Categoria: Dicas de Imigração

MINUTO LEGAL: as notícias sobre imigração em UK dos últimos dias

Racismo e crimes de ódio relacionados à raça aumentaram desde o referendo Brexit de 2016, com oficiais designados para lidar com as “tensões”. 24 oficiais de coesão da comunidade estão sendo nomeados por conselhos em todo país de Gales. O foco, em particular, são os cidadãos da União Europeia e outros grupos minoritários que se possam sentir suscetíveis às tensões do Brexit. As informações são de BBC.

Dois jovens músicos cegos, que deveriam chegar ao Reino Unido no sábado, para participar de um intercâmbio cultural de duas semanas estabelecido pelo governo, foram impedidos pelo Home Office de entrar no país. As informações são de iNews.

Uma bebê cujo responsável legal é residente no Reino Unido foi impedida de entrar no país, deixando ela e sua futura mãe adotiva “abandonadas” no Paquistão. As informações são de Independent.

Mãe negada chance de limpar seu nome de acusação que vai ver toda a família deportada de volta ao marido ela teme. “Minha vida parou quando recebi a carta”, descrevendo o momento em que foi acusada pelo Home Office de fraudar um teste de inglês que ela completou três anos antes. As informações são de Independent.

Uma petição para impedir a deportação de um estudante “excepcional” e “marcante” atraiu mais de 6.000 assinaturas. Stiven Bregu, 18 anos, foi traficado da Albânia para o Reino Unido em 2015, para escapar de violência doméstica e foi despejado sozinho em Keynsham, perto de Bristol. As informações são de BBC.

Visto de família: saiba como trazer familiares para o Reino Unido

Muitos imigrantes que moram no Reino Unido tem dúvidas com relação a trazer familiares para morar na Inglaterra. Nesses casos é necessário aplicar para o Family Visa. Confira a seguir quem está habilitado para trazer dependentes e como funciona o processo.

Quem pode trazer dependentes?

Aqueles que desejam torna-se provedores de familiares no Reino Unido, devem ser portadores de cidadania britânica ou terem Residência Permanente no país.

“Também é necessário que o provedor em território britânico tenha uma renda anual mínima, além de uma renda extra para cada dependente”, explica Francine Mendonça.

Quem se enquadra como membro de família?

– Filhos e netos: para menores de 21 anos, basta compravar ter a guarda. Já para maiores de 21 anos, é necessário a comprovação de que os mesmos dependem economicamente do provedor

– Pais e avós: é necessário comprovar que os mesmos necessitam da ajuda do provedor e que já viviam juntos anteriormente

– Adotados: membros de família adotados de forma regular e por leis que sejam reconhecidas no Reino Unido, tem os mesmos direitos de outros dependentes

Extensão de membros de família

Irmãos, tios, primos e sobrinhos também podem se enquadrar como dependentes. Porém, a comprovação da dependência realizada pelo governo britânico é mais rigorosa. É necessário mostrar que ambos os familiares já tinham um laço forte anteriormente, além da necessidade econômica.

Como aplicar?

Se você deseja trazer algum familiar para morar com você no Reino Unido, entre em contato com a LondonHelp4U. Somos uma empresa de imigração com 18 anos de experiência em processos de vistos e cidadanias.

Divórcio no Reino Unido: entenda as possibilidades para facilitar o processo

A vida de quem escolhe morar fora do Brasil é repleta de situações inusitadas, momentos complicados, conquistas inesquecíveis ou até mesmo separações inevitáveis. Muita gente que vive por aqui encontrou um grande amor e possui lindas histórias para contar, mas há também quem viveu uma história de amor que chegou ao fim.

Tão importante quanto o casamento, o divórcio é um documento oficial para que as duas partes de um casal consiga continuar suas vidas, seja no Brasil, no Reino Unido ou em qualquer parte do mundo. Por aqui, este processo não é complicado e pode ser iniciado por apenas uma das partes.

Casamentos registrados no Brasil ou no Reino Unido, entre brasileiros ou europeus, possuem algumas possibilidades para solicitar o divórcio.

Divórcio por procuração no Brasil

Se o casamento é registrado no Brasil, é possível fazer o processo de divórcio no Reino Unido. A partir dos critérios da separação – se for consensual, sem partilhas de bens e relacionamento sem filhos, por exemplo – todo o processo através da LondonHelp4U é simples e pode ser feito sem precisar de uma viagem ao Brasil.

Divórcio de casamento no Reino Unido

Os pedidos de divórcio para casamentos registrados legalmente no Reino Unido podem ser feitos com a apresentação da certifdão de casamento e nada mais! Inclusive, é possível fazer a aplicação do divórcio por apenas uma das partes – a outra parte receberá os doumentos e terá que consentir com o divórcio.

Em tempo: cidadãos brasileiros casados com cidadões europeus possuem alternativas para continuar vivendo no Reino Unido durante e após processo de divórcio, através da residência permanente.

Londonhelp4U

A LondonHelp4U oferece serviços de cartório e possui ampla experiência em processos de divórcio no Brasil e Reino Unido. Este serviço inclui todos os conselhos e trabalhos necessários, de forma prática e segura. Nossa equipe especialista gerenciará cada detalhe do seu caso para garantir que sua aplicação tenha grandes chances de sucesso. Se você deseja mais informações ou quer marcar uma consulta, entre em contato conosco: UK 020 7636 8500, Brasil (11) 3283 0906, HelpLineUK 24h + 44 78 91764830 ou por e-mail: info@londonhelp4u.co.uk.

Artigo originalmente publicado na Revista Brasil na Mão

Um filho pode não ser uma evidência suficiente para considerar um casamento verdadeiro no Reino Unido

De acordo com o Home Office, o fato de ter um filho em comum não constitui uma forte evidência para reconhecer o casamento legítimo dos pais e expedir o cartão de residência permanente para um candidato. Uma cidadã ucraniana solicitou o cartão de residência por ser esposa de um cidadão da Área Econômica Europeia (EEA) e que exerceu todos os critérios estabelecidos para este direito.

No entanto, o pedido foi recusado com base nos resultados da entrevista de casamento. A candidata e o seu esposo, que é cidadão da Lituânia, foram entrevistados separadamente e o Home Office detectou algumas divergências.

Veja as diferenças detectadas na entrevista:
1 – A recorrente afirmou que seu esposo fez o pedido de casamento no verão de 2014, enquanto seu marido mencionou uma data de setembro de 2015.
(Será que é possível não lembrar quando exatamente você foi pedida em casamento?)
2 – Além disso, foram encontradas disparidades nas respostas sobre o nome da irmã da candidata.
(Seria possível esquecer o nome da irmã da sua esposa por estar nervoso em uma entrevista como esta?)
3 – A candidata não foi capaz de dizer a quantia da hipoteca feita pelo marido. (Supostamente não existe confiança nesta relação. Será?)
4 – E finalmente, o casal não comprou o anel de noivado e não realizou uma festa de casamento.
(Em se tratando de um casamento de conveniência, será que eles não teriam justamente feito isso?)

Através destas situações relatadas na entrevista de casamento o Home Office concluiu que este casal não está em um relacionamento genuíno. Entretanto, o casal tem um filho em comum, além de inúmeras fotografias com todos os membros da família juntos (inclusive com outros parentes). Os pais da criança aparecem em fotos com o filho, em diferentes idades da criança e possuem evidência clara de moradia em conjunto.

A principal questão levantada neste caso foi:

O fato de ter um filho em comum não é forte o suficiente para considerar um casamento verdadeiro?

O fato de a candidata e seu marido, cidadão europeu (EEA), terem um filho juntos não influenciou na decisão do Home Office. Com base na lista de diferenças mencionadas acima, a requerente de cidadania ucraniana foi recusada para emissão do cartão de residência permanente. O casamento foi considerado como um caminho para obter os direitos de uma cidadania europeia. Além disso, o ônus da prova foi imposto à candidata, o que contradiz as leis.

A requerente teve que esperar uma nova audiência por mais de um ano para apresentação de mais evidências e provas de que o casal realmente vive junto.

A LondonHelp4U oferece um serviço completo de imigração para quem deseja aplicar para o visto Tier 1. Preparamos aplicações para investidores há 18 anos. Este serviço inclui todos os conselhos e trabalhos. Nossa equipe especialista gerenciará cada detalhe do seu visto para garantir que sua aplicação tenha grandes chances de sucesso.

Minuto Legal: Cresce número de brasileiros que decidem viver no exterior

Os últimos dados da Receita Federal mostram que 22,4 mil pessoas entregaram a declaração de saída definitiva do país no ano passado. Em 2017, foram 21,2 mil. A declaração definitiva é obrigatória para quem vai morar no exterior. Os registros de entrega cresceram de forma acentuada a partir de 2014, até então, os pedidos de saída definitiva não superavam 10 mil.

O Reino Unido pede EU uma nova prorrogação até 30 de junho

A Theresa May escreveu à União Européia para solicitar mais um atraso ao Brexit até 30 de junho. O Reino Unido deve sair da UE em 12 de abril e, até agora, nenhum acordo de retirada foi aprovado pelos parlamentares. O primeiro-ministro propôs que se os parlamentares do Reino Unido aprovarem um acordo a tempo, o Reino Unido deve poder sair antes das eleições parlamentares europeias em 23 de maio. As informações são da BBC.

O Brexit custou economia £ 550 milhões por semana desde o referendo

O Brexit custou à economia britânica £ 550 milhões por semana desde o referendo, segundo um relatório. A Standard & Poor’s sugeriu que, desde a votação de junho de 2016, 3% foram cortados do PIB. Isso equivale a “perdoar a atividade econômica” de 6,6 bilhões de libras em cada um dos 10 trimestres desde o referendo, ou 66 bilhões de libras, segundo a agência de classificação de crédito. As informações são do Standard.

O Home Office fatura 2 milhões de libras por mês com as taxas de cidadania da criança

O Home Office faz £ 2 milhões por mês de taxas de cidadania infantil, segundo jornal. Dados obtidos por meio de um pedido de liberdade de informação por parte do grupo comunitário Citizens UK, revelam que o departamento arrecada 24 milhões de libras por ano – ou cerca de 500.000 libras por semana – sob a acusação de registrar cidadania britânica. Isso é o equivalente a 71.429 libras por dia. As informações são do Independent.