Minuto Legal: bancos britânicos vão bloquear contas de imigrantes ilegais

bancos britânicos vão bloquear contas de imigrantes ilegais

Nova medida do governo britânico pretende bloquear contas dos imigrantes ilegais. Enquanto isso Theresa May propõe um período de transição de 2 anos para o Brexit. Confira essa e outras notícias no Minuto Legal da LondonHelp4U.

Bancos britânicos vão checar contas para identificar imigrantes ilegais
Bancos e sociedades financeiras devem realizar controles em contas correntes do Reino Unido a partir de janeiro para encontrar imigrantes ilegais, divulgou o “The Guardian”. A estratégia seria parte do plano de Theresa May para criar um “ambiente hostil” para os imigrantes.  O Home Office espera identificar pelo menos  6.000 pessoas com vistos vencidos, requerentes de asilo invadidos e delinquentes estrangeiros. As contas dos identificados serão fechadas ou congeladas “para tornar mais difícil para eles estabelecer ou manter uma vida no Reino Unido”. Os funcionários dizem que o congelamento de contas que detêm somas significativas “criará um poderoso incentivo para a partida voluntária” dos imigrantes. A nova legislação exige que os bancos verifiquem a identidade de cada portador de conta corrente através de um banco de dados fornecido pelo Home Office.

Theresa May propõe dois anos de período de transição para o Brexit
Em discurso em Florença, na Itália, Theresa May propôs um período de transição de 2 anos a partir de março de 2019 para o Brexit. Referente a imigração, primeira-ministra disse: “Levará tempo para implementar o novo sistema de imigração necessário para assumir o controle das fronteiras do Reino Unido. Assim, durante o período de implementação, as pessoas continuarão a poder viver e trabalhar no Reino Unido; mas haverá um sistema de registro – uma preparação essencial para o novo regime”. May também sugeriu que os mercados comuns do Reino Unido e da Europa permaneçam inalterados durante todo o período de transição.

Secretário do Exterior britânico é contra acordo com Europa
Boris Johnson poderá deixar o cargo se Theresa May sinalizar que fará um Brexit de “estilo suíço”, mesmo que ele negue publicamente que se afastará do gabinete. Boris não estaria contente caso a primeira-ministra decida optar por um Brexit “suave”, como defende o chanceler Philip Hammond.  O “The Telegraph” informou na terça-feira que o Secretário do Exterior poderia até sair do gabinete antes do fim de semana, se May indicar que pagaria para que o Reino Unido tenha acesso ao mercado único europeu.  Ele estaria preocupado caso May envie um sinal público de que gostaria de ter uma relação estreita de longo prazo com o resto da UE, nos models da Noruega ou da Suíça.

Número de visitantes no Reino Unido aumenta por conta da queda da libra
O número de visitantes estrageiros registrou recorde no último mês de julho. Os visitantes também gastaram mais do que nunca.  Os números refletem o aumento do poder de compra, já que a libra caiu em relação as outras moedas, como o dólar e o euro. Foram gastos  cerca de £ 2.7 bilhões.  A queda da libra fez com que viagens de férias e negócios para o Reino Unido se tornassem mais atraentes, com maior número de visitantes europeus e norte-americanos. Em compensação, o número de residentes do Reino Unido que viajaram para outros países caiu em 2% em relação ao ano anterior.

Partido Trabalhista sofre pressão para lutar pela livre-circulação de pessoas
As lideranças do Partido Trabalhista enfrentarão  pressões na conferência do partido para apoiar a continuação da livre circulação de pessoas entre Reino Unido e Europa no pós-Brexit. Um relatório, elaborado pelo grupo “Outra Europa é Possível”, defende um novo sistema, que protegeria os direitos dos trabalhadores.  O relatório argumenta que os temores daqueles que procuram limitar os recém-chegados da UE estão mal colocados, j[a que a migração anual líquida atual do bloco equivale a apenas 0,19% da população do Reino Unido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *