Month: July 2015

Entenda a diferença entre o visto de estudante no Reino Unido como visitante e o visto de estudante Tier 4

Quer saber mais sobre visto de estudante no Reino Unido?

Sem dúvida, o sonho de muitos é estudar no Reino Unido, em especial a Inglaterra. Se for Londres, melhor ainda, certo?

Mas a gente também sabe que essas questões de visto são uma confusão na cabeça da maioria das pessoas. Como bons especialistas, a LondonHelp4U vai explicar direito como funciona o visto de estudante no Reino Unido, que pode ser o visto de estudante como visitante (Student Visitor) ou o Tier 4 e qual é a melhor opção que você pode fazer. Vamos lá!

Student Visitor – Visto de Estudante no Reino Unido como Visitante

Basicamente, é o mais comum de todos e o mais simples. Veja as suas exigências:

– apenas para cursos que não exigem comprovação de nível mínimo de inglês, ou seja, cursos gerais de inglês

– cursos com duração de, no máximo, 11 meses

– é necessário a carta da escola com a matrícula no curso

– comprovar recursos financeiros (se a cidade escolhida for Londres, precisa demonstrar £1,020 mensais e se for outra do Reino Unido é necessário £820 mensais), que precisam estar na conta do requerente por no mínimo 3 meses antes da solicitação, lembrando que, quanto maior o período que o dinheiro estiver disponível, melhor, e qualquer pessoa com a intenção de desenvolver o potencial do solicitante pode patrocinar essa quantia, como os pais, vôs, família, empresa etc.

Se a sua intenção é permanecer no Reino Unido entre 6 e 11 meses, você deve requerer seu visto antes de viajar. Se o seu curso tiver duração de até 6 meses, você pode receber seu visto no aeroporto, mas você deve ter a carta de matrícula da escola antes de chegar do mesmo jeito.

Além dessas exigências básicas, é essencial mostrar intenção de retornar ao país de origem após o período de estudos como, por exemplo, mostrar que vai continuar a trabalhar no país de origem ou mesmo estudar, e comprovar vínculos familiares e profissionais.

Lembrando que sua solicitação de visto deve ser feita pessoalmente no Consulado Britânico do seu país de origem.

Agora, há também uma nova exigência: estudantes devem pagar £150 para o Home Office para usufruir do NHS, serviço de saúde pública do Reino Unido, antes de submeter a solicitação do visto.

Se você quiser estender seu visto, você não pode fazer isso em território britânico e deve voltar ao seu país de origem novamente.

E trabalhar, pode?

Não, com o Student Visitor você não tem permissão de trabalho no Reino Unido.

Tier 4

Vamos falar agora do Tier 4, o visto de estudante no Reino Unido.

Para estudar no Reino Unido, e caso tenha intenção de estudar em cursos com duração superior a 11 meses, você deve solicitar o visto Tier 4 e precisa cumprir algumas condições, que são:

– ter uma oferta para fazer um curso numa instituição de ensino reconhecida pela Agência de Imigração do Reino Unido (UK Border Agency)

– ter dinheiro suficiente para se manter durante o curso

Até aí tudo certo, fácil de entender. Mas agora vamos entrar no assunto dos pontos. Mas como assim? Veja só:

Para requerer um visto nessa categoria, o estudante deve atingir 40 pontos, que são divididos assim:

30 pontos, que você ganha com o “visa letter” que contém o nº do CAS.
O nº do CAS é número eletrônico com a comprovação de matrícula em instituição de ensino licenciada pela Agência de Imigração do Reino Unido (UK Border Agency), onde deve constar que o estudante possui o nível mínimo de inglês B1 para o General English e B2 para cursos de graduação, pós-graduação e MBA e a certificação deve ter sido expedida pelo IELTS, que, atualmente, é a única reconhecida pelo Home Office para pessoas que fazem a solicitação de visto pelo Brasil.

Em casos de universidades, algumas podem fazer o teste próprio para aceitação do estudante sem a necessidade do IELTS, isso porque a elas são permitido verificar o nível de inglês do estudante antes de começar o curso.

10 pontos, que você ganha comprovando recursos financeiros.

Candidatos ao Tier 4 deverão comprovar que possuem recursos financeiros para os custos de sua estadia no Reino Unido, sem a necessidade de recorrer à ajuda de terceiros ou de trabalhar no País. E esse dinheiro só pode ser proveniente do próprio estudante ou dos pais dele.

Segundo estipulado pela Agência de Imigração do Reino Unido (UK Border Agency), a quantia necessária é de £1,020 mensais para quem pretende estudar em Londres e £820 mensais para quem optar por outra cidade. Solicitantes cujo curso tem duração de mais de nove meses devem apresentar apenas o total de £9,180 em conta, ainda que o curso seja superior a 9 meses.

Este montante deve estar disponível em conta corrente do próprio estudante ou dos pais com no mínimo 30 dias de antecedência à solicitação.

Para o Tier 4, o importante é apenas informar por que você está fazendo o curso e como ele vai aprimorar sua carreira e as prospectivas que você tem com esse objetivo.

Para os solicitantes, também há a nova exigência do pagamento de £150 para o Home Office para usufruir do NHS, serviço de saúde pública do Reino Unido, antes de submeter a solicitação do visto.

A grande diferença do Tier 4 é que você pode extendê-lo dentro do território britânico, sem precisar voltar ao Brasil.

Lembrando que sua solicitação de visto deve ser feita pessoalmente no Consulado Britânico do seu país de origem ou dentro do Reino Unido, se você já tiver algum outro visto de permanência em solo britânico.

E trabalhar, pode?

Depende do curso. Se for um curso a nível de graduação, com o Tier 4 você tem permissão de trabalho no Reino Unido de até 20 horas semanais e 40 horas semanais durante as férias escolares.

Quem vem para fazer cursos de inglês ou qualquer outro que não seja de universidade, não tem permissão de trabalho.

Esperamos ter esclarecido todas as suas dúvidas!

A LondonHelp4U trabalha há 14 anos com vistos para o Reino Unido e está com as portas abertas para te receber e tirar suas dúvidas a respeito deste e de qualquer outro visto.

Fale conosco no info@londonhelp4u.co.uk, ligue pra nossa agência no 020 7636 8500 ou preencha o formulário abaixo que retornaremos muito em breve a sua solicitação.

Um guia para você sobreviver à greve de metro em Londres

É oficial, o metro está em greve e não há nada que possamos fazer sobre isso. Para aliviar sua dor, nós vasculharam nossos arquivos para trazer a você o melhor guia para sobreviver, incluindo conselhos práticos.

Com o tube fora de funcionamento durante 24 horas, o resto dos transportes de Londres vão ficar bastante agitado. Se as coisas ficarem realmente ruins (que eles vão inevitavelmente), você sair for a da confusão usando seus próprios dois pés.

Mas antes que você coloque seus sapatos de caminhada, dê uma olhada neste mapa acessível por A & J Creatives, o que mostra quanto tempo vai demorar para andar entre cada estação (acima – para ver inteiro, clique com o botão direito do mouse e abra o link em outra janela). Eles também incluíram alguns dos marcos de Londres que você normalmente não vê se você sempre anda de metrô e fica no subsolo. Veja, não é de todo ruim, não é? (É muito ruim).

Depois que você espiou seu Twitter para ver quem mais está sentindo sua dor com a #tubestrike, aqui estão cinco aplicativos que irão ajudá-lo a se locomover em Londres hoje sem metrô.

1. Master Station

Este aplicativo vai lhe dar informações up-to-date.

2. Citymapper

A menos se você estiver vivendo em uma caverna escura nos últimos anos, você provavelmente vai estar familiarizado com o Citymapper. Ele te dá todas as opções da TFL (Transport for London), assim como ciclismo e táxi, mas também oferece uma página designada para como sobreviver à greve. Ele inclui uma ‘seção seguro na greve’, sugestões de como você pode combinar aluguel de bicicletas e opções de trem para se locomover, bem como uma seção bastante otimista, no caso de qualquer uma das linhas do metrô reabrir.

3. Waze

Se você tiver a sorte de possuir um carro, você nem precisa se preocupar com a greve do transporte público. Dê uma olhada neste aplicativo que usa dados dos usuários para encontrar a rota mais rápida para chegar ao seu destino.

4. Join.me

Se você não pode ir trabalhar apesar de seus melhores esforços, então talvez seja hora de voltar pra casa e trabalhar de casa. Para pelo menos dar a ilusão de que você está trabalhando duro, você pode mostrar o seu rosto virtualmente por meio desta app, que permite realizar reuniões virtuais e teleconferências.

5. Melhor café de Londres

É isso aí. Você já tentou o seu melhor, mas agora é hora de abandonar o navio e se refugiar em uma loja de café. Use este aplicativo útil para encontrar o local mais próximo, onde você pode começar seu reparo da cafeína.

Fonte: Time Out

Homologação de divórcio: como funciona

Olá, pessoal!

Hoje vamos abordar um tema muito útil a diversos brasileiros que estão no exterior: a homologação de divórcio. Mas o que é isso? Vamos esclarecer tudo!

Como funciona a homologação de divórcio?

O brasileiro que se divorciou no exterior deverá homologar a sua senteça estrangeira de divórcio pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) com posterior averbação em cartório brasileiro, ainda que o casamento não tenha sido registrado em Repartição Consular.

Somente assim seu divórcio terá efeito no Brasil. O mesmo procedimento se aplica ao cônjuge estrangeiro que tenha se divorciado de brasileiro(a) no exterior.

Somente após a homologação e a respectiva averbação do divórcio em cartório brasileiro poderá ser feito o registro de novo casamento em Repartição Consular.

A LondonHelp4U pode fazer tudo para você. A fim de requerer a homologação, deverá a parte interessada nos fornecer a seguinte documentação:

a) original da sentença estrangeira de divórcio e anexos (se houver)
b) original da certidão consular de casamento, ou o original da certidão estrangeira de casamento
c) procuração em favor de advogado (a LondonHelp4U também faz!)
d) declaração de concordância, dada pelo ex-cônjuge, com firma reconhecida em Notário Público (fazemos também!)

Vale lembrar que:

  • Todos os documentos estrangeiros deverão ser legalizados pelo Consulado ou Embaixada brasileiros da jurisdição onde os atos se originaram
  • Todos os documentos em língua estrangeira deverão ser traduzidos no Brasil por tradutor público juramentado

Esperamos ter ajudado e estamos à disposição!

Fale conosco no 020 7636 8500 ou escreva-nos no cartorio@londonhelp4u.co.uk.

Um grande abraço e até a próxima!