Mês: setembro 2018

Gravidez na Inglaterra: como é feito o acompanhamento

Você já deve ter ouvido falar que o pré-natal e o parto na Inglaterra são diferentes do que no Brasil, mas calma, os profissionais são super bem preparados e não há motivos para temer. Vamos mostrar nesse post quais os primeiros passos e como você será acompanhada durante a gravidez. Quer saber mais como é feito o acompanhamento nessa fase? Então confira!

Descobri a gravidez e agora?

Primeiro passo após a descoberta da gravidez é comunicar o seu GP (general practitioner), isso é a clínica que você está registrada. Se por acaso você ainda não fez esse registro não há motivos para preocupação, você só precisa procurar uma clínica (surgery) perto do seu endereço e pedir o registro. Você deverá preencher um formulário, apresentar identidade e comprovante de residência.

Após comunicar a clínica da gravidez, será marcado um horário com a Midwife por volta da 8º semana de gestação.

Quem são as midwives?

As midwives ou em português parteiras/ enfermeira obstétrica são profissionais capacitadas para cuidar da mulher e do bebê durante a gestação e também no parto e pós, entretanto elas não realizam cirurgias e nesses casos, apenas os médicos.

Como são realizadas as consultas e exames

Logo na primeira consulta com a midwife você receberá um livro verde que ficará registrado todo seu histórico. Esse livro precisará ser levado sempre em todas as consultas e exames até o dia do parto. Todo o acompanhamento será feito pela midwife, somente em caso de alto risco que será acompanhada por médico.

As consultas são em semanas já pré-definidas, que pode mudar se for primeira gestação ou não. A midwife irá te examinar além de pedir outros exames como também é feito no Brasil. Você também terá direito ao ultrassom na semana na 12º e 20º semanas ou quando considerarem necessário.

Durante as consultas também será discutido sobre o parto e hospital. Após o nascimento o acompanhamento continua até o 3º mês por uma Health Visitor (assistente social) para checar se a mãe passa bem e como está o desenvolvimento do bebê.

Uma dica importante: todas as gestantes e mães de bebês até 1 ano tem tratamento odontológico gratuito.

Por Rebeca Canivezo

Minuto Legal: União Européia intensifica seus preparativos diante de um possível não acordo com o Reino Unido

A UE está intensificando seus preparativos para um não-acordo sobre o Brexit, em meio a ameaças de que Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista, ordene que seus parlamentares votem contra qualquer acordo feito em Bruxelas.

A declaração Partido Trabalhista de rejeitar o acordo de Theresa May, a fim de desencadear a realização de um novo referendo, provocou uma onda de atividade em Bruxelas, onde os planos do partido são considerados um dos riscos substanciais para as negociações.

Partido Trabalhista debatem sobre apoio a eventual nova votação de referendo do ’Brexit’

O Partido Trabalhista, principal partido de oposição do Reino Unido, afirmou que se for necessário irá votar a favor da realização de um novo referendo sobre os termos de acordo do Brexit. Faltando apenas seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia, o prazo para a negociação esta para expirar e por enquanto nenhum consenso a cerca do acordo sobre os termos do divórcio foi definido.

Thereza May pede respeito a União Europeia e nova proposta para o Brexit

Os lideres Europeus continuam insatisfeitos em relação ao plano proposto por Thereza May sobre a relação futura entre a União Europeia e o Reino Unido. Por enquanto permanece o impasse e dúvidas quanto a um desfecho positivo, especialmente em relação a situação da Irlanda do Norte. May tem insistido que prefere abandonar a UE sem um acordo do que realizar um mal acordo para o seu país.

Governo conservador britânico afirma que imigrantes do Espaço Econômico Europeu não irão ter tratamento preferencial

O executivo da primeiro-ministra, Theresa May, aprovou as conclusões da Comissão Consultiva sobre Migração (MAC), que recomendou em um relatório que após o Reino Unido se separar da União Europeia, todos os imigrantes da UE devem receber o mesmo tratamento  dado a imigrantes de outras nacionalidades.

Prefeito de Londres pede novo referendo sobre o Brexit

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, defendeu a realização de um novo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, e criticou as negociações do governo britânico com Bruxelas sobre o Brexit. Em artigo publicado no jornal The Observer, Khan considera que, faltando apenas seis meses para a saída, o Reino Unido enfrenta duas opções: um “mau acordo” ou “nenhum acordo”.

5 motivos para imigrar para Inglaterra

Todo lugar tem suas peculiaridades, não é mesmo? Há sempre pontos negativos e positivos a se pensar quando cogitamos uma mudança, mas hoje vamos trazer para vocês 5 bons motivos para se mudar para a famosa terra da Rainha. Quer saber quais? Vem com a gente!

1 – Acolhimento

Nada melhor do que chegar num lugar novo e ser bem acolhido, não é verdade? A Inglaterra, especialmente Londres é conhecida por um lugar aberto e receptivo. Há imigrantes de todos os cantos do mundo, com línguas e culturas diferentes vivendo juntos em busca de sonhos e de uma vida melhor.

Toda mudança é difícil no início, mas estar em um lugar que te receba de braços abertos faz toda a diferença no processo de adaptação.

2 – Qualidade de vida e acessibilidade

A maioria das pessoas que migram estão em busca de melhorar a qualidade de vida e isso certamente você encontrará por aqui. Claro que perigos existem em qualquer lugar, mas andar pelas ruas com tranquilidade é sem dúvida um alívio. Além disso, você pode ainda contar com excelentes escolas públicas e um sistema de saúde eficiente.

De modo geral é tudo acessível a qualquer um, o transporte público, por exemplo, é utilizado de forma eficiente por todos, assim como os preços acessíveis desde itens de mercado como produtos tecnológicos.

3 – Respeito

Apesar de casos isolados de intolerância, como os ataques terroristas, a Inglaterra é uma terra conhecida pelo grande respeito que existe entre os habitantes. Você verá nas ruas pessoas de diversos estilos, vestidos às vezes de maneira extravagante e poucas pessoas irão reparar ou comentar a respeito.

É comum notar também que apesar de muito gentis e educados, os nativos não costumam se envolver em questões pessoais ou fazer julgamentos a respeito da vida privada de outras pessoas.

4 – Nova cultura

Se envolver em uma nova cultura, conhecer pessoas com costumes diferentes dos seus e aprender uma nova língua te ajudam a mudar a visão sobre o mundo e a evoluir. Todo dia é um aprendizado, pois mesmo depois de anos vivendo no país você ainda pode se deparar com novidades e diferenças que desconhecia.

Viver em um novo país é agregar conhecimento à sua bagagem de vida.

5 – Lazer

Nem todo lazer e diversão estão relacionados a grandes gastos e essa é uma das vantagens de se viver em terras britânicas. Há inúmeros parques repletos de beleza onde você pode passar o dia lendo um livro, fazendo picnic ou até tomando sol durante o verão. Para quem aprecia cultura e arte existem vários museus gratuitos ou com preços baixos.

Você também sonha em viver na Inglaterra? O que achou desses ótimos motivos? A LondonHelp4U pode te ajudar a realizar esse sonho!

Por Rebeca Canivezo

Cidadãos europeus contribuem mais para o país do que os britânicos, revela estudo

Um estudo recente realizado pela Oxford Economics sugere que os impostos irão subir após a saída do Reino Unido da União Europeia com a queda de trabalhadores imigrantes. Isso porque, foi constatado que os cidadãos da UE contribuem mais para o país do que os britânicos. Segundo a avaliação isso significa que o valor dos cidadãos europeus para a economia era o equivalente a aplicar 5p às taxas de imposto de renda.

Os imigrantes da UE contribuem com mais £ 2,300 a cada ano do que a média dos adultos, segundo a análise do governo.”Quando se trata das finanças públicas, os migrantes europeus contribuem substancialmente mais do que custam, aliviando a carga tributária sobre os outros contribuintes”, disse Ian Mulheirn, o principal pesquisador.

“Se o novo relacionamento do Reino Unido com a Europa envolver uma migração reduzida, esta análise sugere que a carga tributária sobre os outros terá que aumentar” continua.

A notícia publicada pelo jornal Independent ainda afirma que Theresa May tem sido duramente criticada por não apresentar propostas de nova imigração à medida que o Brexit se aproxima e o referendo já foi realizado há dois anos.

Ainda não regularizou sua situação no Reino Unido? Entre em contado conosco, a LondonHelp4U te dá todo o suporte necessário.

Por Rebeca Canivezo

5 séries para aperfeiçoar o inglês e se aprofundar na cultura britânica

Pensando em aprimorar seu inglês e não sabe por onde começar? Que tal assistir algumas séries britânicas? Além de treinar o sotaque, você ainda fica por dentro de fatos históricos e aprende mais sobre a cultura local. Confira essas 5 indicações que temos pra você!

1 – Downton Abbey

Essa premiada série britânica é ambientada no século XX e acompanha a vida da família aristocrática inglesa Crawley. O nome da série vem da propriedade rural fictícia Downton Abbey, onde vive a família na região de Yorkshire. A história acompanha também os criados além dos integrantes Crawley.

Um prato cheio para os amantes de drama e história. Infelizmente a série foi finalizada em 2015 após a sexta temporada, mas os fãs podem comemorar, pois recentemente noticiaram que em breve um filme será produzido.

2 – The Crown

Gosta de acompanhar família real? Então essa série é pra você! Além de treinar o inglês britânico você ainda aprende um pouco mais sobre a história da Rainha Elizabeth II. Produzida pela Netflix, a produção começa com a vida da Rainha a partir de seu casamento, ocorrido em 1947.

Já são duas temporadas disponíveis no serviço de streaming e a terceira já está garantida para o início do ano que vem. A série vem recebendo muito elogios além de prêmios como Globo de Ouro por Melhor Série Dramática e Melhor Atriz em Série Dramática.

3 – Sherlock

Quem nunca ouviu falar das histórias do detetive Sherlock Holmes escritas por Sir Arthur Conan? Agora imagina se elas se passassem nos dias de hoje. Imaginou? É exatamente isso que a série traz. Acompanhe os casos de Sherlock e seu divertido jeito de solucionar os crimes com ajuda de seu fiel amigo Dr. John Watson.

As quatro temporadas disponíveis contam com três longos episódios em cada uma que irão te prender do começo ao fim. Benedict Cumberbatch estrela o papel principal e tem feito um ótimo trabalho. Sherlock também está disponível pelo serviço de streaming  Netflix.

4 – Luther

O excelente ator Idris Elba interpreta um dedicado detetive. John Luther é extraordinário na hora de solucionar crimes, porém precisa controlar a vida pessoal ao mesmo em que lida com seu comportamento em relação a alguns fatores psicológicos que cercam os casos na série Luther.

Produzida pela BBC e disponível pela Netflix, o drama policial retorna na sua quinta temporada, ainda sem data de estreia, depois de três anos que a produção havia sido encerrada.

5 – Call the midwife

Se você admira e quer conhecer mais a fundo o trabalho das profissionais conhecidas como midwife, não deixe de acompanhar a série Call the Midwife. Passada nos anos 50, esse drama de época traz memórias de uma parteira recém-formada que vive na zona leste de Londres.

Essas profissionais guerreiras atendiam e cuidavam de gestantes e seus bebês em uma região pobre da cidade na época do pós-guerra europeu, onde o país vivia um caos. As seis temporadas também estão disponíveis pelo serviço de streaming Netflix.

Lembre-se de uma dica importante para treinar a língua inglesa: o áudio original te ajuda a memorizar e treinar a audição para o sotaque britânico, mas vale colocar a legenda em português para aprender a tradução das palavras desconhecidas.

Conta pra gente qual sua série britânica favorita!

Por Rebeca Canivezo