Categoria: Curiosidades

5 castelos impressionantes na Escócia

Visitar castelos por si só já é um passeio incrível, melhor ainda ter a Escócia como cenário!

Ahh, a Escócia…! O país parece ser paisagem de conto de fadas e uma das experiências fantásticas para os viajantes é visitar os castelos do país. Que tal começar o ano novo com um roteiro de construções esplêndidas pelo país?

São mais de 100 castelos espalhados por toda Escócia. Tem uns bem perto dos centros das cidades, outros nem tanto. Mas opções não faltam.

Visitar castelo é o passeio ideal para quem gosta de história e de admirar construções incrivelmente imponentes. Gostou da ideia? Conheça então esta lista de 5 castelos impressionantes na Escócia:

1 – Castelo de Edimburgo

Bem no centro da capital escocesa, um castelo encantador. No alto de rochas, o Castelo de Edimburgo merece todos aplausos dos visitantes, seja por sua beleza, seja por sua história. Ele é o ponto turístico mais visitado de toda Escócia. Foi construído no século XII e a estrutura reconstruída ou reformada alguma vezes. Lá já moraram reis e rainhas marcantes para a história do Reino Unido.

2 – Castelo de Glamis

O Castelo de Glamis lembra muito os castelos de histórias e filmes encantado, com suas torres arredondadas, paredes avermelhadas e telhas cinzas. Mesmo assim, o castelo é considerado mal-assombrado, com fantasmas e armas perdidas. Mas vale a pena deixar a crença de lado para conhecer este lugar esplendido.

3 – Castelo de Balmoral

Há 160 anos, esta é a residência oficial de férias da família real. Todo verão, depois de um longo ano morando no Palácio de Buckingham, a rainha e seus familiares vêm ao Castelo de Balmoral passar as férias. Ele foi construído em 1390 e ampliado pela Rainha Vitória. Quem deseja conhecer o castelo e os jardins por dentro pode fazer entre os meses de abril e junho.

4 – Castelo de Urquhart

Quem visita a região de Inverness, principalmente o Lago Ness, pode estender o passeio até o Castelo de Urquhart. Segundo a lenda, é exatamente as margens deste castelo que vive o famoso e temido Monstro do Lago Ness. Hoje o castelo está abandonado e caindo as ruínas, mas lá já foi casa de muitas pessoas importantes de séculos anteriores. Este é o terceiro ponto turístico mais visitado de toda Escócia, já que quem visita o Lago Ness sempre passa para conferir o marcante e chamativo castelo às margens do lago.

5 – Castelo de Stirling

A linda arquitetura renascentista e sua localização no alto de uma colina chama a atenção dos turistas para o Castelo de Stirling. Ele fica a apenas uma hora de Edimburgo e, quem está viajando pela capital, pode ser aventurar um dia pela região de Stirling. Neste castelo, as grandes muralhas de defesa também chamam e atenção. Muitos reis e rainhas antigos já moraram no local.

Por Natalia Fernandes

Os 5 Primeiros-Ministros mais marcantes do Reino Unido

Nesta semana de eleições, conheça os 5 primeiros-ministros mais marcantes da história britânica

Na última quinta-feira (12) tivemos eleições aqui no Reino Unido. Além de renovar a Câmara dos Comuns – o que seria equivalente ao Congresso Nacional, no Brasil – os britânicos também escolheram o primeiro-ministro do país.

O cargo existe desde 1721 e tem como função ser o líder da Câmara dos Comuns e do país. Os poderem que, teoricamente, são da Coroa, passam a ser exercidos pelo primeiro-ministro. Obrigatoriamente, todo primeiro-ministro deve morar na Downing Street, casa 10.

Preparamos uma lista de primeiros-ministros mais marcantes na história de todo Reino Unido. Confira:

 

 

  • Sir Robert Walpole

Ainda que em 1721 o cargo “primeiro-ministro” não tivesse esse nome, Robert Walpole, o Conde de Oxford, foi o primeiro a ocupá-lo. Ele serviu o país por 39 anos. Depois que saiu do cargo, ele foi acusado de corrupção e chegou a ser preso por um curto período.

Desde Walpole, o Reino Unido já teve 53 primeiros-ministros

https://www.flickr.com/photos/number10gov/8699156564/ – Number 10

 

  • Winston Churchill

Quando o Reino Unido passou por um dos maiores desafios de sua história, a Segunda Guerra Mundial, Winston Churchill era primeiro-ministro. Seu legado exitoso marca a Inglaterra até hoje. Porém, quando a guerra acabou, sua popularidade caiu, principalmente por sua implicância com o Partido Trabalhista.

BiblioArchives / LibraryArchives

 

  • Margaret Thatcher

Thatcher foi a primeira mulher a ocupar o cargo de primeira-ministra não só no Reino Unido, como em toda Europa. A Inglaterra passava por grave crise econômica quando ela assumiu, na década de 70. Por causa de sua personalidade, mas principalmente pelas duras reformas que fez no Reino Unido, ela ganhou o apelido de “Dama de Ferro”.

  • Clement Attlee

Em geral, os britânicos classificam Clement Attlee como o melhor primeiro-ministro que o Reino Unido já teve. Isso porque ele assumiu logo com um Reino Unido destruído economicamente pela guerra e o levou a outro patamar, recuperando a economia do país. Outro grande legado de Attlee foi a criação do Serviço Nacional de Saúde, o sistema gratuito de saúde do Reino Unido.

Desconhecido – 1957 Michiganensian, p. 39

 

  • Lord North

Embora a maioria dos primeiros-ministros desta lista foram marcantes para a história do Reino Unido por coisas boas, há aqueles que se destacaram negativamente. Foi o caso do Lord North, que governou entre 1770 e 1782. Ele ficou conhecido como o primeiro-ministro que perdeu a América! Sua política externa era tão ruim que levou a França, Holanda e Espanha a apoiar os Estados Unidos e fazer com que a Independência colonial acontecesse.

 

Por Natalia Fernandes

MINUTO LEGAL: eleições, Brexit e imigração

A saída do Reino Unido da UE seria de fato a data de início de uma enorme negociação. As informações são de The Guardian.

*

Todos os migrantes merecem apoio – não apenas os ‘bons’ – Furaha Asani. Por ser acadêmica, minha possível deportação causou indignação. Mas existem milhares de outros na minha posição. As informações são de The Guardian.

*

‘Um labirinto estonteante’: como o sistema de imigração do Reino Unido é preparado para rejeitar. As informações são de The Guardian.

*

EU Settled Status para familiares de pessoas com dupla cidadania. Um novo questionamento sobre as regras do Settled Status para os cidadãos da UE e suas famílias após o Brexit. As informações são de Free Movement.

*

Mais de 250 empresários britânicos assinaram uma carta aberta pedindo ao próximo governo que implemente uma série de reformas para ajudar o setor de startups do Reino Unido. O apelo, chamado de Manifesto de Startup, pede uma reforma do sistema de vistos para que as startups pudessem atrair os melhores talentos sem burocracia. As informações são de City AM.

*

Conservatives, Liberal Democrats, Greens, the Brexit party and Plaid Cymru na preparação para as eleições gerais de 2019 no Reino Unido. Quais são as suas políticas sobre imigração? As informações são de The Guardian.

*

EUA preferem Brexit sem acordo, conforme mostra documentos obtidos pelo partido Trabalhista. As informações são de The Guardian.

6 curiosidades sobre os ônibus de dois andares

Símbolo de Londres, os double deckers compõem a frota de transporte público inglesa

Charme, elegância, imponência e tradição. Os ônibus de dois andares de Londres, ou double deckers, são a cara da cidade! E não há maneira melhor e mais bonita de se locomover pelas zonas 1 e 2. Como os pontos turísticos são longe um do outro, opte por andar de ônibus, e não metrô. Eles também aceitam o Oyster Card e os cartões de crédito por aproximação.

Veja agora seis curiosidades desse mundialmente marcante meio de transporte:

1) Eles existem desde antes a criação dos carros

Em 1850 começaram a rodar pela cidade charretes de dois andares (sim, existiam double decker puxados por cavalos)! A primeira frota de transporte público motorizada de Londres foi só 20 anos depois, em 1910.

Omnibus, from St John Abcock, Wonderful London (1926/27), vol.II, p.503

 2) Não é só em Londres

Outras cidades do Reino Unido também possuem os double deckers como meio de transporte público, fazendo com que esse seja um símbolo de toda Grã-Bretanha. Quando for a Brighton, Cambridge, Edinburgh, por exemplo, você também poderá se locomover no segundo andar dos ônibus!

3) As propagandas são caras

Como todo mundo está de olho nele, principalmente os turistas, os outdoores fixados nos ônibus são caros. Somente grandes marcas conseguem bancar e expor seus produtos ou serviços nos double deckers.

4) A rainha já andou de ônibus

Em 2002, a rainha Elizabeth II testou o ônibus de dois andares dando uma volta. Mas é claro que o passeio foi nos jardins do Palácio de Buckingham e a rainha não teve que pagar pela viagem!

5) Ainda existem Routemasters

Entre a década de 50 e os anos 2000, popularizou-se em Londres os modelos Routemasters. Além de um design vintage, os ônibus possuíam portas traseiras que, quando o veículo estivesse em baixa velocidade, possibilitava que passageiros entrassem e saíssem com o ônibus em movimento. Hoje eles foram substituídos por modelos mais econômicos, ecológicos e modernos, mas quem pegar a linha 15 ainda vai andar num autêntico Routemaster.

6) Vermelho para chamar a atenção

No século XX, diferentes empresas competiam por passageiros em Londres e cada uma tinha uma estratégia para chamar a atenção do público. A maior empresa do setor era a London General Omnibus Company. Em 1933, o transporte foi unificado, mas a prefeitura decidiu manter o vermelho em todos, já que era a cor de maior predominância no transporte. Mais tarde a cor virou ícone do transporte público londrino e é conhecida no mundo todo.

 

MINUTO LEGAL: campanha para eleições e notícias sobre imigração

Imigrantes obrigados a esperar meses pelo visto no Reino Unido, apesar de pagar £ 800 por prioridade. O Home Office foi acusado de incompetência na entrega do serviço rápido a empresas privadas. As informações são de The Guardian.

*

Como a imigração se tornou a questão política mais tóxica da Grã-Bretanha. Ao longo de 20 anos, o debate sobre a liberdade de movimento ficou distorcido por uma narrativa hostil. As informações são de The Guardian.

*

O Brexit custará ao NHS £ 60m adicionais por ano para recrutar médicos e enfermeiros do exterior, afirma o partido Liberal Democrata. As informações são de Independent.

*

O partido Conservador estabeleceu planos para um sistema de imigração “igualado” após o Brexit, como Jeremy Corbyn disse que ainda esperava uma “grande quantidade” de liberdade  movimento de pessoas da UE para o Reino Unido. As informações são de BBC.

*

Corbyn defende benefícios da imigração e disse que haverá uma “grande quantidade” de liberdade de circulação depois que o Reino Unido deixar a UE. Espera-se que o partido Trabalhista estabeleça sua política sobre o assunto. As informações são de BBC.