Minuto Legal: UE aprova novo plano de imigração

Nobel da Paz diz que Europa tem obrigação moral de receber imigrantes

Os líderes da União Européia chegaram a um acordo sobre como lidar com a imigração de refugiados depois de uma maratona de reuniões durante esta semana. O bloco europeu concordou em criar locais de processamento de asilo. “Todas as medidas no contexto desses centros controlados, incluindo realocação e reassentamento, serão voluntárias”, disse o comunicado conjunto. Os líderes também concordaram em apertar mais suas fronteiras externas, aumentar o financiamento para a Turquia, Marrocos e Estados do norte da África para prevenir a imigração para a Europa.

Líderes da UE planejam centros de imigrantes

Os centros de migrantes fechados devem ser instalados nos países da UE para processar pedidos de refúgio. Segundo a BBC, a Itália – o ponto de entrada para milhares de imigrantes, principalmente da África – ameaçou vetar toda a agenda da cúpula se não recebesse ajuda. No entanto, não houve detalhes sobre quais países hospedariam os centros ou receberiam refugiados.

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou que os centros estarão em países onde os primeiros imigrantes chegam à UE. “Nós atingimos o equilíbrio certo entre responsabilidade e solidariedade”, concluiu. Os números que entram ilegalmente na UE caíram 96% desde o pico de 2015, segundo o Conselho Europeu.

Os britânicos querem um controle de fronteiras mais inteligente, aponta estudo

A maioria dos britânicos quer um controle de fronteiras mais inteligente que acabe com as restrições gerais aos imigrantes usados ​​pelo governo nos últimos 10 anos, revelou uma nova pesquisa. A pesquisa exclusiva do The Independent mostrou um enorme apoio à recente ação do Secretário do Home Office, Sajid Javid, de retirar os profissionais do NHS de um sistema de limite para vistos de trabalhadores qualificados.

Airbus ameaça sair do Reino Unido num Brexit sem acordo

A Airbus alertou que pode deixar o Reino Unido, se o país sair do mercado único da União Européia e da união aduaneira sem um acordo de transição. A empresa emprega 14 mil pessoas em 25 locais no Reino Unido – cerca de metade no País de Gales. O governo do Reino Unido afirmou estar confiante em conseguir um bom acordo para todas as indústrias, mas o governo galês disse que é “extremamente preocupante”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *