Tag: Remove term: intercambio em Londres intercambio em Londres

Depoimento de um intercambista em Londres

Janeiro está com tudo!

Um dos nossos clientes, o Fernando Christmann, está aqui em Londres num intercâmbio de 3 meses!

Ele escolheu estudar inglês e chegou agora no fim do mês. Veja só o que ele está achando e inspire-se!

“Morar um tempo fora do Brasil sempre foi um sonho para mim, algo que eu sentia que precisava fazer. Em janeiro de 2014, quando visitei a Europa pela primeira vez – em uma trip de 20 dias por Amsterdã, Berlim, Praga e Budapeste -, gostei tanto do “Velho Mundo” que a minha vontade de fazer um intercâmbio ficou ainda maior. Além disso, por atuar como advogado junto a diversos clientes coorporativos, meu crescimento profissional passou a depender cada vez mais da fluência no inglês – o meu inglês “razoável” simplesmente não era mais suficiente.

Para unir o útil ao agradável, resolvi que em 2015 iria finalmente fazer meu intercâmbio e, depois de pesquisar sobre a maioria dos países de língua inglesa, escolhi Londres! Sob praticamente todos os aspectos, a capital britânica me pareceu mais vantajosa, mas tive certeza de que Londres seria o lugar ideal depois de ouvir os relatos da minha namorada, que já havia morado aqui por quase um ano antes de nos conhecermos.

Com o destino decidido, procurei a LondonHelp4U no início de novembro. Alguns dias depois, já estava com tudo pronto para embarcar e muito bem orientado sobre tudo o que deveria fazer para ter a melhor experiência possível – só faltava fazer as malas e esperar (ansiosamente) pelo dia do voo.

Chegando em Londres, todas as minhas expectativas foram superadas! Já no primeiro dia, fiz meu Oyster Card em menos de um minuto e comecei a conhecer a cidade. No dia seguinte, comprei um chip pré-pago de uma operadora de celular local e passei a usar aplicativos de localização e guias da cidade, o que tornou o meu dia a dia em Londres muito mais fácil. Antes do final da primeira semana eu já estava me sentindo totalmente adaptado a Londres.

Desde então, meu inglês vem melhorando a cada dia, e também venho aprendendo muito sobre outras culturas. O convívio com pessoas de outras nacionalidades em casa, na escola, nos pubs e em diversos outros lugares, além de ser um constante exercício de inglês, faz com que todos os dias eu aprenda coisas novas sobre os mais diversos assuntos.

Na minha opinião, o melhor da cidade é a infinita programação cultural e a sua diversidade! É consenso entre todos com quem eu converso, não importa a nacionalidade, que em Londres se pode (e se deve!) fazer algo diferente todos os dias. Para quem tem data para voltar, a regra é aproveitar ao máximo tudo o que a cidade oferece e só voltar para casa para dormir!”

 

Nova York: mil e uma razões para amar a Big Apple

Você deve conhecer Nova York mais do que imagina. Cenário de milhares de filmes, ela está no imaginário de todos nós desde que começamos a adorar os filmes hollywoodianos.

Frank Sinatra já dizia que é uma cidade que nunca dorme e as meninas de Sex and the City, Carrie, Miranda, Samantha e Charlotte, podem ainda confirmar.

A Big Apple

Nova York é agitada, corrida e cosmopolita como poucas. Um dos melhores lugares para aprender inglês. Antes da aula, você pode correr no Central Park, tomar um brunch bem caprichado e depois de turbinar o inglês, visitar a Estátua da Liberdade, ir no topo do Empire State, andar pela Times Square, fazer umas comprinhas na Quinta Avenida, dar uma passada no Met (Metropolitan Museum of Art)… não vão faltar coisas legais para você fazer.

E você pode percorrer o trajeto de suas personagens favoritas em filmes. Se formos listar os filmes que rodaram aqui, a lista não acaba!

Um dos pontos mais recomendados para ir é o Magnolia Bakery, que tem o cupcake mais famoso da cidade graças à Carrie Bradshaw.

Uma ótima pedida depois é visitar as maravilhas do MOMA (Museum of Modern Art) e o Museum of Natural History. À noite, lindo é ver a Brooklyn Bridge iluminada.

Intercâmbio

A LH4U te leva pra NY! Nosso destaque do mês é o curso de 4 semanas de inglês na cidade de 20 horas por semana numa das escolas mais renomadas dos Estados Unidos, com estrutura completa para os intercambistas. Vai ser uma daquelas experiências pra lembrar pra sempre, sabe?

O investimento? São 10 x de R$ 340*! A acomodação não está incluída no pacote, mas podemos fazer um orçamento completo para você.

Escreva-nos no brasil@londonhelp4u.co.uk e venha falar conosco sobre este intercâmbio em Nova York!

* Valores expressos em reais com o câmbio de 27/01/2015, considerando € 1,00 = R$ 3,05 e U$1,00 = 2,71. Haverá conversão no ato da compra.

Irlanda aperta as regras para trabalho durante intercâmbio

Má notícia para quem vai bancar os estudos na Irlanda com trabalho no país. É que o governo irlandês apertou as regras para quem se divide entre as aulas e o trabalho durante intercâmbio.

Pelas novas diretrizes, o estudante só poderá trabalhar 40 horas semanais nos meses de férias irlandesas (maio, junho, julho, agosto) e durante o recesso de fim de ano, que vai de 15 de dezembro a 15 de janeiro. Antes, também era possível trabalhar 20 horas semanais durante o período de aulas para quem tinha visto de estudante válido por um ano.

De acordo com Ana Luisa D’Arcadia de Siqueira, diretora de marketing da Global Study, mais mudanças podem surgir já que é grande o número de estrangeiros que se matriculam em cursos penas para conseguir o visto e não frequentam as aulas.

Novas restrições aos estudantes internacionais na Irlanda

O sistema educacional voltado aos estudantes internacionais na Irlanda, assim como no Reino Unido, está passando por novas reestruturações.

Segundo o Servico Irlandês de Naturalização e Imigração, o mercado de estudantes internacionais (overseas) é  de extrema importância para a economia da Irlanda, e movimenta anualmente cerca de 1 bilhão de euros. No entanto, o governo reconhece ter havido abuso do sistema de imigração principalmente por parte dos estudantes internacionais, facilitando a vinda dos imigrantes para trabalhar e morar em países mais ricos.

Uma série de medidas foram anunciadas pelo ministro da Educação e Competências, incluindo a criação de um Grupo de Alto Nível especializado em Educação Internacional para viabilizar uma nova abordagem nacional para  a promoção da Irlanda como um centro de educação para estudantes internacionais nos setores público e privado.

A partir de janeiro deste ano, os estudantes internacionais foram divididos em duas categorias: 1) Programas de Graduação para os estudantes matriculados em Ensino Superior em escolas credenciadas no Quadro Nacional de Qualificações (NFQ) nível 7 ou acima. 2) Programa de curso de Línguas e de Não Graduação formado por estudantes com cursos de Inglês ou cursos acadêmicos de nível abaixo do 7 (NFQ), sendo o nível 5  (NFQ) o mínimo permitido.

Há também restrições quanto ao tempo de permanência na Irlanda. O estudante de Línguas ou de curso de não graduação poderá permanecer no máximo três anos consecutivos no País. Sendo as únicas excecões quando o estudante for aceito em um programa de educação superior credenciado nacionalmente no NFQ nível 7 ou acima. Exceções também poderão ocorrer se forem provadas circunstâncias especiais como motivo de doença, por exemplo. Não será permitido ao aluno direcionar-se na direção inversa: a partir do Programa de Graduação para um curso de Línguas.

No geral, os estudantes internacionais não pertencentes a União Européia poderão permanecer no País no máximo 7 anos, exceto para o curso de doutorado ou programa de estudo de longa duração, como medicina, por exemplo. Exceções poderão ser feitas caso sejam comprovadas circunstâncias especiais como doença, por exemplo.

Alunos matriculados em cursos de graduação do programa serão obrigados a comprovar  que estão progredindo academicamente, como demostração de exames aprovados, a fim de manter a sua permissão no País.

Estudantes que se inscreverem em um curso NFQ nível 7 ou acima deverão ter um nível adequado de Inglês para seguirem o programa antes de mesmo deixarem o próprio País. Se precisarem aprimorar o Inglês para um curso de gradução escolhido na Irlanda, deverão especificar claramente com antecedência em qualquer pedido de visto.

Reconhece-se que sob o novo regime um número substancial de alunos já terão ultrapassado a duração permitida para a sua estadia no País. Quanto a isso, não seria razoável supor que os alunos nesta situação sejam predominantemente trabalhadores. Por isso, para eles será concecido um período apropriado para pertencerem formalmente ao mercado de trabalho.

Qualquer aluno cuja permissão atual tenha expirado antes de 01 de janeiro de 2011, terá que obedecer às novas regras do sistema existente e estará livre para se matricular em qualquer curso adicional e completá-lo (sujeito à concordância a todas as condições impostas no âmbito do novo regime em 1 de janeiro de 2011 no que diz respeito a progressão e a participação em cursos).

Para mais informações, entre em contato com a LondonHelp4U e faça sua inscrição. Nós estamos preparados para oferecer-lhe o melhor suporte e toda segurança na solicitação de visto.