Month: August 2017

Confira os países europeus onde é possível obter Residência

Confira os países europeus onde é possível obter Residência

Alguns países europeus oferecem acordos através dos quais é possível obter permissões de residência ou cidadania em troca de investimentos financeiros, em empresas ou imóveis locais.

Os programas são uma boa opção para quem não direito a uma cidadania europeia, seja por família ou tempo de residência nos países, mas deseja morar na Europa. A maioria deles permite que o portador tenha acesso a livre circulação entre os países do bloco europeu, bem como o direito a residência e trabalho nos mesmos.

Um estudo da empresa de consultoria Henley e Partners analisou os programas oferecidos por diferentes governos, classificando-os por valor, qualidade, reputação entre outras referências. Aqui estão os países europeus  que realizaram o melhor desempenho, com acesso mais barato e fácil à residência.

12. Bulgária: Um depósito de cerca de € 500.000 em uma carteira de títulos do governo búlgaro por cinco anos é suficiente para se qualificar para o programa de residência da Bulgária.

11. Grécia: Depois de obter o visto “D”, os investidores podem candidatar-se a residência grega após a compra de imóveis com um valor total de € 250.000.

10. Chipre: A ilha do Mediterrâneo oferece baixos impostos e programas de obtenção de cidadania a partir de investimentos de € 300,000.

9. Mónaco: Os residentes do Mónaco não estão sujeitos ao imposto sobre o rendimento, ao imposto sobre os ganhos de capital ou ao imposto sobre o património e podem viajar sem visto para todos os países da área Schengen.

8. Jersey: A ilha de Jersey é atraente por seu baixo regime tributário e clima ameno. O investimento mínimo para residência custa £ 125,000 por ano e só está aberto para aqueles que ganham mais de £ 625,000.

7.Reino Unido: O Reino Unido oferece programas de investimento no país que garantem aos seus portadores e suas famílias o direito a residência permanente no país. O investimento mínimo necessário é de £ 2 milhões.

6. Letónia: Para obter uma autorização de residência temporária da Letónia, é preciso comprar imóveis pelo valor de € 250,000 e pagar uma taxa de governo de 5%.

5. Espanha: O país tem um programa de residência, que pode ser obtida comprando um imóvel no valor mínimo de € 500.000 ou investindo € 2 milhões junto ao governo espanhol.

4. Malta: Malta tem baixas taxas de impostos para residentes permanentes e oferece um programa de residência a partir da compra de uma propriedade de valor mínimo de € 275,000.

3. Portugal: O governo Português oferece o Golden Visa, através do qual é possível obter a residência no país através da criação de um negócio que gere ao menos 10 vagas de emprego, compra de imóveis no valor de €500,000 ou investimentos financeiros de € 1 milhão.

2. Bélgica: Um pedido de residência belga leva apenas dois meses para ser finalizado e um emprego no país pode ser um qualificador para a obtenção da residência, não tendo a necessidade de investimentos no país.

1. Áustria: Áustria oferece 10 tipos diferentes de permissão de residência que não exigem um investimento e que podem ser utilizados para viagens sem visto em toda a área do Schengen.

A LondonHelp4U oferece serviços para a obtenção da cidadania de Chipre, o Golden Visa português e também o Visto de Investidor para o Reino Unido. Entre em contato conosco, temos 16 anos de experiência em processos de vistos e cidadanias para a Europa. Nossos profissionais terão prazer em ajudá-lo. Ligue – Brasil + 55 (11) 3283 0906 – Reino Unido + 44 020 7636 8500 ou nos envie um email info@londonhelp4u.co.uk.

redução de imigrantes nos EUA e Reino Unido pode prejudicar economia

Minuto Legal: redução de imigrantes nos EUA e Reino Unido pode prejudicar economia

Ex-assessor do Partido Conservador quer criar Partido anti-Brexit
James Chapman, ex-chefe de gabinete do secretário do Brexits, disse que deixar a União Europeia será uma “calamidade para o Reino Unido”. James Chapman afirmou que dois ministros manifestaram interesse em um novo partido do centro para se opor ao Brexit. Ele também afirmou que os conservadores terão dificuldade em ganhar uma maioria novamente. Em junho ele acusou a primeira-ministra Theresa May de assumir uma posição “absolutista” em alguns aspectos da política do Brexit.  Chapman também propôs a criação de um novo partido – chamado Democratas – para se opor à saída da UE. Ele acrescentou: “A minha opinião é que a marca do Partido Conservador já foi prejudicada de tal forma que o partido não  ganhará mais uma vez a maioria”.

Reino Unido deixa de ser atrativo para talentos globais por conta do Brexit
O Reino Unido não é mais uma escolha para os trabalhadores internacionais da área de tecnologia devido a preocupações com a Brexit. De acordo com uma pesquisa, a maioria dos entrevistados que trabalham na indústria de tecnologia dos EUA disseram que desistiram de se mudar para o país desde que Brexit fez do Reino Unido um lugar menos desejável para viver. Apenas 6% das pessoas entrevistadas disseram que o Reino Unido permaneceu como a principal escolha para o deslocamento. A indústria de tecnologia do Reino Unido acredita que profissionais de outros países trazem novidade para o setor. Porém o Brexit e suas conseqüências fizeram com que o Reino Unido não seja mais atrativo para esses profissionais. Ruth Davidson, do Partido Conservador Escocês, disse que sem o impulso dos imigrantes a economia britânica pode enfrentar limitações.

Governo volta ao discurso de redução do número de imigrantes
Os planos do governo para reduzir a imigração para o Reino Unido para menos de 100 mil foram defendidos por um membro importante do gabinete de Theresa May. O primeiro secretário de Estado, Damian Green, disse que os ministros acreditam que um “nível sustentável” de imigração seria o de 100 mil pessoas. Damian discursou depois que a líder conservadora escocesa Ruth Davidson questionou o objetivo de cortar a migração líquida – o que nunca foi alcançado desde que o governo anunciou isso em 2010. “É claro que uma das forças por trás do voto de Brexit era um sentimento em algumas partes do Reino Unido de que a imigração tinha sido permitida por muito tempo e sem controle. É algo que temos que considerar”, declarou Damian.

Britânicos tentam conseguir dupla-cidadania para permanecer na Europa
Britânicos que vivem na Europa estão correndo para garantir que não sejam expulsos dos países que vivem depois que o Reino Unido deixar oficialmente a União Europeia. Pesquisas sugerem que muitos britânicos estão cada vez mais preocupados com seu futuro.  Alguns criticaram o governo por deixá-los para trás  “esquecendo” suas necessidades enquanto se concentram em negociar os direitos dos 3,2 milhões de cidadãos europeus que vivem no Reino Unido. Uma pesquisa realizada em Luxemburgo, revelou que 70% dos britânicos no país querem aplicar para a dupla-cidadania.  No entanto, a dupla cidadania é proibida em pelo menos nove países europeus, deixando milhares de britânicos esperando novas informações da União Europeia. O Brexit também levou alguns britânicos no Reino Unido a buscar formas de adquirir um segundo passaporte.

Proposta de Trump para imigrantes pode reduzir economia e empregos nos EUA
Um novo estudo da escola de negócios Wharton da Universidade da Pensilvânia descobriu que as propostas de imigração que o presidente Donald Trump apoia diminuirão o crescimento norte-americano e cortarão mais de 1 milhão de empregos ao longo de 10 anos. O presidente aprovou firmemente um projeto de lei apresentado nos EUA chamado “Raise Act”, que afeta também os imigrantes legais que desejam se transferir para o país. Seus defensores dizem que querem receber apenas imigrantes “bons” – aqueles com muito dinheiro e altos níveis de educação. Mas o relatório da Wharton conclui que a legislação, que deveria ter como objetivo aumentar o crescimento econômico e criar mais empregos americanos, realmente teria o efeito oposto. Quase 100 mil empregos seriam extintos apenas no primeiro ano, sugerem as estimativas. “A longo prazo, os imigrantes trabalham e contribuem para economias”, diz o relatório.

*foto Daily Express

Nobel da Paz diz que Europa tem obrigação moral de receber imigrantes

Minuto Legal: Nobel da Paz diz que Europa tem obrigação moral de receber imigrantes

A livre-circulação de pessoas entre Europa e Reino Unido e a nova lei de imigração de Trump são destaques do Minuto Legal da LondonHelp4U.

Porta-voz de Theresa May diz que livre-circulação vai acabar em março de 2019
O governo britânico negou as sugestões de que os cidadãos da UE ainda poderão chegar na Grã-Bretanha para viver e trabalhar depois que a Brexit entre em vigor em março de 2019. Um porta-voz de Theresa May, primeira-ministra britânica, disse que o princípio da livre circulação vai acabar quando o Reino Unido sair da União Europeia. Houve especulaões de que haveria um período de transição pós-Brexit durante o qual a imigração permaneceria igual anteriormente. “A posição da primeira-ministra em um período de implementação é muito clara e conhecida A livre circulação terminará em março de 2019”, disse o porta-voz em uma conferência de imprensa. “Outros elementos do sistema de imigração pós-Brexit serão divulgados no devido tempo”, afirmou o porta-voz de Theresa May.

Partido Trabalhista pede que liberdade de circulação continue
Um grupo de deputados do Partido Trabalhista está pedindo que Jeremy Corbyn se comprometa a defender a livre circulação depois que o Reino Unido deixar a União Europeia. Os deputados assinaram uma carta aberta demonstrando apoio para que não existam barreiras com o bloco europeu.  “Os imigrantes não são culpados por queda de salários, insegurança, habitação ruim e serviços públicos sobrecarregados. Estes são o produto de décadas de subinvestimento, desregulamentação, privatização e as leis anti-sindicais mais duras da Europa. Pelo contrário, os trabalhadores imigrantes estiveram na linha de frente da luta por melhores condições de pagamento e de trabalho. Um sistema de livre circulação é a melhor maneira de proteger e promover os interesses de todos os trabalhadore,”, diz um trecho da carta.

Crianças refugiadas podem ser separadas de suas famílias depois do Brexit

As crianças refugiadas podem ser permanentemente separadas de suas famílias, a menos que o governo inclua o reagrupamento familiar na lei de imigração pós-Brexit, alertou o chefe da Unicef UK. Mike Penrose solicitou ao governo a comprometer-se a incluir direitos mais amplos de reunificação familiar nas novas leis de imigração para quando o Reino Unido deixa a UE. Atualmente, os refugiados têm o direito de reunir-se com membros da família de acordo com o regulamento da Europa. No entanto, as próprias regras do Reino Unido abrangem apenas crianças e seus pais, o que significa que todas as crianças que são órfãs podem não ter o direito de ficar com irmãos, avós ou tios adultos.

Nobel da Paz diz que Europa tem obrigação moral de receber imigrantes
José Manuel Durão Barroso, que já foi premier de Portugal e ex-presidente da Comissão Europeia, disse que a União Europeia tem capacidade de receber mais imigrantes e que acolher refugiados é uma “obrigação moral”.  “Não podemos aceitar imigração ilegal, mas temos obrigação moral, de princípios, de receber os imigrantes. A Europa pode perfeitamente acomodar mais 1 milhão, 2 milhões de pessoas, se quiser fazer. Porém, isso não é facil, países homogêneos que não têm histórico cultural de imigração fazem oposição”, disse Barroso em visita ao Brasil. O Prêmio  Nobel da Paz declarou que “se o problema da imigração não for bem gerenciado, pode dar força para movimentos xenófobos”. “A Europa precisa de mais gente, a Alemanha precisa de mais gente. Portugal, Espanha, Itália, todos os países sofrem com déficit de natalidade”, argumentou Barroso, explicando que a concessão de refúgio ajudaria a suprir a redução populacional da Europa.

Donald Trump apresenta novo plano para imigrantes nos Estados Unidos
A Casa Branca revelou um novo plano de imigração baseado em parte no modelo australiano numa conferência na Casa Branca. O projeto de lei, chamado de Raise-Act, reforma as regras para a imigração legal, com foco em imigrantes qualificados e pretende reduzir o número de imigrantes em 50% nos próximos 10 anos. “O processo de candidatura competitiva favorecerá os candidatos que possam falar inglês, tenham condições financeiras de manter a si e suas famílias e demonstram habilidades que contribuirão para a nossa economia”, disse Trump. “O Raise Act impede que novos imigrantes peçam por benefícios e protege os trabalhadores dos EUA”, disse o presidente norte-americano.

Tier 2 - Work visa for UK

Tier 2 – Work visa for the UK

The Tier 2 visa is applicable to skilled professionals who wish to work in the UK. This category is for non-European nationals who have been offered a skilled job to fill a gap in the workforce that cannot be filled by a settled worker. In order to apply for this visa, the candidate must have a job offer and a certificate of sponsorship from a UK employer with a valid Tier 2 sponsorship license.

Getting sponsored
The candidate needs to be employed by a licensed sponsor to apply to live in the UK. The sponsor checks that the professional can do the job they are hiring for and if it qualifies for a visa. They will assign a certificate of sponsorship to prove this. They must also give other information the candidate needs to apply, for example how much salary he will be paid.

Salary
The minimum salary required is £ 20,800 per year. For experienced workers, the minimum required an increase to £ 30,000 per year.

Visa Length of Stay
The candidate can come to the UK with a Tier 2 General visa for a maximum of 5 years and 14 days, or the time given on their certificate of sponsorship plus 1 month, whichever is shorter. He can arrive in the UK up to 14 days before the start date on the certificate of sponsorship.

Extension and New Job
It`s possible to apply to extend this visa for up to 5 years, as long as the total stay is not more than 6 years. Tier 2 workers on this visa who wish to leave their job and work for a new employer will need to apply for a new tier 2 visa.

Benefits
The holder of a Tier 2 Visa can study in the UK (as long as it doesn’t interfere with the job sponsored), bring family members to the country and travel abroad and return to the UK. Family members can be husband, wife or partner, a child under 18 and a child over 18 if they’re currently in the UK as a dependant.

The Tier 2 Visa also include these following categories:
– Minister of religion – For people who have been offered employment or posts or roles within their faith communities in the UK.

– Sportsperson – For elite sportspeople and coaches who are internationally established at the highest level, and will make a significant contribution to the development of their sport.

– Intra company transfer – For employees of multinational companies who are being transferred by their overseas employer to a UK branch of the organization.

LondonHelp4U have been preparing visa applications for 18 years. This service includes all advice and work needed for an immigration application. Our specialist team will case manage every detail of your application to ensure that once submitted your application has the greatest possible chance of being successful. If you need any other information or want to book an appointment, please contact us: 020 7636 8500, Helpline 07891764830, info@londonhelp4u.co.uk.