, saiba o que fazer se houver separação ou divórcio e o que acontece com o seu visto.

Sendo assim, a pergunta é: o que acontece com os direitos do não-europeu de residir no Reino Unido em caso de separação de corpos, em que o casal continua residindo em solo britânico, separação ou divórcio?

Existem 2 regras importantes:

Se você estiver separado, mas não divorciado, e ambos residem no Reino Unido, você pode renovar o seu visto ou solicitá-lo como casados ou obter a sua residência permanente.

Se você estiver divorciado, você pode reter o seu visto baseado no seu divórcio. Para isso, o seu casamento deve ter durado, no mínimo, 3 anos, residido no Reino Unido por 1 ano e, na data do divórcio, o europeu deveria estar economicamente ativo no país.

Em muitas situações, o visto pode ser solicitado, ainda que o seu ex-parceiro não tenha intenção de ajudá-lo na situação do divórcio que explicamos, como, por exemplo, fornecer documentos que o europeu estava trabalhando na data do divórcio.

Morte

Sim, também é possível reter o visto com base em morte. Nós vamos explicar melhor.

Para fazer a solicitação nesse caso, o não-europeu deve ter residido no Reino Unido com o europeu por pelo menos 1 ano e ele deveria estar trabalhando em solo britânico na época do falecimento.

Vale lembrar que fortaleceria o pedido do visto se o não-europeu estivesse trabalhando no Reino Unido também.

Descendente direto do europeu estudante no Reino Unido

Essa situação se dá quando a mãe ou pai não-europeu(ia) possui um filho(a) com um cidadão europeu e ele está estudando no Reino Unido, ainda que não possua a cidadania europeia.

Caso o europeu saia do Reino Unido, a criança tem o direito de reter a residência, desde que, no momento em que saiu, o europeu estava trabalhando em solo britânico.

Nesse caso, para que a criança possa continuar os estudos, é possível reter o direito de residência e também do adulto responsável por ela.

Vítima de violência doméstica

Funciona em caso do não-europeu sofrer violência doméstica pelo europeu durante a constância do relacionamento.

Para evitar os abusos, pode-se requerer o visto baseado na violência doméstica.

Mas o mais importante: é essencial evidenciar a violência com o maior número de provas possíveis. Ou seja, é necessário entrar em contato com a polícia e fazer os relatos.

Lembrando que, dificuldades podem existir para obter as documentações necessárias. Nesse caso, consultores de imigração com experiência podem fazer a diferença para o sucesso na obtenção do seu visto.

Ficou com dúvidas? Fale conosco no 020 7636 8500 (Reino Unido) ou no (11) 3283-0906 (Brasil), escreva-nos no info@londonhelp4u.co.uk ou preencha qualquer um dos formulários em nosso site. Será um prazer ajudá-lo!