Mês: fevereiro 2018

Verifique os requisitos para solicitar o visto de noiva no Reino Unido

Vivemos num mundo que a internet aproxima as pessoas do mundo todo em apenas um clique e uma rede de internet. A distância se tornou apenas um detalhe para casais apaixonados, mas quando o parceiro é britânico ou residente do Reino Unido, qualquer pessoa pode se unir legalmente por meio de casamento ou união civil. Importante é saber com antecedência os passos para obter o visto assim como os pré-requisitos exigidos pelo governo britânico, indiferentemente se o parceiro é britânico ou europeu.

Todas as pessoas que desejam se casar no Reino Unido e tem intenção de permanecer em território britânico precisa solicitar o visto no Consulado Britânico com antecedência no país de origem. Feito isso, o próximo passo é solicitar o visto de esposa (o) que pode ser feito dentro do Reino Unido, com validade de 2 anos e meio.

Requisitos e documentação necessária:

  • O noivo (a) deve ser britânico ou, independentemente da nacionalidade, deve possuir a residência permamente/definitiva (ILR – Indefinitive Leave to Remain) no Reino Unido
  • Ambos devem ser maiores de 18 anos
  • Relacionamento genuíno e comprovantes
  • Já devem ter se encontrado pessoalmente
  • O requerente deve ter, no mínimo, nível de inglês A1
  • O noivo deve possuir renda mínima de £18,600

IMPORTANTE:

O casal, caso tenha tido um relacionamento anterior, deve demonstrar que já está apto a um novo casamento. Portanto, é necessário a certidão de divórcio neste caso.

Além disso, quando o requerente possui filhos, mesmo de outros relacionamentos, dos quais deseja incluir na solicitação, a renda anual do patrocinador aumenta para £22,400, aumentando gradativamente caso o requerente possua mais de um filho. É necessário também possuir a guarda definitiva do filho menor de 18 anos para residir no Reino Unido.

Observação: qualquer documento em língua estrangeira deve ser traduzido para o inglês.

A LondonHelp4U fornece todo o auxílio necessário na obtenção do visto de noiva (o) no Reino Unido. Somos uma empresa de imigração de 18 anos de experiência em vistos e cidadanias para o Reino Unido.

Quer falar com a gente? Nos contate por telefone HelpLineUK 24h + 44 75 85668158 ou +44 0207 636 8500 (Reino Unido) ou por e-mail info@londonhelp4u.co.uk .Tire suas dúvidas, marque uma consulta, torne processos burocráticos fáceis e rápidos com a ajuda da #LH4U.

Check out the rights of children born in the UK

Confira os direitos das crianças nascidas no Reino Unido

A cidadania britânica é uma das nacionalidades mais burocráticas a ser adquiridas. Diferente do Brasil ou dos Estados Unidos, as crianças nascidas no território britânico não são registradas automáticamente com a nacionalidade do país. Aqui, por exemplo, se os pais são brasileiros e a criança nasce no Reino Unido, esta será registrada de acordo com a origem dos pais, neste caso, com a cidadania brasileira.

Para esta criança ser registrada com a nacionalidade britânica dependerá de alguns fatores. Entenda os direitos das crianças nascidas no Reino Unido neste três casos.

  • Todas as crianças têm o direito de se registrarem com a cidadania britânica se nasceram no Reino Unido e moraram no país durante 10 anos ou mais, mesmo se o pais não possuem visto.
  • Todas as crianças nascidas no Reino Unido têm o direito de se registrarem como britânicos após os pais adquirem a residência definitiva.
  • Todos os filhos de pais britânicos nascidos dentro ou fora do Reino Unido podem solicitar a nacionalidade.

A LondonHelp4U fornece todo o auxílio necessário na obtenção da nacionalidade britânica para crianças e residência definitiva. Somos uma empresa de imigração de 18 anos de experiência em vistos e cidadanias para o Reino Unido.

Quer falar com a gente? Nos contate por telefone HelpLineUK 24h + 44 75 85668158 ou +44 0207 636 8500 (Reino Unido) ou por e-mail info@londonhelp4u.co.uk .Tire suas dúvidas, marque uma consulta, torne processos burocráticos fáceis e rápidos com a ajuda da #LH4U.

O Brexit sem acordo causaria um aumento de 21% nos preços de varejo e 17% nos custos de alimentos e bebidas no Reino Unido, diz análise

Minuto Legal: O Brexit sem acordo causaria um aumento de 21% nos preços de varejo e 17% nos custos de alimentos e bebidas no Reino Unido, diz análise

Brexit sem acordo causaria um aumento global de 21% nos preços de varejo e 17% nos custos de alimentos e bebidas, diz análise

O Brexit causaria um rombo de £80 bilhões de libras nas finanças públicas britânicas, segundo novos detalhes da própria análise econômica secreta do governo. O jornal inglês The Guardian identificou os documentos secretos, que avaliam o impacto econômico de sair do bloco, prevêem que, se não houver acordo, um aumento global de 21% nos preços de varejo e 17% nos custos de alimentos e bebidas.

Mais de £500 milhões de libras foram gastos na detenção da imigração no Reino Unido ao longo de quatro anos

Mais de meio bilhão de libras foram gastos em detenção de imigração em quatro anos, segundo o jornal Independent. O governo britânico gastou aproximadamente £ 523,5 milhões em detenção de pessoas por motivos de imigração entre abril de 2013 e março de 2017, com £16,2 milhões adicionais gastos em danos concedidos a imigrantes que foram detidos ilegalmente no mesmo período. As informações são do jornal Independent.

Atraso do documento relativo ao sistema de imigração pós-Brexit é criticada por empresas britânicas

A decisão do governo britânico de adiar a publicação relativa ao sistema de imigração pós-Brexit no Reino Unido foi denominada “extremamente frustrante” por empresas britânicas. Originalmente programado para ser publicado no verão passado, o documento que descreve as opções após a saída da UE não será publicado até que a negociação do periodo de transição seja acordado, diz Home Office. As informações são do jornal inglês The Guardian.

Os cortes da imigração no Reino Unido podem custar economia escocesa a £10 bilhões por ano até 2040, sugere documento

A ministra dos assuntos externos de Holyrood, Fiona Hyslop, que lançou um  documento sugerindo que, no pior dos casos, o corte da imigração líquida do Reino Unido terá o impacto no PIB na Escócia, custanto mais de £10 bilhões de libras por ano até 2040. Segundo a ministra, os planos de Westminster para reduzir a imigração através de metas e deixar o mercado único não suportam a economia da Escócia ou suas necessidades populacionais.

Photo designed by katemangostar / Freepik

Imigrantes brasileiros fogem de crise e voltam ao Reino Unido

Como adquirir a cidadania britânica

Você conhece as regras para obtenção da naturalização britânica? Este é um processo que visa à conquista do título de cidadão britânico. Para se candidar é necessario que o solicitante se enquadre nas seguintes categorias: residência permanente, nascimento, casamento/união estável e descendência. Confira se você cumpre os critérios necessários para se tornar um cidadão britânico.

Quem pode aplicar?

Residência  Permanente

O candidato pode requerer a naturalização por período de permanência no país. É necessário ter morado legalmente pelo menos nos últimos 5 anos no Reino Unido, não ter infringido nenhuma lei imigratória, nem ter se ausentado por um longo período do país. Cônjuges de cidadãos europeus que tenham a residência permanente também podem solicitar a cidadania britânica. Segundo Humberto Ferrarini, especialista em imigração da LondonHelp4U: “Todo o estrangeiro que vive no Reino Unido por no minímo 5 anos trabalhando e pagando impostos pode aplicar para a residencia permanente.”

Nascimento

Crianças nascidas no Reino Unido estão aptas a solicitar o pedido de naturalização britânica após 10 anos de residência no país ou após os pais adquirem a residência permanente.

Casamento e união estável

O cônjuge de um cidadão britânico, que se casou no Reino Unido, ou está na condição de união estável, precisa aplicar primeiro para residência permanente, antes de entrar com o processo de naturalização. Após 12 meses da obtenção da residência, o candidato pode solicitar a cidadania. Vale lembrar que o Governo Britânico exige a comprovação do nível de inglês B1, para aqueles que pretendem obter o visto através do relacionamento.

Descendência

A cidadania também pode ser transferida automáticamente para os filhos de pais britânicos, que nasceram fora do Reino Unido, ou por pais que possuem a naturalização antes do nascimento dos filhos.

A LondonHelp4U fornece todo o auxílio necessário na obtenção da sua cidadania britânica e ainda realizamos o teste de inglês B1. Somos uma empresa de imigração 17 anos de experiência em vistos e cidadanias para o Reino Unido.

Theresa May envia carta para europeus que vivem no Reino Unido

Brexit: Theresa May e União Europeia divergem sobre o período de transição

A primeira-ministra Theresa May indicou na última quinta-feira que resistirá a proposta para dar direito de residência aos cidadãos da União Europeia durante o período de transição após Brexit. Segundo informações da BBC, May afirma que precisa haver uma diferença entre os imigrantes que entraram no país antes do Brexit com aqueles que chegarão depois. Já o bloco europeu deseja que os direitos completos se estendam a todos até dezembro de 2020.

O período de transição – também referido como um período de implementação – é visto como uma forma de minimizar a interrupção quando o Reino Unido deixa a UE para setores de negócios, turismo e segurança

Acordos em 2017

 Em dezembro, os dois lados concordaram com um acordo que estabelece os direitos propostos aos cidadãos da UE no Reino Unido e os britânicos residentes no continente europeu após o Brexit. O acordo afirma que todos os cidadãos da UE que estiveram no Reino Unido por mais de cinco anos deverão receber o processo de obtenção do novo estatuto de residência permanente — o chamado “settled status”, dando-lhes permissão de tempo indefinido para permanecer e ter acesso aos serviços públicos.

Aqueles que residiram por um período mais curto, mas que chegam antes da data de corte da Brexit, atualmente prevista para 29 de março de 2019, também poderão permanecer e obter “settled status” quando estiverem no Reino Unido há cinco anos.

Na época, o governo britânico previa que o imigrante europeu que chegue depois do Brexit puderia viver, trabalhar e estudar no Reino Unido durante o período de transição, mas que os mesmos precisariam se registrar e deveriam ser acordadas como parte das negociações mais amplas de transição.

No entanto, a UE já disse que espera que as regras vigentes sobre livre-circulação – incluindo o caminho para a residência permanente – sejam aplicadas na íntegra até o final da fase de transição, que deverá ser em 31 de dezembro de 2020.