Crianças são separadas do pais pela imigração do Reino Unido

A prática que trouxe crítica mundial ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também é utilizada no Reino Unido, segundo o jornal The Guardian e instituições de caridade, centenas de crianças são separadas dos pais ou responsáveis ​​no território britânico todos os anos.

Até este ano, 155 pais já foram separados de uma ou mais crianças enquanto estavam detidos na imigração do Reino Unido. A atitude contradiz as atuais diretrizes do Home Office; nenhuma criança pode ser separado dos pais, o que segundo uma das mais respeitadas instituições de caridade, Bail for Immigration Detainees (Bid), aconteceu com três famílias nos últimos 16 meses.

Em dois casos, os pais foram levados para a detenção e autoridades locais alertaram que as mães das crianças não podiam criar sozinhas os menores. Ambos os homens foram eventualmente libertados. Em um estudo publicado em 2013, Bid analisou também uma amostra de 111 pais que foram separados de 200 crianças durante um período de três anos. O período médio de detenção foi de 270 dias.

Quase metade das 200 crianças foram colocadas sob cuidados de autoridades locais ou de adoção durante a detenção de seus pais. Em 92 casos, os pais foram libertados. Em 15 casos, no entanto, os pais foram deportados ou removidos do Reino Unido sem seus filhos. O Bid finalizou ainda que não tem um número total de pais e filhos que estão sendo separados a cada ano.

O Home Office não quis comentar sobre as informações sobre os números divulgados pela imprensa e a instituição de caridade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *