Mês: Maio 2018

Home Office comete erro e envia cartas a europeus ameçando-os de deportação

Reino Unido será obrigado a pagar o divórcio de 39 bilhões de libras do Brexit

A Grã-Bretanha será legalmente obrigada a pagar sua fatura de 39 bilhões de libras esterlinas do Brexit antes de um acordo comercial com UE. Os deputados serão convidados a autorizar o pagamento quando votarem no acordo de retirada depois do verão britânico, mas não haverá tratado comercial até que o Reino Unido deixe a UE no próximo ano. As informações são do jornal britânico The Independent.

A confissão foi feita por alguns deputados, que disseram que David Davis, secretário do Brexit, havia prometido anteriormente impor “condicionalidades” no acordo Brexit, para proteger o contribuinte. Mas, sob questionamentos do bloco europeu, o governo britânico reconheceu que a UE só estaria assinando um “dever de boa-fé” para buscar um amplo acordo comercial.

Pat McFadden, deputado trabalhista pró-UE, disse que expôs a promessa de Theresa May de que “nada é acordado até que tudo esteja acordado”. A proposta entregue ao comitê Brexit e aos ministros também confirmaram que o chamado batente – manter o Reino Unido alinhado à UE na alfândega depois de 2020 – deve ser “limitado no tempo”.

governo promete processo mais simples de registro para europeus

Aumenta o número de britânicos naturalizados alemães

O Escritório Federal de Estatística da Alemanha (Destatis) anunciou o aumento de 162% a mais de britânicos naturalizados alemães no ano passado em comparação com 2016. O número total foi de 7.493 pedidos de britânicos requerindo o passaporte alemão. Em 2016 o número era de 2.865, um salto de 361% em relação a 2015, quando 622 britânicos tomaram a iniciativa. As informações são do The Guardian.

Destatis é a responsável por diagnosticar essa tendência crescente nos últimos três anos. “Assim como vimos no ano passado, foram os britânicos que foram a nação em particular, onde vimos um aumento de pessoas se tornando cidadãos alemães”, disse um porta-voz. “Em 2017, como em 2016, um novo recorde foi definido”.

Os britânicos perderam apenas para os turcos na lista de estrangeiros que adotaram a cidadania alemã. “Uma conexão com o iminente Brexit parece óbvia: nos anos de 2016 e 2017, um total de 10.358 britânicos adquiriu a cidadania – mais que o dobro do valor durante todo o período entre 2000 e 2015”, disse o porta-voz. O número total ao longo desses quinze anos foi de 5.092.

Dos candidatos bem sucedidos de 2017 que solicitaram o passaporte alemão, cerca de 9% foram perseguidos sob os nazistas, tendo a sua maioria, os judeus e seus descendentes.

 

A idade média das pessoas que foram apelidadas pela imprensa alemã Neue Deutschbriten (novos britânicos alemães) é de 52-58 anos, consideravelmente acima da idade daqueles que pediram a cidadania alemã vindo de outros países do bloco europeu (40 – 49 anos) e de todos os países (34-38 anos).

Ao contrário dos não pertencentes à UE, os britânicos que se tornam cidadãos alemães enquanto a Grã-Bretanha ainda está na UE e ainda são capazes de manter sua cidadania britânica. Após a data de saída esperada de 29 de março de 2019, os britânicos que desejam se tornar alemães teriam que desistir de seus passaportes britânicos

Projeto de revogação das leis europeias traz embate entre governo e oposição no UK

O Brexit já custou quase mil libras a cada família do Reino Unido, diz Banco de Inglaterra

O governo do Banco da Inglaterra, Mark Carney, afimou nesta semana que a decisão do Brexit custou mais de 900 libras em cada família britânica. As informações são do The Guardian. Carney comparou o estado atual das finanças domésticas com as previsões feitas pelo Banco Mundial antes do referendo e percebeu que as rendas domésticas estão significativamente abaixo do esperado.

“A renda familiar é de cerca de £ 900 por domicílio a menos do que a prevista em maio de 2016, o que é muito dinheiro”, apontou Carney ao se referir a perda de renda nos dois anos desde o referendo de 2016. Ele afirmou ainda e que a economia era 2% menor do que a prevista antes do referendo da UE, apesar da força da economia global e do banco após a votação do Brexit. Isso foi “uma diferença razoável” para as previsões para a economia feita em maio de 2016, acrescentou.

Os comentários do representante do banco provocaram reações dos apoiadores do Brexit, que já haviam criticado Carney e a previsão. Jacob Rees-Mogg disse que Carney era “lobo chorando”, enquanto Boris Johnson, em uma visita à Argentina, insistiu que o Brexit não prejudicou os interesses do país. “Acredito que o chanceler deu uma resposta definitiva sobre este assunto, que é que não é o caso que o Brexit prejudicou os interesses deste país”, disse Johnson.

O governador do Banco também advertiu que o Reino Unido precisa aprovar urgentemente a transição do mercado único e da união alfandegária após março de 2019. “Se o acordo de implementação não se concretizar por qualquer motivo, haverá considerável ajuste na economia real”, finalizou.

bancos britânicos vão bloquear contas de imigrantes ilegais

Minuto Legal: Home Office suspende a verificação de contas bancárias do Reino Unido

O Home Office deve suspender as checagens de imigração em milhares de contas bancárias após o escândalo Windrush. O departamento está no processo de entrar em contato com bancos e instituições de crédito para instruí-los a reduzir a examinação, que foram introduzidos como parte dos planos da Theresa May de criar um “ambiente hostil” para os imigrantes ilegais.

Os bancos têm sido obrigados desde janeiro a realizar verificações trimestrais de 70 milhões de contas correntes no Reino Unido – se uma conta for suspeita de ser usada por um imigrante ilegal, o Home Office a analisa antes de instruir o banco a tomar medidas, incluindo a desativação. A imigração não publicou dados sobre o número de contas bancárias já fechadas sob as medidas, nem o número de outras ações tomadas. As informações são do The Guardian.

Sadiq Khan: taxas de cidadania do Reino Unido deixam as crianças no limbo

Crianças e adolescentes nascidos na Grã-Bretanha estão sendo deixados no limbo sem acesso a educação ou emprego por causa de honorários do governo para ganhar a cidadania, disse Sadiq Khan ao jornal The Guardian. Segundo o prefeito de Londres, as taxas que os jovens são forçados a pagar são inaceitavelmente altos, uma vez que a maioria viveu a maior parte ou toda a vida no Reino Unido, mas não possuí oficialmente a cidadania britânica.

1.600 trabalhadores de TI e engenheiros tiveram os vistos negados no Reino Unido

Mais de 1.600 especialistas em TI e foram negados vistos no Reino Unido entre dezembro e março, segundo a BBC News. Eles foram negados porque o número aplicado excedia o limite mensal permitido para entrar no país. Os críticos argumentam que a política de imigração dificultará os esforços do governo para desenvolver uma economia de alta tecnologia.

imigrantes devem ser encorajados a permanecer no Reino Unido

ONU alerta o Reino Unido sobre a politica hostil da imigração

O governo britânico deve parar de forçar os médicos, bancos e proprietários de imóveis a imporem leis de imigração de ambiente hostil, segundo informou uma especialista da ONU, Tendayi Achiume, ao jornal The Independent. Achiume reconheceu que as políticas supostamente dirigidas a imigrantes sem visto estavam destruindo as vidas de comunidades minoritárias estrangeiras e étnicas.

Duranta a visita de duas semanas ao Reino Unido, a relatora especial da ONU sobre racismo concluiu que as leis aprovadas pela coalizão e pelos governos conservadores devem ser revogadas. “Em um contexto nacional profundamente polarizado, não é surpresa que uma política que busca visar apenas imigrantes irregulares esteja destruindo as vidas e os meios de subsistência de comunidades raciais e étnicas minoritárias de forma ampla, incluindo muitos que foram fundamentais para a prosperidade dos imigrantes esta nação por décadas, e são reivindicadores legítimos do status de cidadania ”, declarou Achiume.

Em Londres, ela citou a austeridade, as leis de imigração e as políticas de combate ao terrorismo entre as dinâmicas estruturais que minam a igualdade racial na Grã-Bretanha. Ela criticou duramente o programa Right to Rent, que exige que os proprietários realizem inspeções de visto, cheques bancários e transferências de dados do NHS que foram parcialmente cancelados no início desta semana.

As políticas “transformaram efetivamente lugares como hospitais, bancos e residências particulares em postos de controle de fronteiras”, criticou. Achiume alertou ainda que, embora cada nação seja responsável ​​pela imigração, as leis que resultam em discriminação contra grupos raciais e étnicos violam as leis internacionais de direitos humanos.