Ano: 2019

Home Office não deve mais ter poder para deter pessoas, diz Comitê de Direitos Humanos britânico

O Home Office deve perder o poder de deter pessoas em centros de detenção de imigrantes , disseram os deputados em um relatório que também pede o fim do bloqueio de pessoas indefinidamente. Segundo o jornal Independent, o Comitê Conjunto de Direitos Humanos (JCHR) disse que o sistema atual deveria ser “urgentemente” reformado para torná-lo mais justo e humano, e pediu mais mudança para tornar as detenções “menos como prisões”.

Também pediu um prazo de 28 dias para acabar com o “trauma” da detenção por tempo indeterminado, recomendando que somente em circunstâncias excepcionais o Home Office poderia aplicar a um juiz que decidisse se um período adicional de detenção deveria ser autorizado.

As chamadas para o fim da detenção por tempo indeterminado no Reino Unido foram recentemente apoiadas pela agência de refugiados da ONU , e o secretário da pasta, Sajid Javid, prometeu no ano passado investigar como os prazos de detenção de imigrantes funcionam em outros países.

O comitê disse que, no atual sistema de detenção de imigrantes, “os erros são inevitáveis” porque “não há independência na tomada de decisões”, já que o poder de deter é exercido pelo departamento encarregado de deportações e remoções.

Citando a série de erros aceitos pelo Home Office em casos de detenção envolvendo membros da Commonwealth da geração Windrush, o relatório observa uma “falta de rigor” nas decisões de detenção. O estudo aponto que nos casos em que o Home Office planeja deter uma pessoa – que se aplicava a 45% dos casos – deveria pedir a um órgão independente autoridade para fazer uma ordem de detenção.

Um porta-voz do Home Office disse: “A detenção de imigrantes é uma parte importante do sistema de imigração mais amplo, mas estamos comprometidos em usar a precaução com parcimônia e somente quando necessário. Noventa e cinco por cento das pessoas responsáveis ​​pela remoção a qualquer momento são geridas na comunidade.

“Qualquer decisão de deter alguém é revisada por um Detention Gatekeeper que age independentemente das equipes de referência e caso de trabalho para garantir que a adequação de um indivíduo para a detenção foi totalmente avaliada e quaisquer vulnerabilidades foram consideradas.

“Um indivíduo só é detido quando há perspectiva realista de remoção dentro de um prazo razoável. Nós não detemos pessoas indefinidamente, e a lei não permite isso. ”

5 dicas para os imigrantes abrirem negócios no Reino Unido

Para aqueles que acabaram de se mudar para o Reino Unido, começar um negócio é um primeiro passo emocionante para começar sua nova vida.

Se você mora em Londres, há uma infinidade de oportunidades no mercado para iniciar um empreendimento que mudará sua vida e as pessoas ao seu redor para sempre. O Reino Unido é um ótimo lugar para começar um negócio de acordo com a Forbes. O governo oferece bolsas de negócios para pequenas startups e, embora o processo de inscrição possa ser complexo e difícil, elas são incrivelmente benéficas e bem-sucedidas. Qualquer um da UE pode começar um negócio no Reino Unido e, felizmente, para o um cidadão-europeu, temos cinco dicas úteis para aqueles que estão tomando a iniciativa e querem iniciar seu próprio negócio.

Escreva um plano de negócios

Você não vai longe sem criar um plano de negócios detalhado e preciso. Os planos de negócios mostrarão aos investidores, ou os credores que concedem empréstimos no Reino Unido, uma boa idéia de quão bem o seu negócio. Realize uma pesquisa completa em seu mercado alvo. Você precisará planejar e adaptar a empresa ao público, para que o plano de negócios também seja adequado a eles. O plano de negócios precisa ser conciso – você precisará manter as pessoas interessadas, e ninguém vai ler um texto enorme. As finanças são um aspecto fundamental do plano de negócios, por isso certifique-se de que estão todas precisas.

Organize finanças

Você precisa ter as finanças bem organizadas se está pensando em começar um negócio. Se você mudou recentemente para o Reino Unido – uma mudança cara -, então você pode perder mais dinheiro se não se organizar direito. Amigos e familiares costumam ser a primeira porta de entrada para aqueles que buscam fundos para os novos negócios, mas isso pode afetar algumas crises de relacionamentos. O crowdfunding é uma maneira cada vez mais comum de financiar um novo negócio, mas é um mercado saturado. Conseguir um pequeno empréstimo em dinheiro é, de longe, um dos métodos mais fáceis de obter financiamento para o novo negócio de startups. Empréstimos no Reino Unido são rápidos e fáceis de proteger on-line, apenas certifique-se de que você pode pagar reembolsos, pois a inadimplência pode afetar negativamente sua pontuação de crédito.

Decida em qual estrutura jurídica o negócio se enquadra

Para qualquer pessoa que comece qualquer tipo de negócio no Reino Unido, você deve estar registrado no HM Revenue & Customs (HMRC). Mas antes disso, você precisará decidir que tipo de negócio estará registrando. Diferentes tipos de empresas exigem diferentes tipos de registro e afetam a maneira como seu novo negócio é estruturado. As empresas podem ser criadas com um único comerciante, em que você sozinho será diretamente responsável por todas as finanças do negócio. Você é a única pessoa a gerir o negócio? Você está envolvido em uma parceria? Registrar-se como uma parceria é a maneira mais fácil para aqueles com duas ou mais pessoas envolvidas. Você também pode ser inscrito como uma empresa limitada, onde as finanças são separadas de suas finanças pessoais, mas há muito mais papelada com este método.

 Construa uma marca

A sua empresa precisará ter uma identidade, não importa em qual setor você decidir entrar, a fim de se diferenciar de outras empresas. Faça uso de mídias sociais e do tradicional marketing boca a boca. A paixão pelo negócio deve brilhar através de sua marca. Certifique-se de que sua marca é apropriada para sua empresa, mas não tenha medo de pensar fora da caixa para se destacar da multidão.

Proteja-se

Você precisará organizar um seguro para a emprensa. Se o seu negócio crescer além de uma equipe de apenas um homem, você também precisará garantir que todos os funcionários estejam adequadamente segurados. Você precisará tirar seguros de responsabilidade pública e de funcionários; o primeiro protege você se o público for prejudicado de alguma forma como resultado de seu empreendimento comercial, este último protege seus funcionários.

Você precisará proteger suas idéias também! Helen Watson, da gov.uk, recomenda que os proprietários de empresas considerem a proteção de quaisquer formas relevantes de propriedade intelectual, como marcas registradas, patentes e direitos de design.

Tudo em todos

Mudar para o Reino Unido é um grande passo, e ainda mais quando está começando um novo negócio. Qualquer um que se esforce para fazer os dois estará iniciando um capítulo incrivelmente emocionante em suas vidas. Começar um negócio pode ser um processo complexo e estimulante para empreender. Crie um plano de negócios detalhado e conciso para vender suas ideias para as pessoas. Você precisará ser financeiramente sólido – há muitas opções para financiar sua empresa, desde o financiamento coletivo até a obtenção de pequenos empréstimos em dinheiro no Reino Unido. Proteja seus funcionários e suas ideias. Seu negócio terá sucesso em algum momento!

Source: https://www.bmmagazine.co.uk/business/5-tips-for-immigrants-starting-businesses-in-the-uk/

Minuto Legal: UE nega renegociar o Brexit com Theresa May novamente

A UE disse à primeira-ministra britânica Theresa May que não reabrirá as negociações sobre o acordo Brexit durante a visita de Theresa May a Bruxelas numa tentativa de persuadir os líderes do bloco para discutir o trato, exigido pelo Parlamento do Reino Unido. O presidente da Comissão Européia, Jean-Claude Juncker, disse na quinta-feira que a União Européia poderia apenas “acrescentar palavras” à Declaração Política sobre o que almejam em seu futuro relacionamento. As informações são da CNN.

“Aqueles que promoveram o Brexit merecem um lugar especial no inferno” diz presidente do Conselho Europeu

A União Europeia não fará nenhuma nova oferta no acordo com o Reino Unido para a saída do bloco, e aqueles que promoveram o Brexit sem ter a mínima ideia de como implementá-lo merecem um lugar especial no inferno, afirmou nesta semana o ex-primeiro-ministro polonês Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, que representa a UE. Em reação à declaração de Tusk, os parlamentares britânicos pró-Brexit, disse que a declaração de Tusk era um insulto para o povo britânico. Já o porta-voz do governo disse que seria o caso de perguntar ao presidente do Conselho Europeu se a linguagem usada por ele “ajuda” a resolver a situação. As informações são da BBC.

 O Banco da Inglaterra adverte que o Brexit pode causar recessão.

O Banco da Inglaterra alertou que a economia está em curso para seu pior ano desde a crise financeira global. Segundo estudo interno, as evidências sugerem que o nervosismo do Brexit está se espalhando das empresas para os consumidores. As informações são do The Guardian.

“Home Office destruiu a minha vida com uso indevido da lei de imigração”

Nisha Mohite foi uma das mais de 300 migrantes altamente qualificadas que o Home Office tentou forçar a saída do país sob o parágrafo 322 (5) das regras de imigração. O parágrafo é uma cláusula relacionada ao terrorismo usada somente quando a má conduta no nível da “criminalidade, uma ameaça à segurança nacional, crimes de guerra ou proibições de viagem”. O uso da cláusula foi usada para tentar forçar professores, médicos, advogados e engenheiros a sair do Reino Unido por fazer pequenas e legais alterações em seus impostos.

A apelação contra a decisão pode levar anos, durante os quais o solicitante não pode trabalhar ou alugar propriedades, e nem eles nem sua família imediata podem usar o NHS. Leia a notícia completa no The Guardian.

Minuto Legal: UE concede isenção de visto para cidadãos britânicos mesmo com um Brexit sem acordo

UE concede isenção de visto para cidadãos britânicos mesmo depois de um Brexit sem acordo

A UE concordou em conceder aos britânicos permissão de viajar sem visto para os países membros do bloco, mesmo que haja um Brexit sem acordo. O Reino Unido já confirmou que os cidadãos da UE também poderão fazer visitas de curta duração ao país sem visto após a realização do Brexit em 29 de março. O Conselho Europeu oficializou em comunicado: “Os embaixadores da UE concordaram hoje que, após o Brexit, os cidadãos do Reino Unido que chegam ao espaço Schengen para uma estadia curta (90 dias em 180 dias) devem receber isenção de visto. Confira a notícia completa no Independent.

Reino Unido tenta renegociar o Brexit, mas a UE diz que nada será mudado

Theresa May seguirá o plano B de voltar à UE para renegociar os termos do acordo de retirada com finalidade de tentar uma aprovação do parlamento. O futuro está agora com a UE, mas em última análise feita pra CNN, esta semana demonstrou que um Brexit sem acordo é mais provável do que nunca. Confira a notícia completa aqui.

Reino Unido pode precisar de um atraso do Brexit para aprovar leis mais críticas, afirma secretário de Relações Exteriores do Reino Unido

A saída da Grã-Bretanha da UE pode ser adiada – mesmo se houver um acordo antes do final de março, disse o ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt. “É verdade que, se acabássemos aprovando um acordo nos dias anteriores a 29 de março, poderíamos precisar de algum tempo extra para aprovar uma legislação crítica”, disse Hunt ao programa Today da BBC.

Universidades britânicas alertam sobre um não-acordo do Brexit

Líderes do ensino superior escreveram aos parlamentares para dizer que “não é exagero” alertar que as universidades precisariam de “décadas para se recuperar” de um Brexit sem acordo. Segundo os educadores, isso prejudicaria a pesquisa científica e ameaçaria a contribuição de £21 bilhões das universidades para a economia do Reino Unido. O governo garantiu que seus planos de imigração manterão as universidades “abertas ao talento que precisamos da Europa”. As informações são da BBC.

Minuto Legal: Ministros do governo pressionam Theresa May a descartar Brexit ‘sem acordo

Theresa May está sob crescente pressão para descartar um Brexit “sem acordo” entre seus principais aliados de governo. Após relatos de que um grupo de quase 20 ministros se reuniu para discutir os planos para impedir um não-acordo do Brexit, a primeira-ministra enfrentou uma série de intervenções de membros de seu governo.

O chanceler Philip Hammond repetiu o alerta de que deixar a UE sem um acordo de retirada seria uma “traição” do referendo de 2016. Enquanto isso, a secretária de Trabalho e Pensões, Amber Rudd usou uma entrevista na televisão para descartar uma demissão se o Reino Unido for para uma saída desordenada do bloco.

A primeira-ministra Theresa May alertou que o fracasso do parlamento de apoiar o seu acordo de retirada com a UE corre o risco de um Brexit sem acordo ou mesmo nenhum Brexit. May embarcou em negociações entre os partidos após a rejeição esmagadora de acordo na semana passada pela Câmara dos Comuns. Confira a notícia completa no Sky News.

Sony anuncia saída do Reino Unido por indefinição do Brexit

A Sony anunciou nesta semana a transferência da sua base operacional do Reino Unido para a Holanda. Em comunicado, a empresa de tecnologia japonesa justificou a mudança pela hesitação e instabilidade quanto aos desfecho do Brexit e o futuro das relações comerciais no bloco europeu. As informações são da CNN.

Empresas do Reino Unido aumentam estoques e a economia desacelera devido a temores do Brexit, afirma pesquisa

As empresas britânicas aumentaram o armazenamento à frente do Brexit, à medida que as oportunidades de exportação para os fabricantes enfraquecem, de acordo com uma nova pesquisa do Lloyds Bank. O índice do comércio internacional do credor mostra que o crescimento das exportações caiu para o seu nível mais fraco em quase três anos no quarto trimestre de 2018. A incerteza política interna e externa , juntamente com o enfraquecimento do crescimento econômico nos principais mercados, foram citados como os motores da desaceleração das exportações. As informações são do jornal Independent.

Filha de soldado britânico teve o visto negado para viver no Reino Unido

A filha adolescente de um soldado britânico não conseguiu obter um visto no Reino Unido permitindo que ela deixasse o Quênia para viver com seu pai. L / Cpl Denis Omondi quer trazer Ann, de 14 anos, para a Escócia. O caso foi levado para as autoridades em Westminster. A primeira-ministra Theresa May disse que o secretário do Home Office, Sajid Javid, examinará as circunstâncias. Confira a notícia completa na BBC.