Como pedir um visto de noiva(o)/esposa(o) para residir no Reino Unido

Texto: Giselle Ribeiro

Com o mundo cada vez mais globalizado e unificado, mais estrangeiros decidem se casar e recomeçar a vida no país de origem de um dos parceiros. Quando o país de residência é o Reino Unido, é importante saber com antecedência os passos para obter o visto assim como os pré requisitos exigidos pelo governo britânico, indiferente se o parceiro é britânico ou europeu. Qualquer pessoa pode se unir legalmente por meio de casamento ou união civil. Entretanto, veja como proceder caso seu parceiro seja britânico, europeu, ou portador de residência permanente:

*Casamento com britânico –  aplicação   feita no Brasil

Aplicação feita no Reino Unido

  • Ambos devem ser maiores de 18 anos
  • Dependente deve possuir nível mínimo de   inglês A1**
  • Patrocinador deve demonstrar renda mínima   anual de £18.600 * **
  • Visto será de 2.5 anos com possibilidade de   renovação
  •   Ambos devem ser maiores de 18 anos
  • Dependente deve possuir um visto válido –   visto de turista não é aceito
  • Dependente deve possuir nível mínimo de   inglês A1
  •  Patrocinador deve demonstrar renda mínima   de 18.600*
  • Visto será de 2.5 anos com possibilidade de   renovação

*As regras são as mesmas para requerentes em contração de união com portadores de residência permanente

**A LondonHelp4U oferece o teste de inglês nível A1 em São Paulo

***Quando o requerente possui  filhos dos quais deseja incluir na aplicação a renda anual do patrocinador aumenta para £22.400, aumentando gradativamente caso o requerente possua mais de um filho

Casamento com europeu – aplicação feita no Brasil

Aplicação feita no Reino Unido

  • Ambos devem ser maiores de 18 anos
  • É aconselhável que o europeu possua   registro de residência no Reino Unido
  • Não é necessário requisitos mínimos da   língua inglesa
  • Não é necessário prova de renda mínima
  • Visto inicial de 6 meses podendo ser   renovado em solo britânico por 5 anos
  • Ambos devem ser maiores de 18 anos
  • É aconselhável que o europeu possua   registro de residência  no Reino Unido
  • Não é necessário requisitos mínimos da   língua inglesa
  • Visto inicial de 5 anos com possibilidade   de renovação

Outras exigências analisadas para toda e qualquer aplicação:

  • Ambos os requerentes se conhecem pessoalmente
  • Demonstrar evidências de que o relacionamento é genuíno

O pedido de visto poderá ser negado se:

  • O requerente não-membro da comunidade europeia está sob ordem de deportação
  • Possui registro criminal em algumas situações
  • Se existe evidências de má conduta
  • Se é portador de Tuberculose
  • Se fez uso de documentos falsos
  • Se possui uma dívida maior ou igual a £1000 ao NHS – Sistema Nacional de Saúde

Lembrando que a partir de outubro de 2013 todos os requerentes para residência permanente com parceiros britânicos ou visto definitivo em UK deverão apresentar nível de inglês B1 além do teste Life in the UK ou ESOL citizenship.

Preencha o formulário abaixo, marque sua consulta e tire suas dúvidas.

Nome

E-mail

Telefone:

O que você precisa?

Data pretendida:

Hora pretendida:

Mensagem:

Como ouviu falar da LondonHelp4u?

Por favor, digite o que você vê na imagem:
captcha

 Li e concordo com os Termos e Condições Gerais da LondonHelp4U

Como renovar seu passaporte brasileiro no Reino Unido

Estar com a documentação em dia, dentro do prazo de validade, é o primeiro passo para viver no Reino Unido com segurança e ter a possibilidade de viajar a outros países com tranquilidade. Com a alta demanda pela emissão de passaportes fora do Brasil, é importante se programar para realizar a requisição com antecedência e evitar atrasos no agendamento de entrevista e de confecção do documento.  Ainda que o passaporte esteja válido, é possível dar entrada na documentação. Brasileiros residentes no Reino Unido devem requerer o passaporte junto ao Consulado Geral do Brasil em Londres, pessoalmente ou por correio.

Passo a Passo

Deve ser preenchido um formulário disponível no site do consulado (http://cglondres.itamaraty.gov.br/pt-br/instrucoes_de_preenchimento_scedv.xml).

De acordo com as informações presentes no site do Consulado do Brasil em Londres, o formulário deve ser entregue ao consulado com: uma foto 3,5×4,5 recente, passaporte a ser renovado, comprovante de agendamento de horário, documento oficial com nome atual (RG, Certidão de Nascimento ou Certidão de Casamento), comprovante de quitação das obrigações eleitorais (pode ser impresso no site do Tribunal Superior Eleitoral), documento militar (para homens entre 18 e 45 anos) e comprovante de pagamento da taxa de £120,00 para renovação de passaporte para maiores de 18 anos,  £80,00 para pessoas entre 4 e 18 anos incompletos, e £40,00 para crianças entre 0 e 4 anos. A taxa pode ser paga como Postal Order em qualquer Post Office (correios), nominal ao Consulate General of Brazil in London. O consulado oferece a lista online completa de documentos para facilitar a organização dos documentos em cada caso: http://cglondres.itamaraty.gov.br/pt-br/passaporte.xml.

Preencha o formulário abaixo, marque sua consulta e tire suas dúvidas.

Nome

E-mail

Telefone:

O que você precisa?

Data pretendida:

Hora pretendida:

Mensagem:

Como ouviu falar da LondonHelp4u?

Por favor, digite o que você vê na imagem:
captcha

 Li e concordo com os Termos e Condições Gerais da LondonHelp4U

Você vive no Reino Unido sem falar inglês?

Há pessoas em todo o Reino Unido, embora não nascidos na Inglaterra, conseguindo ter seu próprio negócio ou manter um emprego, sem saber falar Inglês corretamente. Mas será que é mesmo possível viver aqui sem conhecimento adequado da língua nativa?

A comunidade romena é um dos maiores grupos de imigrantes no Reino Unido, com um número estimado de 150.000 pessoas residindo no nordeste de Londres. Petru Clej, intérprete romeno trabalhando em Londres, diz que dentro dessas “comunidades locais” é bem possível viver sem falar e aprender Inglês. “Eles se estabelecem aqui em grupos. Há bairros inteiros cheios de romenos. Eles têm as suas próprias lojas, suas próprias igrejas, assinam a TV romena, e ainda trabalham juntos. É fácil encontrar romenos vivendo aqui por mais de 10 anos sem falar uma palavra de Inglês. Embora não tenham uma vida integrada, conseguem sobreviver. Se têm filhos, eles vão para a escola, aprendem Inglês e os filhos acabam como intérpretes para os pais. Portanto, não há sempre um incentivo para aprender” diz Petru Clej.

Para a comunidade brasileira a situação não é muito diferente. Há uma estimada de 200.000 brasileiros vivendo no Reino Unido, onde 130.000 moram em Londres. Se você andar pelas ruas do noroeste de Londres ouvirá Português, língua nativa do Brasil, por onde passar. Assim como para os romenos, é possível encontrar brasileiros naturalizados britânicos que vivem no Reino Unido por mais de 10 anos, mas mal conseguem manter uma conversa com um nativo. Por isso, suas vidas também são limitadas a um status de conveniência e dependência de parentes e amigos da mesma nacionalidade.

Apesar certos campos dos serviços sociais oferecerem ajuda com interpretação, como o sistema de justiça criminal, por exemplo, conseguir viver no Reino Unido sem falar Inglês a um nível avançado está ficando mais e mais difícil. Habib Rahman, do Conselho para o Bem-Estar dos Imigrantes, diz que as pessoas geralmente querem aprender Inglês para se integrar na sociedade britânica. Mas o problema é que não querem fazer esforço, porque são dependentes de outras pessoas ou porque vivem aqui ilegalmente. Líder do Partido Trabalhista, Ed Miliband, disse que “não muito tem sido feito para garantir a integração na sociedade em geral das comunidades imigrantes. Mas se as pessoas querem se estabelecer no Reino Unido falar Inglês é fundamental. É de seu próprio interesse aprender a língua nativa para que tenham acesso a oportunidades de emprego melhores, e educação para si e seus filhos.”

Mas agora as coisas estão mudando, principalmente para aqueles que desejam residir no Reino Unido, especialmente para os que desejam se naturalizar. O teste life inthe UK foi idealizado para preencher esta lacuna, e encorajar as pessoas a aprender não só a língua como também a história do local onde escolheram para viver. Então, se você mora no Reino Unido e quer aprender Inglês, bem como se preparar para o teste life in the UK entre em contato conosco. Oferecemos cursos de preparação regularmente, com um professor britânico. Além disso, temos parcerias com as melhores escolas de inglês no Reino Unido para fornecer aos nossos clientes os melhores programas de aprendizado.

Visto para fins religiosos

Giselle Ribeiro

Caro leitor, em resposta aos muitos emails que temos recebido com perguntas sobre visto para fins religiosos decidimos escrever esse artigo para melhor informá-lo. Primeiro de tudo, se você deseja vir para o Reino Unido como um Ministro Religioso – em missão pastoral – ou para ocupar um cargo como membro de uma ordem religiosa na comunidade você deve ter certeza que o seu patrocinador (o ministério religioso que o convida) é uma organização religiosa genuína (bona fide), e possui registro junto ao Ministério de Fronteiras Britânico. Uma ordem religiosa é definida, para esse fim, como uma linha de pensamento ou comunidade de pessoas que vivem, de alguma forma, de acordo com suas especificidades e crenças religiosas. A instituição religiosa deve ser:

• Registrada, como órgão de caridade, no Reino Unido de acordo com a legislação pertinente em vigor; ou

• Uma corporação eclesiástica (ou empresa individual ou coletiva) criada para fins de caridade.

No entanto, se o patrocinador é uma instituição de caridade que não é registrada de acordo com a legislação pertinente você deverá explicar a razão do não-registro em sua aplicação. A organização religiosa também deve ser a estrutura de uma comunidade baseada na fé com um sistema comum de crenças espirituais, códigos de conduta e prática religiosa, que existe para apoiar e / ou propagar práticas comuns, não excluindo de sua comunidade religiosa com base no sexo, nacionalidade ou etnia do indivíduo. Ademais, deve receber apoio financeiro e material para o ministério religioso da congregação de forma voluntária, sem o uso de coerção e não violar, ou encorajar outros a violar qualquer legislação do Reino Unido, e ainda não operar contra o interesse público, ou de forma negativa, sobre a vida pessoal ou familiar como estes são comumente entendidos no Reino Unido.

Existem duas categorias de visto para fins religiosos dentro do sistema baseado em pontos – o Tier 2 e Tier 5. Há algumas diferenças entre ambas as categorias, veja quais são:

Tier 2 Tier 5
Duração 3 anos – podendo ser prorrogado por mais 3 anos, mas não dá o direito a permanência difinitiva 24 meses
Valor mínimo de dinheiro em conta para obtenção do visto carta do banco comprovando valor mínimo de 3.000,00 reais por pelo menos 90 dias antes da aplicação do visto carta do banco comprovando valor mínimo de 3.000,00 reais por pelo menos 90 dias antes da aplicação do visto
Nível mínimo de inglês B2 Não há necessidade
Pontos necessários 70 pontos: 50 para certificado de patrocínio, 10 para evidência financeira, e 10 para nível de Inglês 40 pontos: 30 para certificado de patrocínio, e 10 para evidência financeira

Seu patrocinador deseja comprovar sua manutenção financeira

Seu patrocinador deve providenciar uma carta em papel timbrado oficial, contendo os dados do aplicante, número do certificado de patrocínio e confirmação da manutenção financeira por escrito. Mas, lembre-se que você deve fornecer o certificado com número de registro do patrocinador mesmo se o seu patrocinador não for financiar a sua estadia, esse documento é fundamental para o sucesso de sua aplicação e só pode ser obtido se o seu patrocinador tiver registro junto ao ministério de Fronteiras britânico.

Na LondonHelp4U temos uma equipe de consultores de imigração experientes para ajudá-lo. Garantimos 100% de sucesso em seu pedido de visto ou o seu dinheiro de volta!

Governo Britânico estabelece mudanças significativas nas regras de pedidos de residência

Giselle Ribeiro

Na segunda semana de junho de 2012, o Governo britânico anunciou mudanças significativas nas regras de imigração para cidadãos não membros da União Européia, em processo de requerimento de entrada ou permanência no Reino Unido, com base em sua relação familiar com um cidadão britânico ou uma pessoa estabelecida no Reino Unido. Em 2010, esse tipo de concessão representou cerca de 18% de todos os pedidos de visto provenientes de  cidadãos não membros da União Européia para o Reino Unido; cerca de 54.000 pessoas para cada 300.000. As novas regras de imigração também irão unificar a consideração no âmbito da legalidade do artigo 8º, da Convenção Européia dos Direitos Humanos, que basicamente afirma que todos têm direito ao respeito pela sua vida privada e familiar, definindo a base sobre a qual uma pessoa pode entrar ou permanecer no Reino Unido, tendo como meios sua família ou vida privada.

As novas regras já foram consideradas e discutidas pelo Parlamento, e já tem data para serem implementadas. A maioria dessas alterações serão aplicadas a candidatos que requererem seus vistos a partir de 09 de julho de 2012; sendo válodas, em geral, para noivo(a) de uma proposta de parceria civil, cônjuge, companheiro não casado, ou companheiro do mesmo sexo, a menos que indicado de outra forma, ou o contexto imponha interpretações diferentes. As mudanças fazem parte do programa do Governo para reformar as rotas de imigração, e tiveram ampla consulta e aconselhamento do Comitê de Consultoria em Imigração do Reino Unido.

Saiba mais sobre as mudanças:

►introdução de um novo patamar de renda mínima de £18.600 para patrocínio de cônjuge ou companheiro, noivo(a), ou parceiro civil do mesmo sexo; renda mínima de £ 22.400 para uma criança, e um extra de  £2.400 para cada criança adicional;

►publicação de lista de fatores associados aos relacionamentos genuínos e não genuínos, para ajudar os assistentes sociais na identificação dessas questões;

►alargamento do período probatório mínimo para parceiros de britânicos de dois para cinco anos, a fim de testar a autenticidade da relação;

►fica abolido a residência imediata para os cônjuges de parceiros britânicos, mesmo se o casal tiver vivido juntos por pelo menos quatro anos fora do Reino Unido, obrigando-os a concluir o período probatório de cinco anos;

►a partir de outubro/2013 será mandatório que todos os candidatos para a residência tenham passado pelo teste “Life in the UK”, e o nível de inglês será mais avançado, passando de A1 para nível B1;

►permitir que dependentes adultos e idosos tenham direito à residência, apenas se puderem demonstrar que devida à doença, idade ou deficiência, exijam cuidados de longa duração pessoal, que só pode ser fornecida pelo parente que reside no Reino Unido, sendo que o requerimento de residência deverá ser feito fora do Reino Unido, ficando proibido a troca de categoria; e

►restringir apelos da família para concessões de troca de categoria (visitante para residente), através do estreitamento das atuais definições de família e patrocinador para fins de recurso, e, em seguida, sujeito à passagem pelos Tribunais de Contas e Crime, que foi publicado em 11 de Maio de 2012, onde ficou revogado o pleno direito de recurso contra recusa de um visto de visita familiar.

Além disso, como você já deve saber, o teste Life in the UK vai ficar mais difícil. E o melhor de tudo é que você não tem que esperar até perto do final do seu visto para fazê-lo, pois o teste não perde o valor. Por isso, ofereceremos o curso de preparação para o teste, antes das mudanças, nos dias 30 de junho e 01 de Julho/2012. Na LondonHelp4U estamos comprometidos a fornecer a informação correta sobre os seus direitos; damos garantia de 100% ou seu dinheiro de volta!

Fonte: UKBA

Preencha o formulário abaixo, marque sua consulta e tire suas dúvidas.

Nome

E-mail

Telefone:

O que você precisa?

Data pretendida:

Hora pretendida:

Mensagem:

Como ouviu falar da LondonHelp4u?

Por favor, digite o que você vê na imagem:
captcha

 Li e concordo com os Termos e Condições Gerais da LondonHelp4U