Categoria: Leis e Imigração

cidadão não europeu pode obter residência no Reino Unido

Como um cidadão não europeu pode obter residência no Reino Unido

Se você é um cidadão da Comunidade Européia pode solicitar a residência no Reino Unido. De acordo com o direito europeu, você não precisa desta documentação. No entanto, se precisa apoiar um pedido de residência para qualquer membro da sua família que não seja cidadão europeu, você deve demonstrar que é residente no Reino Unido. Para isso, você precisa comprovar alguns requesitos exigidos pelo Home Office, que são:

– estar morando no Reino Unido por um período contínuo de 5 anos;

– estar empregado ou provar o status de autônomo;

– ou estar estudando;

– comprovar autonomia econômica, ou seja, ter fundos suficientes para sustentar a família sem necessidade de fundos públicos;

– ou ser aposentado;

– ou estar em busca de trabalho.

Por outro lado, o membro não europeu da família de um cidadão europeu também terá que ter uma licença para entrar e estar no Reino Unido. Este documento é uma forma de autorização semelhante a um visto. Além disso, a pessoa terá que comprovar que vai viver com o cidadão europeu no país de forma permanente ou a longo prazo. Também se o membro não europeu estiver vindo para cá, ele deverá fazê-lo em companhia do cidadão europeu, ou comprovar que vai se juntar ao mesmo assim que chegar. Esses são basicamente os primeiros passos rumo à residência.

Confirmação do direto de residência

Se um cidadão da Comunidade Européia ou da Suíça vive no Reino Unido, em conformidade com as leis de Imigração  de 2006, os membros da sua família que não são  cidadãos europeus ou suíços também têm o direito de viver aqui. Basta aplicar para o “cartão de residência”.  Este é um documento que confirma o seu direito de residência ao abrigo da legislação européia. Este cartão de residência pode ser considerado como um endosso (também denominado de “vinheta”) no passaporte do cidadão não europeu, ou pode ser um documento separado chamado de “documento comprovativo do estatuto de imigração”. Um cartão de residência é normalmente válido por 5 anos a partir da data em que é emitido.

Quando o cidadão não europeu viveu aqui durante um período ininterrupto de 5 anos com o europeu ou com um membro de nacionalidade suíça, desde que comprove que teve um emprego, ou foi autônomo, ou frequentou algum instituto educacional, ou mesmo teve condições econômicas auto-suficientes no Reino Unido ao longo desses 5 anos, pode aplicar para a residência permanente no país.

O que a pessoa precisa é obter documentos que comprovem o seu direito de residência, que são o passaporte válido do cidadão não europeu; o passaporte válido ou carteira de identidade do cidadão europeu; evidências do relacionamento entre ambas as partes; duas fotos tipo passaporte do não europeu. Também devem ser anexadas ao processo evidências de que o cidadão europeu está exercendo seus direitos de acordo com o Tratado Europeu caso esteja aplicando para o “cartão de residência” ou visto de família; e por fim, evidências de que o cidadão não europeu tem direitos de residência no Reino Unido.

Mas preste atenção, você pode ser prejudicado se não obter essa confirmação, como por exemplo:

• você pode ter dificuldade em provar que reside legalmente no Reino Unido;
• se você deixar o Reino Unido, você geralmente precisa obter uma licença de família de cidadão membro da Comunidade Européia antes de retornar aqui, a fim de garantir a readmissão como membro da família do já citado cidadão europeu, e;
• você pode ter dificuldade para obter ou mudar de emprego.

Se você pretende entrar com um pedido de residência no Reino Unido e tem alguma dúvida, a LondonHelp4U pode ajudar.  Com uma equipe de consultores em imigração devidamente registrados e reconhecidos pelo governo britânico, obtivemos 100% de sucesso em nossos pedidos de visto em 2011. Confie o seu futuro em quem sabe o que faz!

Preencha o formulário abaixo, marque sua consulta e tire suas dúvidas.

Nome

E-mail

Telefone:

O que você precisa?

Data pretendida:

Hora pretendida:

Mensagem:

Como ouviu falar da LondonHelp4u?

Por favor, digite o que você vê na imagem:
captcha

Li e concordo com os Termos e Condições Gerais da LondonHelp4U

Governo britânico extingue visto para 27 áreas profissionais

Governo britânico extingue visto para 27 áreas profissionais

O Governo britânico está empenhado em reduzir a imigração para níveis considerados por ele como sustentáveis. Em um momento de alto desemprego, o governo acredita ser certo os empregadores no país procurarem primeiro mão-de-obra no mercado local. Ao mesmo tempo, entende que os trabalhadores qualificados do exterior podem desempenhar apoio importante na economia britânica.

Diante disso, o governo encomendou ao Comitê Consultivo para Migração (MAC) um estudo sobre o limite anual de imigrantes sob o visto do Tier 2 para o anuênio 2012/13. O estudo recebeu informações de mais de 130 organizações de  todo o Reino Unido. Após cuidadosa consideração do relatório, o governo decidiu que o limite de Tier 2 (Geral) permanecerá em seu atual nível de 20.700 aceitações de vistos para 2012/13 e 2013/14.

No entanto, esta mudança resultou em 27 ocupações que não serão mais elegíveis ao visto sob o Tier 2. Entre eles estão técnicos de TI e gestores de segurança, ou seja, esses postos de trabalhos não serão mais abertos aos trabalhadores vindos de países não pertencentes à Comunidade Européia. Por outro lado, ocupações altamente qualificadas, como engenheiro, professor, arquiteto, ou químicos ainda estarão disponíveis. Mas o governo britânico fez uma alteração que também atinge estes trabalhadores: elevou o nível de competência mínima para um trabalho qualificado de nível 4 para nível 6, ou seja, não serão mais aceitos apenas diplomas de Segunda Grau. O candidato deverá apresentar diploma universitário.

Também as regras para posições com salários altos – em torno de  £ 70.000 – e trabalhos que requerem doutorado serão flexibilizadas. Isso vai reduzir a burocracia, uma vez que as empresas não precisarão mais anunciar vagas através JobCentrePlus, onde por sinal, não são susceptíveis em obter candidatos a esses tipos de postos. Porém, ainda terão que anunciar a vaga, mas de forma mais ampla e seguindo o Código de Prática do Reino Unido. Para os candidatos em potencial é necessário que falem inglês em um nível intermediário e a proposta salarial do emprego deve estar em acordância aos requisitos específicos do cargo no país.

Essas novas regras já foram aprovadas e já fazem parte da lei imigratória desde o dia 6 de abril. A data foi, inclusive, considerada como o início do calendário anual do Home Office para aplicações dos vistos para o Tier 2. Porém, elas entrarão efetivamente e definitivamente em vigor a partir do dia 14 de junho, pois o Home Office entende que as empresas precisam de um tempo hábil para se adequarem, assim também como os imigrantes candidatos às vagas.

Ocupações extintas para vistos

Gestores de clientes
Gerentes de escritório
Gestores de segurança
Gestores da saúde
Gerentes de asilos e creche
Gerentes de produção animal, silvicultura e pesca
Gerentes da área de eventos e exposições
Gerentes de imobiliárias
Gestores de empresas de reciclagem
Tecnólogos e técnicos de arquitetura urbanismo

Inspetores de construção
Técnicos de Operações de TI
Paramédicos
Técnicos da área médica e odontológica
Oficiais do navio

Estimadores e avaliadores
Técnicos financeiros e contábeis
Compradores e diretores de compras
Profissionais de marketing e associados
Oficiais de proteção ambiental e conservação
Profissionais de nível intermédio de serviços públicos
Consultores e especialistas em orientação profissional
Examinadores legais
Higienistas ocupacionais e escritórios de segurança (saúde e segurança)

 Ocupações de alta qualificação em escassez no Reino Unido

Engenheiros de planejamento e controle de qualidade
Profissionais de software
Médicos
Psicólogos
Farmacêuticos / farmacologistas
Dentista
Veterinários
Profissionais docentes universitários
Professores do ensino secundário
Professores do ensino básico e de educação infantil
Profissionais da educação para portadores de necessidades especiais
Pesquisadores científicos
Pesquisadores das ciências sociais
Advogados, juízes e médicos legistas
Contabilistas
Assistentes sociais
Oficiais de liberdade condicional
Bibliotecários
Arquivistas e curadores
Parteiras
Enfermeiros
Radiologistas
Pedicuro
Fisioterapeutas
Fonoaudiólogos
Terapeutas ocupacionais
Jornalistas, editores de jornais e periódicos
Pilotos de aeronaves e engenheiros de vôo
Especialistas em Tributação

Vale lembrar que a LondonHelp4U tem uma equipe de consultores em imigração devidamente registrados e reconhecidos pelo governo britânico. Além disso, somos agente EnglishUK autorizado, por essa razão tivemos 100% de sucesso em nossos pedidos de visto em 2011. Não confie seu sonho em mãos despreparadas, faça-nos uma visita e garanta seu futuro!

cidadão europeu e seus familiares no Reino Unido

Conheça os seus direitos e deveres como cidadão europeu e seus familiares no Reino Unido

O Reino Unido como membro da comunidade europeia, deve atender as designações determinadas pelas Regras de Imigração Europeia (European Regulations 2006) incorporadas pelo Parlamento Europeu através da Directive 2004/38/EC.

Desde 01 de janeiro 2007 como cidadãos da Comunidade Européia Búlgaros e Romenos conhecidos como A2 nationals têm o direito de entrar e viver no Reino Unido, porém, eles estão sujeitos a algumas restrições; a menos que eles estejam regularizados e tenham obtidos a autorização necessária para trabalhar, cidadãos da Bulgária e Romania e seus empregadores poderão estar cometendo uma ofensa criminal.

Eles precisam comprovar que são auto-suficientes – ser capazes de se sustentar e sustentar suas famílias, sem que necessitem lançar mãos de recursos públicos. Se desejam trabalhar como empregados, eles necessitam obter autorização. Essa autorização normalmente vem na forma de um cartão conhecido como Accession Worker Card, porem ha algumas exceções listadas na lei.

Para certas categorias de emprego, os cidadãos Búlgaros e Romenos poderão aplicar junto ao Home Office para o Accession Worker Card, sem que seja necessário que o empregador  aplique para  a permissão de trabalho. Entre essas categorias estão: Ministros de Religião, Missionários, Membros de uma ordem religiosa, funcionários a serviço dos Governo de países estrangeiros, dentistas, médicos pós-graduados, professores, voluntários, entre outros.

Se o trabalhador não se enquadra em algumas das categorias especificadas na Lei, o processo para obter a autorização de trabalho é feito em duas etapas:

O empregador no Reino Unido, deverá primeiro aplicar para a aprovação do trabalhador sob as regras do Work Permit. O cidadão búlgaro ou romeno então terá que aplicar para o Accession Worker Card. Temos outras categorias nas quais os Búlgaros e Romenos podem aplicar para poderem trabalhar no Reino Unido e dependendo da categoria um documento diferenciado e expedido, por exemplo:

Veja descrição desses documentos.

O cartão azul conhecido como – Blue Registration Certificates, indica que o portador pode trabalhar no Reino Unido sem restrições. O cartão azul e expedido para cidadãos da Bulgária e Romênia que são altamente qualificados, ou estão isentos do requerimento de obter o Accession worker cardrker card.

O cartão amarelo – Yellow Registration Certificates é expedido para cidadãos da Bulgária e Romênia  que estão trabalhando como autônomos, auto suficientes ou estudantes. No certificate mostra se o portador e auto suficiente, estudante ou autônomo e confirma que o portador e legal para trabalhar no Reino Unido.

O cartão lilás – Purple Work Cards ( Também conhecido como Accession Worker Cards) é expedido para cidadãos Búlgaros ou Romenos que desejam trabalhar no Reino Unido mas estão sujeitos a uma prévia autorização de trabalho. O cartão é expedido para o trabalhador e seus familiares que estejam autorizados.

Para a aquisição do DIREITO A RESIDÊNCIA PERMANENTE, os cidadãos dos países que fazem parte da Comunidade Europeia e seus familiares devem ter vivido no Reino Unido por um período continuo de 5 anos de acordo com as leis da Comunidade Europeia, ou seja, trabalhando como empregado ou autônomo eles podem aplicar para  a confirmação da residencia permanente. Em circunstâncias especias, o direito de residência permanente pode ser adquirido antes dos 5 anos.

Vale lembrar que para qualificar para a residência permanente os cidadãos dos países que fazem parte da Comunidade Europeia e seus familiares, devem primeiro ter possuído a residência temporária (para os europeus – Registration Certificate – conhecido como Blue Card, e para os familiares de europeus o cartão de residência.

Para maiores informações, ou para fazer uma aplicação com segurança, contate a LondonHelp4U clicando aqui ou ligue para 020 7636 8500.

Learn about your rights and duties as European citizen and your family in the UK

The UK as a member of the European community, the names must meet certain requirements by the Immigration (European Regulations 2006) incorporated the European Parliament Directive 2004/38/EC through.

Since January 1, 2007 as citizens of the European Community Bulgarians and Romanians known as A2 nationals have the right to enter and live in the UK, however, they are subject to some restrictions, unless they are settled and have obtained the necessary permission for work, citizens of Bulgaria and Romania and his employers may be committing a criminal offense.

They need to prove that they are self-sufficient – able to sustain themselves and support their families, without needing to launch the hands of public resources. If you wish to work as employees, they need to get permission. Such permission typically comes in the form of a card known as Accession Worker Card, but there are some exceptions listed in the law.

For certain categories of employment, citizens Bulgarians and Romanians may apply with the Home Office for the Accession Worker Card, without requiring the employer to apply for work permits. Among these categories are: Ministers of Religion, Missionaries, members of a religious order, the service of Government employees from foreign countries, dentists, doctors, postgraduates, teachers, volunteers, among others.

If the employee does not fall into any of the categories specified in the law, the process for obtaining a work permit is done in two steps:

Employers in the UK, you must first apply for approval of the employee under the rules of the Work Permit. The Bulgarian or Romanian citizen then you need to apply for the Accession Worker Card. We have other categories in which the Bulgarians and Romanians may apply in order to work in the UK and depending on the category and issued a document differently, for example:

See description of these documents.

Blue Registration Certificates, indicates that the holder can work in the UK without restrictions. The blue card is issued to citizens of Bulgaria and Romania who are highly qualified or are exempt from the requirement to obtain cardrker Accession worker card.

Yellow Registration Certificates are issued to citizens of Bulgaria and Romania who are working as autonomous, self sufficient, or students. In the certificate shows the carrier and self-sufficient, autonomous and student or confirms that the holder and legal to work in the UK.

Purple Work Cards (also known as the Accession Worker Card) is issued for Bulgarians or Romanians who want to work in the UK but are subject to a prior work permit. The card is issued to an employee and their familiars who are authorized.

For acquiring the right to permanent residence, citizens of countries that are part of the European Community and their families must have lived in the UK for a continuous period of 5 years in accordance with the laws of the European Community, or working as an employee standalone or they can apply for confirmation of permanent residence. In special circumstances, the right of permanent residence can be acquired before age 5.

Remember that to qualify for permanent residence for nationals of countries that are part of the European Community and their family must have owned the first temporary residence (for the Europeans – Registration Certificate – known as the Blue Card, and for family members of the European residence card.

For more information or to make an application with safety, contact LondonHelp4U clicking here or call 7636 020 8500.

Governo britânico estende o tapete vermelho para os empresários e investidores

Governo britânico estende o tapete vermelho para os empresários e investidores

British government extends the red carpet for entrepreneurs and investors

Empresários e investidores estrangeiros receberão um incentivo extra para virem ao Reino Unido, graças às novas leis de vistos, que vão beneficiar aqueles que contribuem para o crescimento econômico do Pais.

De acordo com as alterações do Regulamento de Imigração, as pessoas que vêm para o Reino Unido sob o visto Tier 1 (Investidor) no sistema baseado em pontos serão capazes de se estabelecerem no Reino Unido mais rápido se investirem grandes somas de dinheiro. Aqueles que investirem £ 5 mihões poderão residir no Reino Unido após três anos, e aqueles que investirem £10 milhões ou mais poderão estabelecer residência no Reino Unido após 2 anos. Período de tempo bem inferior se comparado aos 5 anos solicitados anteriormente.

O direito à residência mais rápida será aplicável aos investidores que já estão no Reino Unido e têm investido grandes somas, bem como os recém-chegados.

Aqueles com visto Tier 1 (Empreendedor) também serão capazes de se estabelecer no Reino Unido mais rapidamente se criarem 10 novos postos de trabalho ou movimentarem £ 5 milhões em um período de três anos.

Para o ministro da Imigração Damian Green:
“O Reino Unido permanece aberto para negócios, e busca aqueles que têm mais a oferecer para virem e permanecer aqui. Empresários e investidores podem desempenhar um papel importante na recuperação da nossa economia, e eu quero fazer todo o possível para garantir que Grã-Bretanha permaneça um destino atrativo a eles. No ano passado, nós emitimos muito poucos vistos para aqueles que desejam montar um negócio ou investir no Reino Unido. Tenho a intenção de mudar isso”, diz o ministro.

O limite padrão de investimento para um empresário se qualificar para um visto Tier 1 permanecerá em £ 200.000, mas o governo vai permitir que as empresas de alto potencial venham para o Reino Unido com £ 50.000 em fundos de uma organização respeitável. E os empresários terão permissão para entrar no Reino Unido com seus parceiros de negócios, desde que tenham acesso a fundos comuns.
Grandes investidores poderão também desfrutar de uma maior flexibilidade: serão autorizados a permanecer até 180 dias por ano, ao invés de 90, fora do Reino Unido sem afetar o seu direito de se estabelecer no Reino Unido. Isso resolve uma das principais preocupações levantadas por parte dos investidores, que precisam se locomover constantemente.
Além disso, um novo tipo de visto de turista será criado para futuros empresários. Eles terão permissão para entrar no Reino Unido para que possam obter financiamentos e tomarem as providências para iniciar seus negócios antes de se transferirem para um total de visto Tier 1 (Empreendedor), enquanto eles estiverem no Reino Unido.
O governo também publicou uma declaração de intenções que define como o novo Tier 1 (Talento Excepcional ) vai operar a partir de abril de 2011.
Essa nova categoria voltada para os imigrantes excepcionalmente talentosos será limitada a 1.000 vistos por ano. É para aqueles que já tenham sido reconhecidos ou têm potencial para serem reconhecidos como líderes nas áreas de ciências, artes e humanidades

Imigrantes sob as regras do visto Tier1 (Talento Excepcional) não precisarão serem apoiados por empregadores mas irão precisar serem aprovados por um orgão competente qualificado. Essas instituições serão anunciadas no futuro próximo. Cada instituição competente irá selecionar quem será qualificado para o endosso.
Para mais informações, entre em contato com a LondonHelp4U, agência especializada em Imigração, que poderá informar-lhe com segurança e experiência a melhor forma de vir e permanecer no Reino Unido.

—————————————-

Entrepreneurs and foreign investors will receive an extra incentive to come to the UK, thanks to new laws on visas, which will benefit those who contribute to the economic growth of the country.
According to the amendments of the Immigration Rules, the people who come to the UK visa under Tier 1 (Investor) in the points-based system will be able to settle in the UK faster if they invest large sums of money. Those who invest £ 5 Miho may reside in the UK after three years, and those who invest £ 10 million or more may establish residence in the UK after two years. Period of time compared to well below 5 years previously requested.
The right to residence faster will apply to investors who are already in the UK and have invested large sums, as well as newcomers.
Those seen with Tier 1 (Entrepreneur) will also be able to establish themselves in the UK soon to create 10 new jobs or move into a £ 5 million over three years.
For the immigration minister Damian Green:
“The UK remains open for business, and seeks those who have more to offer to come and stay here. Entrepreneurs and investors can play an important role in the recovery of our economy, and I want to do everything possible to ensure that Britain remains an attractive destination for them. Last year we sent too few visas for those wishing to start a business or invest in the UK. I intend to change that, “the minister said.
The standard limit of investment for an entrepreneur to qualify for a Tier 1 visa will remain at £ 200,000, but the government will allow companies with high potential to come to the UK with £ 50,000 in funds from a reputable organization. And the businessmen will be allowed to enter the UK with their business partners, provided they have access to funds.
Big investors will also enjoy greater flexibility, will be allowed to stay up to 180 days per year instead of 90, outside the UK without affecting their right to settle in the UK. This solves one of the main concerns raised by investors, who need to move constantly.
In addition, a new type of tourist visa will be created for future entrepreneurs. They will be allowed to enter the UK so they can get funding and take steps to start their business before moving to a total of as Tier 1 (Entrepreneur), while they are in the UK.
The government also issued a statement of intent that defines how the new Tier 1 (Exceptional Talent) will operate from April 2011.
This new category focused on exceptionally talented immigrants will be limited to 1,000 visas per year. It is for those who have already been recognized or have the potential to be recognized as leaders in science, arts and humanities.
Immigrant visa under the rules of Tier1 (Exceptional Talent) will not need to be supported by employers but they will need to be approved by a competent body qualified. These institutions will be announced in the near future. Each competent institution will select who will be eligible for endorsement.
For more information, contact LondonHelp4U agency specializing in Immigration, who can tell you with confidence and experience the best way to come and stay in the UK.

estudantes internacionais na Irlanda

Novas restrições aos estudantes internacionais na Irlanda

O sistema educacional voltado aos estudantes internacionais na Irlanda, assim como no Reino Unido, está passando por novas reestruturações.

Segundo o Servico Irlandês de Naturalização e Imigração, o mercado de estudantes internacionais (overseas) é  de extrema importância para a economia da Irlanda, e movimenta anualmente cerca de 1 bilhão de euros. No entanto, o governo reconhece ter havido abuso do sistema de imigração principalmente por parte dos estudantes internacionais, facilitando a vinda dos imigrantes para trabalhar e morar em países mais ricos.

Uma série de medidas foram anunciadas pelo ministro da Educação e Competências, incluindo a criação de um Grupo de Alto Nível especializado em Educação Internacional para viabilizar uma nova abordagem nacional para  a promoção da Irlanda como um centro de educação para estudantes internacionais nos setores público e privado.

A partir de janeiro deste ano, os estudantes internacionais foram divididos em duas categorias: 1) Programas de Graduação para os estudantes matriculados em Ensino Superior em escolas credenciadas no Quadro Nacional de Qualificações (NFQ) nível 7 ou acima. 2) Programa de curso de Línguas e de Não Graduação formado por estudantes com cursos de Inglês ou cursos acadêmicos de nível abaixo do 7 (NFQ), sendo o nível 5  (NFQ) o mínimo permitido.

Há também restrições quanto ao tempo de permanência na Irlanda. O estudante de Línguas ou de curso de não graduação poderá permanecer no máximo três anos consecutivos no País. Sendo as únicas excecões quando o estudante for aceito em um programa de educação superior credenciado nacionalmente no NFQ nível 7 ou acima. Exceções também poderão ocorrer se forem provadas circunstâncias especiais como motivo de doença, por exemplo. Não será permitido ao aluno direcionar-se na direção inversa: a partir do Programa de Graduação para um curso de Línguas.

No geral, os estudantes internacionais não pertencentes a União Européia poderão permanecer no País no máximo 7 anos, exceto para o curso de doutorado ou programa de estudo de longa duração, como medicina, por exemplo. Exceções poderão ser feitas caso sejam comprovadas circunstâncias especiais como doença, por exemplo.

Alunos matriculados em cursos de graduação do programa serão obrigados a comprovar  que estão progredindo academicamente, como demostração de exames aprovados, a fim de manter a sua permissão no País.

Estudantes que se inscreverem em um curso NFQ nível 7 ou acima deverão ter um nível adequado de Inglês para seguirem o programa antes de mesmo deixarem o próprio País. Se precisarem aprimorar o Inglês para um curso de gradução escolhido na Irlanda, deverão especificar claramente com antecedência em qualquer pedido de visto.

Reconhece-se que sob o novo regime um número substancial de alunos já terão ultrapassado a duração permitida para a sua estadia no País. Quanto a isso, não seria razoável supor que os alunos nesta situação sejam predominantemente trabalhadores. Por isso, para eles será concecido um período apropriado para pertencerem formalmente ao mercado de trabalho.

Qualquer aluno cuja permissão atual tenha expirado antes de 01 de janeiro de 2011, terá que obedecer às novas regras do sistema existente e estará livre para se matricular em qualquer curso adicional e completá-lo (sujeito à concordância a todas as condições impostas no âmbito do novo regime em 1 de janeiro de 2011 no que diz respeito a progressão e a participação em cursos).

Para mais informações, entre em contato com a LondonHelp4U e faça sua inscrição. Nós estamos preparados para oferecer-lhe o melhor suporte e toda segurança na solicitação de visto.