Month: February 2018

Check the requirements to apply for the UK Fiancé visa

 We live in a world where the internet brings people from around the world in one click and an internet network. Distance has only become a detail for passionate couples. If the partner is British or a resident of the United Kingdom can unite through marriage or civil union. Important is knowing the steps to get the visa by the British government.
 
The people is going to marry and live in the United Kingdom. They must apply for a visa at the British Consulate in advance in the country of origin or legal residence. The next step is to apply for a spouse’s visa that can make within the UK, valid for two and a half years
 
REQUIREMENTS AND DOCUMENTATION NECESSARY:
 
  • The groom must be British or, irrespective of nationality must have permanent (ILR) residence in the United Kingdom
 
  • Both must be 18 years or older
 
  • Genuine relationship and vouchers
 
  • You must have met in person
 
  • The applicant must have at least an A1 level of English
 
  • The groom must have the least income of £ 18,600
 
IMPORTANT: The couple, if they have had a previous relationship, must prove that they are already fit for a new marriage. So, a divorce certificate needs in this case.
 
Also, when the person has children from other relationships and wishes to include in the application. The sponsor’s annual income increases to £ 22,400, increasing if the applicant has more than one child. It is also necessary to have permanent custody of the child under the age of 18 to live in the United Kingdom. 
 
Note: Any document in a foreign language must translate into English. LondonHelp4U provides all the necessary help in obtaining the bridal visa (o) in the UK.
 
We are an immigration company with 18 years of experience in visas and citizenships for the United Kingdom. Want to talk with us? Contact us by phone HelpLineUK 24h + 44 75 85668158 or +44 0207 636 8500 (UK) or by e-mail info@londonhelp4u.co.uk. Ask your questions, make an appointment, make bureaucratic processes easy and quick with the help of LH4U.

Photo by Freepik

Check out the rights of children born in the UK

Check out the rights of children born in the UK

British citizenship is one of the most bureaucratic nationalities to be acquired. Unlike Brazil or the United States, children born in the United Kingdom are not automatically registered with the nationality of the country. Here, for example, if the parents are Brazilian and the child is born in the United Kingdom, it will be registered according to the parents’ origin, in this case, with the Brazilian citizenship.

For this child to be registered with British nationality will depend on a few factors. Understand the rights of children born in the UK in these three cases.

Children have the right to register with British citizenship if they were born in the United Kingdom and have lived in the country for 10 years or more, even if the country does not have a visa.

Children born in the United Kingdom have the right to register as Brits after the parents acquire permanent residence.

Children of British parents born in or outside the United Kingdom can apply for citizenship.

LondonHelp4U provides all necessary assistance in obtaining British nationality for children and permanent residence. We are an immigration company with 18 years of experience in visas and citizenships for the United Kingdom.

Photo by Freepik

O Brexit sem acordo causaria um aumento de 21% nos preços de varejo e 17% nos custos de alimentos e bebidas no Reino Unido, diz análise

Minuto Legal: O Brexit sem acordo causaria um aumento de 21% nos preços de varejo e 17% nos custos de alimentos e bebidas no Reino Unido, diz análise

Brexit sem acordo causaria um aumento global de 21% nos preços de varejo e 17% nos custos de alimentos e bebidas, diz análise

O Brexit causaria um rombo de £80 bilhões de libras nas finanças públicas britânicas, segundo novos detalhes da própria análise econômica secreta do governo. O jornal inglês The Guardian identificou os documentos secretos, que avaliam o impacto econômico de sair do bloco, prevêem que, se não houver acordo, um aumento global de 21% nos preços de varejo e 17% nos custos de alimentos e bebidas.

Mais de £500 milhões de libras foram gastos na detenção da imigração no Reino Unido ao longo de quatro anos

Mais de meio bilhão de libras foram gastos em detenção de imigração em quatro anos, segundo o jornal Independent. O governo britânico gastou aproximadamente £ 523,5 milhões em detenção de pessoas por motivos de imigração entre abril de 2013 e março de 2017, com £16,2 milhões adicionais gastos em danos concedidos a imigrantes que foram detidos ilegalmente no mesmo período. As informações são do jornal Independent.

Atraso do documento relativo ao sistema de imigração pós-Brexit é criticada por empresas britânicas

A decisão do governo britânico de adiar a publicação relativa ao sistema de imigração pós-Brexit no Reino Unido foi denominada “extremamente frustrante” por empresas britânicas. Originalmente programado para ser publicado no verão passado, o documento que descreve as opções após a saída da UE não será publicado até que a negociação do periodo de transição seja acordado, diz Home Office. As informações são do jornal inglês The Guardian.

Os cortes da imigração no Reino Unido podem custar economia escocesa a £10 bilhões por ano até 2040, sugere documento

A ministra dos assuntos externos de Holyrood, Fiona Hyslop, que lançou um  documento sugerindo que, no pior dos casos, o corte da imigração líquida do Reino Unido terá o impacto no PIB na Escócia, custanto mais de £10 bilhões de libras por ano até 2040. Segundo a ministra, os planos de Westminster para reduzir a imigração através de metas e deixar o mercado único não suportam a economia da Escócia ou suas necessidades populacionais.

Photo designed by katemangostar / Freepik

Imigrantes brasileiros fogem de crise e voltam ao Reino Unido

Como adquirir a cidadania britânica

Você conhece as regras para obtenção da naturalização britânica? Este é um processo que visa à conquista do título de cidadão britânico. Para se candidar é necessario que o solicitante se enquadre nas seguintes categorias: residência permanente, nascimento, casamento/união estável e descendência. Confira se você cumpre os critérios necessários para se tornar um cidadão britânico.

Quem pode aplicar?

Residência  Permanente

O candidato pode requerer a naturalização por período de permanência no país. É necessário ter morado legalmente pelo menos nos últimos 5 anos no Reino Unido, não ter infringido nenhuma lei imigratória, nem ter se ausentado por um longo período do país. Cônjuges de cidadãos europeus que tenham a residência permanente também podem solicitar a cidadania britânica. Segundo Humberto Ferrarini, especialista em imigração da LondonHelp4U: “Todo o estrangeiro que vive no Reino Unido por no minímo 5 anos trabalhando e pagando impostos pode aplicar para a residencia permanente.”

Nascimento

Crianças nascidas no Reino Unido estão aptas a solicitar o pedido de naturalização britânica após 10 anos de residência no país ou após os pais adquirem a residência permanente.

Casamento e união estável

O cônjuge de um cidadão britânico, que se casou no Reino Unido, ou está na condição de união estável, precisa aplicar primeiro para residência permanente, antes de entrar com o processo de naturalização. Após 12 meses da obtenção da residência, o candidato pode solicitar a cidadania. Vale lembrar que o Governo Britânico exige a comprovação do nível de inglês B1, para aqueles que pretendem obter o visto através do relacionamento.

Descendência

A cidadania também pode ser transferida automáticamente para os filhos de pais britânicos, que nasceram fora do Reino Unido, ou por pais que possuem a naturalização antes do nascimento dos filhos.

A LondonHelp4U fornece todo o auxílio necessário na obtenção da sua cidadania britânica e ainda realizamos o teste de inglês B1. Somos uma empresa de imigração 17 anos de experiência em vistos e cidadanias para o Reino Unido.

Theresa May envia carta para europeus que vivem no Reino Unido

Brexit: Theresa May e União Europeia divergem sobre o período de transição

A primeira-ministra Theresa May indicou na última quinta-feira que resistirá a proposta para dar direito de residência aos cidadãos da União Europeia durante o período de transição após Brexit. Segundo informações da BBC, May afirma que precisa haver uma diferença entre os imigrantes que entraram no país antes do Brexit com aqueles que chegarão depois. Já o bloco europeu deseja que os direitos completos se estendam a todos até dezembro de 2020.

O período de transição – também referido como um período de implementação – é visto como uma forma de minimizar a interrupção quando o Reino Unido deixa a UE para setores de negócios, turismo e segurança

Acordos em 2017

 Em dezembro, os dois lados concordaram com um acordo que estabelece os direitos propostos aos cidadãos da UE no Reino Unido e os britânicos residentes no continente europeu após o Brexit. O acordo afirma que todos os cidadãos da UE que estiveram no Reino Unido por mais de cinco anos deverão receber o processo de obtenção do novo estatuto de residência permanente — o chamado “settled status”, dando-lhes permissão de tempo indefinido para permanecer e ter acesso aos serviços públicos.

Aqueles que residiram por um período mais curto, mas que chegam antes da data de corte da Brexit, atualmente prevista para 29 de março de 2019, também poderão permanecer e obter “settled status” quando estiverem no Reino Unido há cinco anos.

Na época, o governo britânico previa que o imigrante europeu que chegue depois do Brexit puderia viver, trabalhar e estudar no Reino Unido durante o período de transição, mas que os mesmos precisariam se registrar e deveriam ser acordadas como parte das negociações mais amplas de transição.

No entanto, a UE já disse que espera que as regras vigentes sobre livre-circulação – incluindo o caminho para a residência permanente – sejam aplicadas na íntegra até o final da fase de transição, que deverá ser em 31 de dezembro de 2020.