Tag: Remove term: imigrantes ilegais imigrantes ilegais

bancos britânicos vão bloquear contas de imigrantes ilegais

Minuto Legal: bancos britânicos vão bloquear contas de imigrantes ilegais

Nova medida do governo britânico pretende bloquear contas dos imigrantes ilegais. Enquanto isso Theresa May propõe um período de transição de 2 anos para o Brexit. Confira essa e outras notícias no Minuto Legal da LondonHelp4U.

Bancos britânicos vão checar contas para identificar imigrantes ilegais
Bancos e sociedades financeiras devem realizar controles em contas correntes do Reino Unido a partir de janeiro para encontrar imigrantes ilegais, divulgou o “The Guardian”. A estratégia seria parte do plano de Theresa May para criar um “ambiente hostil” para os imigrantes.  O Home Office espera identificar pelo menos  6.000 pessoas com vistos vencidos, requerentes de asilo invadidos e delinquentes estrangeiros. As contas dos identificados serão fechadas ou congeladas “para tornar mais difícil para eles estabelecer ou manter uma vida no Reino Unido”. Os funcionários dizem que o congelamento de contas que detêm somas significativas “criará um poderoso incentivo para a partida voluntária” dos imigrantes. A nova legislação exige que os bancos verifiquem a identidade de cada portador de conta corrente através de um banco de dados fornecido pelo Home Office.

Theresa May propõe dois anos de período de transição para o Brexit
Em discurso em Florença, na Itália, Theresa May propôs um período de transição de 2 anos a partir de março de 2019 para o Brexit. Referente a imigração, primeira-ministra disse: “Levará tempo para implementar o novo sistema de imigração necessário para assumir o controle das fronteiras do Reino Unido. Assim, durante o período de implementação, as pessoas continuarão a poder viver e trabalhar no Reino Unido; mas haverá um sistema de registro – uma preparação essencial para o novo regime”. May também sugeriu que os mercados comuns do Reino Unido e da Europa permaneçam inalterados durante todo o período de transição.

Secretário do Exterior britânico é contra acordo com Europa
Boris Johnson poderá deixar o cargo se Theresa May sinalizar que fará um Brexit de “estilo suíço”, mesmo que ele negue publicamente que se afastará do gabinete. Boris não estaria contente caso a primeira-ministra decida optar por um Brexit “suave”, como defende o chanceler Philip Hammond.  O “The Telegraph” informou na terça-feira que o Secretário do Exterior poderia até sair do gabinete antes do fim de semana, se May indicar que pagaria para que o Reino Unido tenha acesso ao mercado único europeu.  Ele estaria preocupado caso May envie um sinal público de que gostaria de ter uma relação estreita de longo prazo com o resto da UE, nos models da Noruega ou da Suíça.

Número de visitantes no Reino Unido aumenta por conta da queda da libra
O número de visitantes estrageiros registrou recorde no último mês de julho. Os visitantes também gastaram mais do que nunca.  Os números refletem o aumento do poder de compra, já que a libra caiu em relação as outras moedas, como o dólar e o euro. Foram gastos  cerca de £ 2.7 bilhões.  A queda da libra fez com que viagens de férias e negócios para o Reino Unido se tornassem mais atraentes, com maior número de visitantes europeus e norte-americanos. Em compensação, o número de residentes do Reino Unido que viajaram para outros países caiu em 2% em relação ao ano anterior.

Partido Trabalhista sofre pressão para lutar pela livre-circulação de pessoas
As lideranças do Partido Trabalhista enfrentarão  pressões na conferência do partido para apoiar a continuação da livre circulação de pessoas entre Reino Unido e Europa no pós-Brexit. Um relatório, elaborado pelo grupo “Outra Europa é Possível”, defende um novo sistema, que protegeria os direitos dos trabalhadores.  O relatório argumenta que os temores daqueles que procuram limitar os recém-chegados da UE estão mal colocados, j[a que a migração anual líquida atual do bloco equivale a apenas 0,19% da população do Reino Unido.

Imigrantes ficam presos por mais de 2 anos em centro de Londres

Imigrantes ficam presos por mais de 2 anos em centro de Londres

Segundo a BBC News, quatro homens ficaram detidos por mais de dois anos no Brook House, um centro de remoção de imigrantes próximo ao aeroporto de Gatwick.

De acordo com o relatório encontrado, o período médio de permanência no centro aumentou de 28 para 48 dias. Vinte e três pessoas ficaram detidas por mais de um ano. No momento, o Brook House detém cerca de 400 homens, entre imigrantes ilegais, requerentes de asilo e criminosos estrangeiros.

O Home Office disse que não tem por prática deter as pessoas por mais tempo que o necessário, mas alguns casos tiveram seu processo prolongado.

Em resposta ao relatório, um porta-voz do Home Office disse: “A detenção é um instrumento importante que nos ajuda a remover aqueles que não têm o direito de estar no país e é vital que isso seja realizado com dignidade e respeito”.

Ele ainda declarou que aqueles que foram mantidos por um longo período, tentaram “frustrar o processo de remoção ao não fornecer informações precisas e oportunas sobre a sua identidade”.

Segundo o porta-voz, durante o ano de 2016, 64% dos detidos deixaram o presidio em 29 dias e 93% em menos de quatro meses.

O centro foi avaliado como “razoavelmente bom” considerando as atividades propostas e a preparação para a remoção ou liberação dos imigrantes ilegais. Porém, os inspetores assumiram que o centro se assemelha muito a uma prisão.

*Foto BBC News.

Governo britânico recolhe dados de passageiros que deixam o país

Governo britânico recolhe dados de passageiros que deixam o país

Desde abril de 2015 o governo britânico coleta informações com as companhias aeréas, ferroviárias e marítimas de todos os passageiros que deixam o Reino Unido. O objetivo é ter acesso a informações que confirmam a saída de uma pessoa do país. Até então, a verificação era feita apenas na entrada dos imigrantes no país.

Os controles funcionam em todos os aeroportos e portos do Reino Unido, além de determinadas estações de trem . As informações incluídas nos passaportes ou documentos de viagem dos passageiros que deixam o país em rotas internacionais são recolhidas. Entre as informações coletadas estão nome completo, nacionalidade, data de nascimento, gênero, número e país de emissão do documento de viagem.

Os dados são fornecidos ao Home Office, para ter a certeza de que cada pessoa que entrou no país saía na data certa, de acordo com o seu tipo de visto, evitando abusos de imigrantes. Os dados ajudam a identificar pessoas que tenham ultrapassado a data limite do seu visto e que estejam vivendo no Reino Unido ilegalmente.

Como funciona
A maioria das companhias aéreas fornece ao Home Office  informações dos passageiros (API), que são repassadas às mesmas pelos clientes ao reservar seus vôos.

Quando essas informações não são fornecidas – como em viagens de trem ou ferry – responsáveis pelas fronteiras verificam documentos de viagem, recolhem dados e  digitalizam passaportes.

Os dados então são transmitidos ao Home Office e as informações são processadas pelos  controles de imigração e segurança do Reino Unido.

Petição pede anistia para imigrantes ilegais no Reino Unido

Petição pede anistia para imigrantes ilegais no Reino Unido

Uma petição online solicita que o governo britânico conceda anistia para todos os imigrantes ilegais residentes no Reino Unido antes de 23 de junho de 2016, data da votação do Brexit.

O autor da petição, Steven Jefferson, entende que após o Brexit, possa haver um aumento do número de imigrantes que sofram preconceito e violência.

A petição já conta com mais de 10 mil assinaturas, o que já garante uma resposta do governo. Caso atinja 100 mil a petição será considerada para ser discutida no congresso. As assinaturas serão colhidas até 7 de janeiro. Confira o texto da petição:

“Depois da decisão da Grã-Bretanha de deixar a UE, muitas pessoas temem uma mudança significativa para a direita e o aumento da violência contra os estrangeiros que vivem na Grã-Bretanha. Para evitar a vitimização de imigrantes ilegais por radicais de direita, eles precisam ter a plena proteção da lei como cidadãos britânicos.

Os imigrantes ilegais já são vitimados de muitas maneiras, através do tráfico de pessoas, escravizados como operários de fábricas e explorados como profissionais do sexo. Esta situação só pode piorar se a saída da Grã-Bretanha da UE for entendida como uma vitória para xenófobos e racistas. Conceder amnistia aos imigrantes ilegais lhes proporcionaria uma saída de sua atual servidão e salvá-los da agressão de bandidos de direita”.

Para assinar a petição, basta clicar aqui.