Mês: janeiro 2019

Brexit: Governo sofre nova derrota; parlamento quer controle sobre saída da União Europeia

Minuto Legal: Ministros do governo pressionam Theresa May a descartar Brexit ‘sem acordo

Theresa May está sob crescente pressão para descartar um Brexit “sem acordo” entre seus principais aliados de governo. Após relatos de que um grupo de quase 20 ministros se reuniu para discutir os planos para impedir um não-acordo do Brexit, a primeira-ministra enfrentou uma série de intervenções de membros de seu governo.

O chanceler Philip Hammond repetiu o alerta de que deixar a UE sem um acordo de retirada seria uma “traição” do referendo de 2016. Enquanto isso, a secretária de Trabalho e Pensões, Amber Rudd usou uma entrevista na televisão para descartar uma demissão se o Reino Unido for para uma saída desordenada do bloco.

A primeira-ministra Theresa May alertou que o fracasso do parlamento de apoiar o seu acordo de retirada com a UE corre o risco de um Brexit sem acordo ou mesmo nenhum Brexit. May embarcou em negociações entre os partidos após a rejeição esmagadora de acordo na semana passada pela Câmara dos Comuns. Confira a notícia completa no Sky News.

Sony anuncia saída do Reino Unido por indefinição do Brexit

A Sony anunciou nesta semana a transferência da sua base operacional do Reino Unido para a Holanda. Em comunicado, a empresa de tecnologia japonesa justificou a mudança pela hesitação e instabilidade quanto aos desfecho do Brexit e o futuro das relações comerciais no bloco europeu. As informações são da CNN.

Empresas do Reino Unido aumentam estoques e a economia desacelera devido a temores do Brexit, afirma pesquisa

As empresas britânicas aumentaram o armazenamento à frente do Brexit, à medida que as oportunidades de exportação para os fabricantes enfraquecem, de acordo com uma nova pesquisa do Lloyds Bank. O índice do comércio internacional do credor mostra que o crescimento das exportações caiu para o seu nível mais fraco em quase três anos no quarto trimestre de 2018. A incerteza política interna e externa , juntamente com o enfraquecimento do crescimento econômico nos principais mercados, foram citados como os motores da desaceleração das exportações. As informações são do jornal Independent.

Filha de soldado britânico teve o visto negado para viver no Reino Unido

A filha adolescente de um soldado britânico não conseguiu obter um visto no Reino Unido permitindo que ela deixasse o Quênia para viver com seu pai. L / Cpl Denis Omondi quer trazer Ann, de 14 anos, para a Escócia. O caso foi levado para as autoridades em Westminster. A primeira-ministra Theresa May disse que o secretário do Home Office, Sajid Javid, examinará as circunstâncias. Confira a notícia completa na BBC.

O que fazer em Wales (País de Gales) no Reino Unido

Para um país relativamente pequeno, o País de Gales tem muitas opções quando se trata de lugares para visitar. Com quase 1.600 quilômetros de costa, você deve encontrar impressionantes colinas, belos castelos de tirar o fôlego e pessoas amigáveis.

O País de Gales é um destino britânico essencial para se visitar. As pessoas galesas são conhecida como as mais amigáveis ​​de todo o Reino Unido. Podemos resumir o lugar apenas com três palavras: amoroso, único e bonito.

Visite Corn Du

Corn Du é a segunda montanha mais alta de Gales do Sul e qualquer caminhante ávido que se preze apreciará esta área no Parque Nacional de Brecon Beacons. Com muitas rotas e vistas para a Pen y Fan (a montanha mais alta de South Wales), é o local perfeito para esticar as pernas e maravilhar-se com a paisagem.

Conheça Castelo de Conwy

Alinhado na costa norte de Gales, o Castelo de Conwy é uma impressionante. Construído para Edward I, este castelo é um exemplo perfeito da herança real de Gales.

Explore a costa de Glamorgan

Inverno ou verão, a costa patrimonial de Glamorgan é um lembrete impressionante da beleza natural que envolve o País de Gales. Dê um passeio pelas suas belas praias.

 

Visite Cardiff

Passe um dia ou dois explorando a capital diversificada de Cardiff. Relativamente pequeno, à medida que as capitais vão, oferece uma infinidade  de coisas para ver e fazer para cada visitante. Não se esqueça de ir em direção a Cardiff Bay, onde o Centro do Milênio, a Assembléia Galesa e uma Igreja Norueguesa alinham sua baía.

Divirta-se no Green Man Festival

Vá o Green Man Festival em Powys, onde você aprenderá a dançar local, beber cervejas e até aprender um pouco de galês.

 

Caminhe em Cadair Idris

Se você é um entusiasta de caminhadas, passe um dia em direção ao topo de Cadair Idris no Parque Nacional de Snowdonia. Em um dia claro, você pode ver a costa de Gales, observando toda a costa cambriana.

Visite uma antiga vila de pescadores

Dirija-se a Tenby para explorar as muitas casas coloridas e charme deste lugar maravilhoso. Estabelecida como uma vila de pescadores há centenas de anos atrás, a vila tornou-se famosa por artesanatos independentes, restaurantes e praias que os habitantes acorrem nos meses de verão.

Pegue um trem à vapor

Visite a cidade de Aberystwyth, no oeste do País de Gales, pegando o vale de Rheidol Railway. Este belo trem percorre as montanhas de Ceredigion, com seu destino final sendo a Ponte do Diabo. Não se preocupe, a cidade de Devil’s Bridge não é tão assustador quanto parece!

Relaxe no Lago Vyrnwy

Em Mid Wales, dirija em direção ao reservatório impressionante do Lago Vyrnwy em Powys. Este local tranquilo é perfeito para desfrutar o interior do País de Gales e até mesmo aperfeiçoar as suas habilidades de pesca!

Surfe na Península Gower

O litoral de Gales do Sul é um paraíso para os surfistas! Siga em direção a Oxwich e aproveite as ondas.

Explore a costa de Pembrokeshire

Não se esqueça de explorar o Pembrokeshire National Coastal Path. As praias bonitas e encanto natural tornam o local perfeito para desfrutar de uma tarde quente.

Visite Aberystwyth

Esta bela cidade na costa oeste do País de Gales é um ótimo lugar para se visitar de trem. Uma vez lá, siga para o Victorian Pier, o Electric Cliff Railway e o castelo da cidade. No verão, quando o mar está calmo, você também pode avistar golfinhos saltadores no mar da Irlanda.

Caminhe pelo caminho costeiro galês

País de Gales tem uma das trilhas costeiras mais antigas do Reino Unido. Escolha qualquer área ao longo da trilha para começar e descubra pedaços de Gales que não são possíveis de ver de carro ou trem – você pode encontrar o Farol de Talacre.

Farol da Pilha do Sul

Por mais de 200 anos, a South Stack Lighthouse sinalizou a costa rochosa para navios que passam por esta região. Hoje em dia, o farol pode ser visitado através de uma ponte e de um caminho costeiro bastante íngreme. As vistas são incríveis, basta estar preparado para uma caminhada ao voltar do topo das falésias!

Visite Aberdovey

Do outro lado do estuário de Ynys Las, Aberdovey é uma pequena aldeia à beira-mar à beira do Parque Nacional de Snowdonia. Facilmente acessível de trem de Machynlleth, esta pequena cidade é a parada perfeita em uma viagem de trem na costa cambriana até o norte de Gales.

Conheça o Castelo de Powis

Esta grande mansão rural é um dos castelos mais únicos do País de Gales. Hoje em dia, este castelo pode ser explorado pelo público, dando-nos a oportunidade de descobrir os seus impressionantes jardins e o vasto parque de veados.

Caminhada Crib Coch Ridge

Não para os fracos de coração, Crib Goch Ridge tornou-se um dos locais de caminhada mais populares do País de Gales. Um lugar perfeito para um desafio de escalada.

Procure por estrelas cadentes em Brecon Beacons

Depois de um dia percorrendo os Brecon Beacons, encontre um local confortável e mantenha os olhos abertos para uma estrela cadente ou duas. A falta de poluição luminosa nos Brecon Beacons torna esta área uma excelente local para quem gosta de ver estrelas!

Source: https://handluggageonly.co.uk/2016/03/08/the-ultimate-guide-on-everything-you-have-to-do-see-and-eat-in-wales-uk/

As 5 melhores maneiras de se mudar para o exterior aos 20 e poucos anos

Os vinte anos são os anos perfeitos para viajar para o exterior e até mesmo se mudar a longo prazo. Saiba as cinco maneiras mais fáceis de aproveitar os melhores anos da sua vida nesta experiência íncrivel.

Estudar no exterior

A maioria das pessoas estuda nesta idade e esta é uma maneira fácil de morar no exterior por alguns meses. Como estudante, você poderá viver no exterior como um verdadeiro residente local. Ser jovem e está ainda na universidade ou um curso de línguas também ajuda muito em conhecer pessoas de outros países e culturas diferentes.

Trabalhar remotamente

Se você já estiver trabalhando ou procurando um novo trabalho, tente obter um trabalho remoto. Muitas pessoas trabalham em escritórios, mas a maioria delas trabalham na Internet, portanto, estar fisicamente presente nem sempre é necessário. Em alguns casos, é possível está empregado e conseguir um autorização para trabalhar remotamente de casa.

Voluntariado

A maioria das pessoas que estuda ou faz uma pausa no trabalho quer fazer algo significativo durante esse tempo. É por isso que o voluntariado no exterior se tornou incrivelmente popular. Embora seja importante sempre pesquisar por projetos no seu país de origem primeiro, o voluntariado no exterior pode ser uma experiência muito interessante. A maioria das pessoas se voluntaria no exterior através de programas.

Abrir um negócio

Começar um negócio ou freelancer irá ajudá-lo a ir para o exterior, não só nos seus vinte anos, mas a qualquer momento da vida. Muitos países têm vistos disponíveis especificamente para pessoas autônomas, então você terá muitos lugares para escolher. Quer se mudar para a Europa? No Reino Unido, profissionais não europeus que querem investir, ou assumir e estar ativamente envolvidos na gestão de uma empresa em território britânico preciso ter capital de, no mínimo, £200.000. O visto tem validade máxima de 3 anos e 4 meses.

Você pode também pesquisar outros países mais fáceis da Europa para se tornar freelancer autônomo ou empresário, como Alemanha, França, Itália, Suécia, etc . A melhor parte de estar no exterior enquanto dirige seu próprio negócio é escolher seu próprio horário de trabalho.

Visto de trabalho

No Reino Unido,  por exemplo, o visto Tier 2 é destinado para profissionais que desejam trabalhar no país. Para aplicar para este visto é necessário ter uma oferta de trabalho e um certificado de patrocínio de um empregador que tenha uma licença de Tier 2 válida. Saiba mais sobre o visto aqui.

Londonhelp4U tem experiência com aplicações de vistos há 17 anos. Este serviço inclui todos os conselhos e trabalhos necessário. Nossa equipe especialista gerenciará cada detalhe do seu visto para garantir que sua aplicação tenha grandes chances de sucesso. Se você deseja mais informações ou quer marcar uma consulta, entre em contato conosco: UK 020 7636 8500, Brasil (11) 3283 0906, HelpLineUK 24h + 44 78 91764830 ou por e-mail: info@londonhelp4u.co.uk.

pessoas com intenção de estudos no Reino Unido

Minuto Legal: Reino Unido amplia período de trabalho e facilita as regras de contratação de graduados

O governo do Reino Unido publicou o tão aguardado White Paper de imigração, que descreve as mudanças nas regras de vistos para estudantes de bacharel, mestrado e doutorado internacional que desejam estender o tempo de permanência para encontrar trabalho no país após a graduação. “Devemos ser mais receptivos aos estudantes neste país”, disse o secretário do departamento de imigração do Reino Unido, Sajid Javid, à BBC . “Não apenas para vir estudar em nossas grandes universidades, mas para aqueles que se formam e obtêm essas grandes habilidades das universidades, devemos facilitar a permanência deles no Reino Unido e trabalhar, e nesse caso o limite salarial será muito menor ”.

Passaporte britânico cai para sexto no índice global

O Reino Unido caiu para o sexto lugar em uma tabela dos passaportes mais poderosos do mundo. O Henley Passport Index classifica os países de acordo com o número de destinos que os titulares de passaportes podem visitar sem um visto pré-estabelecido, que diminuiu para o Reino Unido este ano. As informações são do The Guardian.

Brexit: motoristas do Reino Unido que querem dirigir na UE “precisarão de green card”

Aqueles que querem usar seus veículos no continente europeu – ou atravessar a fronteira com a Irlanda – foram aconselhados a providenciar a documentação extra se o Reino Unido sair do bloco europeu em 29 de março. Milhões de motoristas britânicos que pretendem dirigir na UE precisarão de um “green card ” para fazê-lo, já que o Reino Unido se aproxima do evento “cada vez mais possível” de um Brexit “sem acordo”, alertaram as empresas de seguros. A informação completa aqui.

Parlamento britânico rejeita acordo do Brexit de Theresa May

O Parlamento rejeitou nesta semana o acordo proposto por Theresa May para o Brexit. Foram 432 votos contra e 202 a favor, a maior derrota do governo na história moderna – o recorde anterior era de 1924, com diferença de 166 votos. May terá até segunda-feira (21) para apresentar um plano B para que os parlamentares analisem uma nova proposta.

governo divulga informações sobre imigração no pós-Brexit

Parlamento rejeita acordo do Brexit – O que acontece agora?

O Parlamento britânico rejeitou por 432 a 202 votos o plano da primeira-ministra Theresa May para o Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia. O que pode ocorrer agora?

Em até três dias úteis, o governo tem de produzir uma proposta alternativa. Uma das possibilidade é a que Theresa Maty tente votar o plano rejeitado outra vez, mas quais seriam as outras opções?

1. Brexit sem acordo

Se nenhuma solução for acordada, o desdobramento natural seria um Brexit sem acordo. Pela legislação em vigor, o Reino Unido terá de deixar a União Europeia em 29 de março. Regras da União Europeia também determinam que o Reino Unido deixe a organização até lá.

O governo provavelmente tentaria aprovar leis para se preparar para um Brexit sem acordo, mas isso não seria fundamental.

Parlamentares insatisfeitos com a possibilidade de um Brexit sem acordo derrotaram o governo em 8 de janeiro ao votar em favor de limitar a capacidade do Tesouro em aumentar alguns impostos. O gesto foi considerado simbólico, já que o governo provavelmente poderia encontrar outras formas de gerar receitas, mas também como um sinal de que os parlamentares tentarão evitar um desfecho em que não haja acordo.

Outra saída, caso o governo não ceda, seria submetê-lo a um voto de confiança – mecanismo comum em regimes parlamentaristas pelo qual os legisladores podem votar pela troca do primeiro-ministro (veja o quarto item abaixo).

2. Renegociação ampla

O governo pode propor a negociação de um novo acordo para o Brexit.

Nesse caso, não bastaria fazer pequenos ajustes e votar o acordo novamente.

Teria de haver uma completa renegociação, que levaria tempo e poderia exigir a prorrogação do prazo para o Brexit.

Essa saída necessitaria de dois passos cruciais. Primeiro, o Reino Unido precisaria pedir uma prorrogação à União Europeia – que seria concedida apenas se todos os países membros concordassem.

Segundo, o governo teria de mudar a definição de “dia de saída” em seu Ato de Retirada da União Europeia. Isso poderia ser feito por meio de uma votação no Parlamento.

Se a UE se recusar a retomar as negociações, o governo teria de avaliar as opções a seguir.

3. Convocar eleições gerais

Theresa May pode avaliar que a melhor maneira para sair do impasse seria antecipar as eleições gerais, para reforçar sua autoridade política para buscar um acordo.

Ela não tem o poder de convocar eleições. Mas, assim como fez em 2017, poderia pedir aos parlamentares que endossem a antecipação da eleição – o que exigiria dois terços dos votos. As eleições poderiam ocorrer a partir de 25 dias úteis – caberia à primeira-ministra definir a data.

Essa saída também exigiria uma extensão do prazo do Brexit pela União Europeia.

E uma nova eleição poderia criar um novo cenário, como detalhado abaixo.

4. Voto de confiança

O Partido Trabalhista, hoje na oposição, já indicou a intenção de convocar um voto de confiança sobre o governo para tentar derrubá-lo. De fato, isto foi feito pouco depois da votação do Brexit pelo líder trabalhista, Jeremy Corbyn.

Se o governo perder a votação, há alguns desdobramentos possíveis.

May pode perder o posto de primeira-ministra. Se o novo governo não vencer um voto de confiança em até 14 dias, eleições gerais teriam de ser convocadas a partir de 25 dias úteis.

Poderia ocorrer uma troca no governo. Isso poderia significar um outro governo do Partido Conservador, com um primeiro-ministro distinto, um governo de coalizão ou um governo de outro partido.

Qualquer novo governo teria uma atitude diferente em relação ao Brexit, podendo reconsiderar as várias opções em jogo.

5. Outro referendo

O governo poderia conduzir um novo referendo sobre o Brexit.

Essa saída também provavelmente exigiria prorrogar o prazo do Brexit, pois não haveria tempo de fazer um referendo antes de 29 de março.

Mas um novo referendo não seria convocado automaticamente. Há regras específicas para a convocação dessas consultas. Teria de ser aprovada no Parlamento uma legislação definindo as regras da votação, o que pode exigir tempo.

Haveria ainda uma série de ritos a cumprir antes da definição de uma data para o referendo.

Especialistas da University College London indicam que esse processo todo não poderia ocorrer em menos de 22 semanas.

6. Outras consequências

Há várias possíveis consequências dos desfechos do Brexit.

Após Theresa May sobreviver a um desafio a sua liderança, o Partido Conservador definiu que ela não enfrentará outra contestação – ao menos dos conservadores – pelos próximos 12 meses. Mas ela pode sempre renunciar se não conseguir aprovar seu plano ou não estiver disposta a buscar alternativas.

Isso provocaria uma corrida interna pela liderança do Partido Conservador, que poderia resultar na indicação de um novo primeiro-ministro.

May também pode ser pressionada a renunciar se os parlamentares aprovarem uma “moção de censura” – seria como um voto de confiança, mas sem as mesmas consequências automáticas. Isso também poderia levar a uma troca do primeiro-ministro ou até mesmo uma alteração no governo.

Quem assumir o poder teria de enfrentar os mesmos dilemas em relação ao Brexit.

Fonte: BBC