Minuto Legal: UE nega renegociar o Brexit com Theresa May novamente

A UE disse à primeira-ministra britânica Theresa May que não reabrirá as negociações sobre o acordo Brexit durante a visita de Theresa May a Bruxelas numa tentativa de persuadir os líderes do bloco para discutir o trato, exigido pelo Parlamento do Reino Unido. O presidente da Comissão Européia, Jean-Claude Juncker, disse na quinta-feira que a União Européia poderia apenas “acrescentar palavras” à Declaração Política sobre o que almejam em seu futuro relacionamento. As informações são da CNN.

“Aqueles que promoveram o Brexit merecem um lugar especial no inferno” diz presidente do Conselho Europeu

A União Europeia não fará nenhuma nova oferta no acordo com o Reino Unido para a saída do bloco, e aqueles que promoveram o Brexit sem ter a mínima ideia de como implementá-lo merecem um lugar especial no inferno, afirmou nesta semana o ex-primeiro-ministro polonês Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, que representa a UE. Em reação à declaração de Tusk, os parlamentares britânicos pró-Brexit, disse que a declaração de Tusk era um insulto para o povo britânico. Já o porta-voz do governo disse que seria o caso de perguntar ao presidente do Conselho Europeu se a linguagem usada por ele “ajuda” a resolver a situação. As informações são da BBC.

 O Banco da Inglaterra adverte que o Brexit pode causar recessão.

O Banco da Inglaterra alertou que a economia está em curso para seu pior ano desde a crise financeira global. Segundo estudo interno, as evidências sugerem que o nervosismo do Brexit está se espalhando das empresas para os consumidores. As informações são do The Guardian.

“Home Office destruiu a minha vida com uso indevido da lei de imigração”

Nisha Mohite foi uma das mais de 300 migrantes altamente qualificadas que o Home Office tentou forçar a saída do país sob o parágrafo 322 (5) das regras de imigração. O parágrafo é uma cláusula relacionada ao terrorismo usada somente quando a má conduta no nível da “criminalidade, uma ameaça à segurança nacional, crimes de guerra ou proibições de viagem”. O uso da cláusula foi usada para tentar forçar professores, médicos, advogados e engenheiros a sair do Reino Unido por fazer pequenas e legais alterações em seus impostos.

A apelação contra a decisão pode levar anos, durante os quais o solicitante não pode trabalhar ou alugar propriedades, e nem eles nem sua família imediata podem usar o NHS. Leia a notícia completa no The Guardian.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *