Manifestantes exigem um segundo referendo do Brexit nas ruas de Londres

Cerca de 100 mil pessoas protestaram neste fim de semana para permanência do Reino Unido na União Europeia. O dia que marcou dois anos do plebiscito que levou a vitória do Brexit. A marcha começou em Pall Mall até a Parliament Square, enchendo as ruas da capital com faixas de bandeiras e faixas da União Européia.

O protesto foi a maior desde a votação de 2016. O líder do Partido Liberal Democrata, Vince Cable, disse à multidão que o Brexit “ainda não teve um acordo” e que a decisão de sair do bloco europeu poderia ser revertida, enquanto a co-líder do Partido Verde, Caroline Lucas, disse que o Brexit “será um desastre para este país”.  Os manifestantes também pediam mais partipação da população britânica em votação se aceitam ou não o acordo que está sendo firmado entre a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, e a comunidade europeia.

Na semana passada, o secretário de Relações Exteriores, Boris Johnson, pediu a Theresa May para entregar um “Brexit britânico completo”, alinhado com as declarações do secretário de Comércio Internacional, Liam Fox, que o Reino Unido não estava blefando sobre estar preparado para sair das negociações com Bruxelas.

Fox ressaltou que o impacto econômico de um Brexit “sem acordo” sobre os membros da UE seria “severo”, enquanto o Boris Johnson, acrescentou que os britânicos não tolerariam um Brexit que fosse “macio, maleável e aparentemente infinitamente longo ”. Uma pesquisa feita pelo Centre for European Reform (CER) indicou que o Brexit já havia tornado a economia britânica 2,1% mais fraca do que se os eleitores tivessem decidido permanecer na UE.

Photo: REUTERS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *