Month: July 2017

Minuto Legal: número de brasileiros barrados na Europa cresce 41%

As notícias sobre os próximos passos do Brexit continuam a movimentar  Reino Unido, enquanto que dados mostram que o número de brasileiros barrados na Europa aumenta. Confira essas e outras noticias no Minuto Legal da LondonHelp4U.

Livre circulação de pessoas deve acabar em março de 2019
Apesar das notícias dos jornais ingleses de que a livre-circulação de pessoas  entre Reino Unido e Europa deveria continuar após o Brexit, nessa  semana, o Ministro da Interior Brandon Lewis revelou outras informações para o programa BBC Radio 4.   Lewis disse que é uma “simples questão de fato” que as regras de livre circulação da UE não continuarão em vigor após 2019. Amber Rudd, Secretária de Estado, também comentou a notícia. “Vamos garantir que continuemos a atrair aqueles que nos beneficiam economicamente, social e culturalmente. Mas, ao mesmo tempo, nosso novo sistema de imigração nos dará o controle do volume de pessoas que chegam aqui – dando confiança ao público, estamos aplicando nossas próprias regras sobre quem queremos  que venha para o Reino Unido “, declarou Amber.

Período de transição das negociações comerciais do Brexit deve terminar em 2022
O chanceler Philip Hammond disse que o periodo de transição do Brexit deve terminar somente em 2022. “Muitas coisas parecerão que não mudaram no dia seguinte ao Brexit”, disse ele, se referindo a 29 de março de 2019. Segundo Hammond, o período de mudanças continuará e será gradual. O Reino Unido deve deixar a UE no final de março de 2019, mas houve uma discussão crescente de um estágio “de transição” de cerca de dois anos para suavizar o processo do Brexit.  “Não posso dizer-lhe um período de tempo preciso porque ainda não tivemos essa discussão, quanto tempo nos levará a fazer os arranjos necessários. Penso que há um amplo consenso de que este processo deve ser completado até as  próximas eleições gerais, que é em junho de 2022.”

Imigração no Reino Unido cai em 2016
O Office for National Estatistics divulgou números sobre a imigração no Reino Unido. A migração líquida para o Reino Unido caiu para cerca de 248 mil em 2016, 84 mil a menos em relação ao ano anterior. A migração líquida é o número de pessoas que se mudaram para o Reino Unido menos o número que deixaram o país. O ONS disse que a queda se deve principalmente por conta dos cidadãos europeus que deixaram o Reino Unido. Em 2016, 588 mil pessoas chegaram no país e 339 mil foram embora. No total o Reino Unido tem cerca de 5,6 milhões de cidadãos de outros países. Segundo os dados da ONS, nove em cada 100 pessoas que vivem no país não são britânicas. Deste total de imigrantes, o número de cidadãos da Europa é estimado em 3,2 milhões e o de não-europeus em 2,4 milhões.

Número de brasileiros barrados em Portugal cresce em 90%
A quantidade de brasileiros barrados ao tentarem entrar em Portugal aumentou em 2016. Os números indicam uma alta de 91,3% na comparação com o ano anterior e de 198,8% com 2014. Ao todo, 968 pessoas foram mandadas de volta para casa pelas autoridades ao longo do ano passado — o equivalente a uma média de 2,6 pessoas por dia. O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, orgão responsável pelo controle de imigração português, indicou para um novo fluxo de brasileiros que tentam ficar de forma ilegal no país.  Para as autoridades portuguesas, esse novo fluxo de imigrantes ilegais é “potencialmente justificado pela manutenção da crise econômica que se verifica no Brasil desde 2014, aliada à agudização da crise política e social ao longo de 2016”.

Brasileiros são a segunda nacionalidade mais barrada na Europa
Outros países do continente europeu também têm fechado as portas com mais frequência para os brasileiros desde que a crise econômica e social do Brasil se agravou. A quantidade de brasileiros recusados nas fronteiras aéreas da Europa subiu 41% em 2016 em comparação com 2015. De acordo com o último relatório da Frontex (agência de fronteiras da União Europeia), mais de dez brasileiros são barrados todos os dias nas fronteiras europeias. No ano de 2016, foram registrados 3.694 casos o que torna a brasileira a segunda nacionalidade mais barrada nos aeroportos europeus, atrás somente da Albânia. Os números valem apenas para as fronteiras aéreas. Os aeroportos de Portugal e Espanha registram os maiores números de brasileiros que foram mandados de volta para casa. Os agentes de imigração justificaram que os mesmos não tinham documentação apropriada, nem os motivos da visita e condições de estadia no país.  O total de brasileiros que têm o pedido de visto negado pelos Estados Unidos também triplicou em 2016, saltando de 5,36% dos solicitantes em 2015 para cerca de 15% no ano passado.

*foto Daily Mail

Cidadania Italiana: saiba como funciona o processo no Brasil e na Itália

O número de brasileiros que tem origem italiana é alto e torna a comunidade italiana uma das maiores do Brasil. Porém, muitos que tem um ascendente italiano, tem dúvidas se tem direito a cidadania italiana. Descubra a seguir quem tem direito e quais os principais passos de obtenção da cidadania.

Quem tem direito
O direito a cidadania italiana não tem limite de gerações,  portanto se você tem um bisavô(bisavó), tataravô (tataravó) ou anterior italiano na linha de sucessão você tem direito. O direito vale tanto pelo lado paterno quanto materno. Existem algumas diferenciações quando há uma mulher na linha de descendencia com filhos nascidos antes de 1948, mas ainda sim você tem direito a aplicar para sua cidadania Italiana, apenas o procedimento de solicitação será diferenciado.

Documentos
Para iniciar o processo você deve reunir os documentos desde o seu antepassado italiano até você.  São necessários certidões de nascimento, casamento e óbito de todos os familiares da linha de sucessão.  Vale lembrar que alguns documentos estarão na Itália, como a certidão de nascimento do ascendente italiano.

Início do processo
Com os documentos reunidos, é necessário fazer a Apostila de Haia (disponível em quase todos os cartórios do Brasil). O segundo passo é traduzi-los para o italiano através de um tradutor juramentado e depois  fazer a legalização dos mesmos. Com os documentos legalizados exitem duas opções, seguir com o processo no Brasil ou realizá-lo na Itália.

Processo no Brasil
Com os documentos legalizados, você pode dar início ao processo junto a algum Consultado Italiano no Brasil. Mais de um integrante da mesma família podem dar entrada no processo juntos. Porém o tempo na fila de espera é longo e pode levar de 7 a 10 anos para o processo ser encerrado. Após que a cidadania seja reconhecida a emissão do passaporte italiano pode levar algumas semanas, de acordo com cada consulado.

Processso na Itália
É necessário viajar até a Itália e registrar a residência em alguma cidade italiana. É preciso atenção quanto a escolha da cidade, porque não são todas as Comunes que fazem o processo de cidadania. Após o registro da residência, você deve solicitar o reconhecimento da cidadania italiana junto ao orgão responsável da prefeitura. A Comune irá analisar a exatidão de todos os documentos. Com a aprovação dos mesmos, os documentos serão transcritos na Comune e a cidadania declarada. Os documentos (Carteira de Identidade e Passaporte) são emitidos de 2 a 3 semanas. O processo todo na Itália dura em média 90 dias, mas pode variar conforme a cidade escolhida.

Se você deseja mais detalhes sobre o passo-a-passo do processo ou quer dar início ao seu processo de cidadania italiana, entre em contato conosco. A LondonHelp4U tem 16 anos de experiência em vistos e cidadanias para a Europa. Ligue no Brasil (11) 3283 0906, UK +44 789176 4830, ou por email info@londonhelp4u.co.uk. Nossos profissionais terão prazer em ajudá-lo.

Minuto Legal: Europa e Reino Unido divergem sobre direitos dos cidadãos pós-Brexit

Nova rodada de negociação do Brexit é destaque junto com as novidades sobre a livre circulação de pessoas entre Reino Unido e Europa. Confira

Livre circulação de pessoas entre Europa e Reino Unido deve ser mantida após o Brexit
O Reino Unido deve manter a livre circulação de cidadãos da União Europeia por um período após o Brexit segundo os jornais britânicos. De acordo com o “The Times”, Theresa May aceitou liberar o livre movimento de pessoas por dois anos a partir de março de 2019. Já o “The Guardian” afirma que a livre circulação deve permanecer até 2023. Não houve uma resposta oficial do gabinete de Theresa May sobre o futuro  da livre circulação de pessoas entre Europa e Reino Unido. Porém, em conversas com líderes empresarias, a primeira-ministra disse que apóia um período de transição. “A primeira-ministra reiterou que o objetivo geral do governo é uma saída suave e ordenada”, disse um porta-voz da Downing Street. Saiba mais aqui.

Divergências continuam na segunda rodada de negociações sobre o Brexit
A semana foi marcada pela segunda rodada de conversas entre lideres do Reino Unido e da Europa sobre o Brexit.  A União Europeia quer que o Reino Unido pague um valorpara cobrir dívidas e contas acumuladas ao longo de 44 anos de adesão do país ao grupo europeu. Estima-se que a conta seja de £ 67 bilhões. Os britânicos frustraram os europeus ao não revelar quais as obrigações eles aceitam cumprir. Outras divergências acontecem na questão do direito dos cidadãos. Entre as insistências da Europa, está que os cidadãos europeus no Reino Unido continuem sob a jurisdição do Tribunal de Justiça Europeu e não pelos Tribunais Britânicos, como propõe a Grã-Bretanha. “Os cidadãos devem ser capazes de identificar a segurança jurídica que eles precisam para suas vidas do dia-a-dia”, declarou Barnier.

Direito dos cidadãos a mudança de país no pós-Brexit
Um outro ponto importante é o direito dos cidadãos mudarem após a Brexit. Os britânicos que vivem na Europa podem perder o direito de morar em outro Estado-Membro após Brexit. Um inglês que vive na França, por exemplo, não poderia se mudar para a Alemanha sem permissão. Já europeus que vivem no Reino Unido, podem ter dificuldade de retornar ao país caso fiquem dois anos fora.  O lado britânico pensa que sua oferta é mais generosa, mas não revelou se eles estão preparados para lutar pelos direitos dos 1,2 milhões de britânicos na Europa. A União Europeia diz que é uma questão de negociações: eles querem que os cidadãos da UE tenham um direito aberto para voltarem ao Reino Unido caso se ausentem por um período.

Home Office diz que não sabe quantos imigrantes europeus não estão trabalhando no Reino Unido
Uma ministra do Home Office se recusou a dizer se o governo britânico já usou regras de imigração europeias que permitem que as pessoas sejam expulsas de um país se não estiverem trabalhando ou buscando emprego ativamente. Segundo o “The Guardian”, Susan Williams sugeriu que seu departamento não possuía dados que permitissem saber se os imigrantes europeus no Reino Unido tinham conseguido empregos ou não. Questionada sobre quantos cidadãos da UE foram removidos de acordo com as regras, Susan respondeu: “Desculpe, mas os dados solicitados não podem ser obtidos”. “Tirar números não é maneira de gerenciar uma imigração justa e controlada”, disse o Lord Richard Rosser.

Livre circulação de pessoas entre Europa e Reino Unido deve permanecer após o Brexit

O Reino Unido deve manter a livre circulação de cidadãos da União Europeia por um período após o Brexit segundo os jornais britânicos. De acordo com o “The Times”, Theresa May aceitou liberar o livre movimento de pessoas por dois anos a partir de março de 2019. Já o “The Guardian” afirma que a livre circulação deve permanecer até 2023.

Nessa semana foi realizada a segunda rodada de negociações do Brexit entre o Reino Unido e a Europa em Bruxelas, na Bélgica.

As conversas sobre a livre circulação foram enfatizadas depois da notícia de que os britânicos que vivem na Europa poderiam perder o direito de se mudar de um país europeu para outro após o Brexit, a menos que a Grã-Bretanha fizesse uma oferta recíproca. Uma fonte do Reino Unido próxima das negociações disse que houve acordo em quase 50% das questões de direitos dos cidadãos, mas disse que ainda existem muitas divergências.

O período de transição da livre circulação também seria decisivo para evitar prejuízo nos negócios. “Nossa pesquisa mostra um apoio claro entre a comunidade empresarial do Reino Unido para chegar a um acordo abrangente com a UE e por um período de transição que impedirá as empresas enfrentarem mudanças bruscas nos negócios”, disse Francis Martin, da Câmera de Comércio Britânica.

Não houve uma resposta oficial do gabinete de Theresa May sobre o futuro  da livre circulação de pessoas entre Europa e Reino Unido. Porém, em conversas com líderes empresarias, a primeira-ministra disse que apóia um período de transição. “A primeira-ministra reiterou que o objetivo geral do governo é uma saída suave e ordenada”, disse um porta-voz da Downing Street.

Michael Barnier, negociador da Europa para o Brexit, disse que após 4 dias de negociações, existem “divergências fundamentais” entre a União Europeia e o Reino Unido.  Barnier disse que o governo britânico ainda não conseguiu oferecer acordos suficientes nos futuros direitos dos cidadãos.

Entre as insistências da Europa, está que os cidadãos europeus no Reino Unido continuem sob a jurisdição do Tribunal de Justiça Europeu e não pelos Tribunais Britânicos, como propõe a Grã-Bretanha. “Os cidadãos devem ser capazes de identificar a segurança jurídica que eles precisam para suas vidas do dia-a-dia”, declarou Barnier.

Seus Direitos
Se você é cidadão europeu e vive no Reino Unido, garanta seus direitos e faça seu visto de residência. Para saber mais informações, entre em contato conosco. A LondonHelp4U tem 16 anos de experiência em vistos e cidadanias para o Reino Unido. Ligue 020 7636 8500, Whatsapp + 44 789176 4830 ou mande um email info@londonhelp4u.co.uk. Nosso profissionais terão prazer em ajudá-lo.

*foto The Independent

Tier 1 – Investor Visa for UK

The Tier 1 Investor category was introduced by the government in 1994. It is designed for high-net-worth individuals who are willing to make a substantial investment in the UK, provides routes leading to Indefinite Leaving to Remain and British citizenship.

The Tier 1 Investor Visa allows business people and their families to enter the United Kingdom as permanent residents through making a financial investment in the country. The visa applies to the main applicant and all immediate family members, including spouse and children under the age of 18.  Initially, investor visa is granted for three years and four months and can then be extended for another two years, by providing evidence that an investment of at least £ 2 million was made in the UK.

Who can apply?

– You must be at least 18 years old
– You will not need to show any maintenance
– You must score at least 75 points on the Tier 1 points-based application.

In order to qualify for an initial grant of leave in this category, you must:

– Have money of your own, under your control, held in a regulated financial institution and which is disposable in the UK, amounting to not less than £ 2 million
– Have opened an account with a UK regulated bank for the purposes of investing not less than  £ 2 million in the UK

Benefits:

– Possibility to obtain the Indefinite Leave to Remain (ILR) and live permanently in the United Kingdom
– Possibility to obtain the British passport
– Grow up your business in the UK
– Bring your family to live with you

The length of time required to qualify for permanent residence depends on the amount of investment, as follows:

Investment of £2 million – eligibility for indefinite leave to remain after 5 years in the UK

Investment of £ 5 million – eligibility for indefinite leave to remain after 3 years in the UK

Investment of £ 10 million – eligibility for indefinite leave to remain after 2 years in the UK

LondonHelp4U is proud to offer a one-stop-shop package to those clients looking for a complete immigration service. We have been preparing Investor applications for more than 15 years. This service includes all advice and work needed for an immigration application. Our specialist team will case manage every detail of your application to ensure that once submitted your application has the greatest possible chance of being successful.