5 verdades e mentiras sobre viver ilegal e ser deportado do Reino Unido

5 verdades e mentiras sobre viver ilegal e ser deportado do Reino Unido

O governo do Reino Unido acredita que há mais de 1 milhão pessoas em situação irregular, vivendo e trabalhando ilegalmente, mas o Home Office está fechando o cerco contra os imigrantes ilegais e, a cada dia que passa, mais leis restritivas entram em vigor.

Nossos especialistas explicam algumas questões envolvendo irregularidade e deportação do Reino Unido.

1 – O governo não sabe que eu fiquei ilegal pois não há registro de minha saída do Reino Unido.

Mentira

A partir de abril de 2015, o Home Office passou a recolher informações sobre os passageiros que saem do Reino Unido através de aeroportos, portos e estações de trem. Caso o passageiro encontre-se irregular, as informações poderão comprometer aplicações para novos vistos ou poderão ser usadas em um eventual processo de deportação. Aconselha-se em todas as aplicações dizer a verdade. Consulte um advisor de imigração para saber as consequências e a melhor forma de submeter a sua aplicação.

2 – A única maneira do governo descobrir que eu estou ilegal é se eu assinar contratos ou abrir contas.

Mentira

O imigrante ilegal pode ser apreendido em qualquer lugar, a qualquer hora do dia, seja por denúncia ou simplesmente uma coincidência. Por exemplo, no dia 30 de julho de 2013, a polícia parou 48 pessoas na saída da estação de metrô de Walthamstow, leste de Londres, e prendeu nada menos que 15 pessoas em situação irregular. Em um caso mais recente, em julho de 2018, oficiais de imigração fizeram uma operação em Chinatown em Londres para prender imigrantes ilegais, o que acabou causando muita polêmica.

3 – O imigrante ilegal pode conseguir se legalizar depois de morar muito tempo no Reino Unido.

Verdade

Antes de junho de 2012 quem residia por 14 anos podia se regularizar. A nova lei, em vigor desde 2012, diz que o imigrante irregular pode regularizar sua situação de imigração no Reino Unido depois de ter vivido aqui a partir de 20 anos.

4 – Se me pegarem vivendo ilegalmente, mas eu puder pagar pela minha própria passagem de volta, serei mais bem visto se quiser retornar ao Reino Unido.

Verdade

Se for pego em situação irregular, o imigrante pode optar por pagar por sua própria passagem de volta, dessa maneira o período mínimo que deve ser respeitado antes do estrangeiro poder retornar ao Reino Unido é de 1 ano. Caso o imigrante tenha a passagem paga pelo governo, o período mínimo pode chegar a até 10 anos. Porém, se a retornar por meio de relacionamento, o ban não se aplica.

5 – Tenho que aplicar para meu novo visto antes que meu visto recente acabe, caso contrário estarei ilegal perante à lei.

Verdade

Para o cidadão que planeja ficar no Reino Unido após o término de seu visto com o direito de trabalho, é aconselhável aplicar novamente antes do vencimento. A aplicação efetuada depois de 14 dias será recusada, caso o indivíduo não informe os motivos que levaram a aplicar fora do prazo do visto.

Essa regra não vale para vistos de dependentes de cidadãos europeus.

Precisa de ajuda com sua aplicação de visto?

A LondonHelp4U é uma agência de imigração com 17 anos de experiência em processos de vistos para o Reino Unido. Nossa missão é ajudar pessoas e empresas que procuram infomação e auxílio durante o processo de imigração.

2 thoughts on “5 verdades e mentiras sobre viver ilegal e ser deportado do Reino Unido

  1. José geraldo Reply

    Boa noite fiquei em londres por 6 meses e 15 dias com visto de turismo.daí fui para portugal fiquei 3 meses lá dai retonei para o brasil .quando posso retornar pra londres?

    • Thamyres Ferreira Post authorReply

      Boa tarde Geraldo,

      Recomendamos marcar uma consulta conosco para que nossos especialistas possam entender melhor suas questões, tirar suas dúvidas e ver o que é possível fazer.

      Pedimos que entre em contato no +55 11 3283-0906 se estiver no Brasil ou no +44 (0) 207 636 8500 se estiver no Reino Unido.
      Ou envie um e-mail no info@londonhelp4u.co.uk.

      Obrigada e abraço!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *