Minuto Legal: Iraquiano ganha indulto de deportação; Mãe pede ajuda para reunir família; Discurso da Rainha adiado até o final do Brexit e mais

A menos que Theresa May possa obter seu acordo de retirada aprovado pelo Parlamento, o Reino Unido realizará eleições parlamentares europeias na quinta-feira 23 de maio de 2019. Se você é cidadão de um país da União Europeia residente na Inglaterra, Escócia ou País de Gales, você deve se registrar até terça-feira 7 maio. As informações são do The Guardian.

O Partido Brexit continua a liderar a última pesquisa de intenção de voto do YouGov no Parlamento Europeu, conduzida para Hope Not Hate. O novo partido de Nigel Farage detém 28% dos votos, tendo sido de 23% na pesquisa da semana passada. As informações são do You Gov.

Um homem que trouxe sua sobrinha bebê para a Grã-Bretanha na parte de trás de seu carro de um campo de refugiados francês depois que ela sofreu queimaduras graves teve sua deportação interrompida no último minuto pelo Home Office. Najat Ibrahim Ismail foi processado por tráfico e deveria ser deportado na terça-feira. Informações são do The Guardian.

Uma mãe está pedindo ao governo que ajude a reunir sua família depois de um ano vivendo a milhares de quilômetros de distância. Rachel Gair e a filha Betsy estão em Northumberland, mas o pai de Betsy, Craig Stock, está no Canadá e não consegue se juntar a elas. A família retornou ao Reino Unido para cuidar da mãe de Gair. O Sr. Stock teve que retornar ao Canadá para solicitar seu visto de esposo, o qual foi negado. O Home Office disse que a decisão foi apoiada por um tribunal independente. As informações são da BBC.

O discurso da rainha será adiado até que o Brexit aconteça, disse Theresa May – apesar de nenhum sinal de um avanço em Westminster para acabar com o impasse. O porta-voz da primeira-ministra disse que uma nova sessão do parlamento – que deve começar em junho – não começaria até que o acordo de retirada fosse ratificado. O discurso da rainha é tradicionalmente realizado anualmente, mas em junho de 2017 foi anunciada uma sessão para 2019 por causa da enormidade de realizar a retirada da UE. As informações são do Independent.

Nenhuma decisão foi tomada sobre a possibilidade de cobrar mais de estudantes da UE para estudar em universidades inglesas depois do Brexit, insistiu o governo. Os estudantes atualmente pagam o mesmo que os do Reino Unido, mas tem sido relatado que as taxas podem subir a partir de 2021. As informações são da BBC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *