Tag: Remove term: london london

Boris Johnson diz que poucos imigrantes podem estagnar a economia do Reino Unido

Boris Johnson advertiu que a Grã-Bretanha deve considerar o impacto negativo do baixo índice de imigração, já que o governo vem sob pressão para reduzir o número de migrantes que vêm para o Reino Unido.

O prefeito de Londres fez as declarações em uma viagem de comércio ao Japão dias após uma de suas principais possíveis rivais do partido conservador, Theresa May, fazer um discurso dizendo que o alto índice de imigração trouxe quase nenhum benefício econômico.

Falando da economia japonesa, ele disse: “Eles têm passado por um longo período de estagnação, mas eles estão esperando superar isso. Eles tiveram problemas demográficos. Uma das perguntas que as pessoas na Grã-Bretanha podem pensar é, obviamente, que eles têm muito, muito baixo índice de imigração e um crescimento da população muito baixo, que é um fator negativo, eles têm uma população encolhendo.”

“Isso tem, naturalmente, contribuído para o longo período de estagnação econômica que eles estão passando, mas que tem de ser visto no contexto. Esta ainda é uma dinâmica, incrível, vibrante, fantasticamente rica economia, a terceira maior do mundo e temos de estar aqui.”

O discurso de Theresa May na Conferência do Partido Conservador teve algumas das mais fortes retóricas contra imigração em comparação com qualquer político sênior nos últimos anos. Em contraste, Johnson frequentemente destacou os benefícios da imigração num momento em que outros políticos conservadores estão nervosos em fazê-lo.

Fonte: The Guardian

Os melhores food markets de Londres

Nada mais de supermercado! Que tal experimentar os melhores food markets de Londres? Eles vendem comida de todas as partes do mundo. Vale a pena visitar esses:

Berwick Street Market

No coração do Soho,rece um mixo de roupas e barracas de comida. Há também uma abundância de frutas frescas e vegetais.

Estação mais próxima: Oxford Circus, Tottenham Court Road e Piccadilly Circus.

Borough Market

Se você ainda não esteve no mercado de rua mais famoso de Londres, tenha certeza de ir com o estômago vazio. Sábado é o dia que fica mais cheio, mas também fica aberto na quarta-feira até sexta e apenas para almoço às segundas e terças. Queijos, frutas e vegerais, carnes, peixe, condimentos e pão estão todos à disposição.

Estação mais próxima: London Bridge.

Broadway Market

Acontece entre London Fields e o Regent´s Canal em Haggerston, em Hackney. Aberto todos os sábados, as barraquinhas vendem tudo desde bagels com carne até wrap de falafel e tortellini artesanal. Para tortas tradicionais, F Cooke´s é famosa em Londres e uma “instituição” no assunto.

Estação mais próxima: London Fields e Cambridge Heath Overground.

Dalston Yard Street Feast

Aberto toda sexta-feira e sábado entre 5pm e meia-noite até 26 de setembro, é um dos melhores food markets noturnos. São cerca de 20 barracas que vendem comidas deliciosas, como cookies, burgers e carnes de costela para lamber os dedos. Tudo muito gostoso e um clima jovial e underground.

Estação mais próxima: Dalston Junction.

Brockley Market

Oferece um ótimo mix de comida de rua e produtos locais e, inclusive, cestas de picnic para take away. Está aberto todo sábado das 10am até 2pm no Lewisham College Cark Park.

Estação mais próxima: Brockley Overground.

Whitecross Street Market

É um mercado vibrante em Clerkenwell aberto para almoço nos dias da semana, mas fica mais cheio às quintas e sextas. Espere encontrar comida de todo o globo e caminhões oferecendo culinária da América Latina, Europa e Ásia.

Estação mais próxima: Old Street, Barbican e Moorgate.

Fonte: Metro London

Nós merecemos as coisas de graça, poxa!

Por Stuart Heritage, para o Time Out London

Se você tivesse de escolher uma palavra para descrever Londres iria ser ‘cara’, não é? Isto é principalmente porque ‘Oh Deus, é tão caro! Por que o meu quarto custa £ 1.500 por mês? É apenas um colchão em um armário.’

Londrinos merecem mais. Nossa cidade é enorme e suja, todo mundo nos odeia e todos nós temos de fazer fila para o nosso jantar como se fôssemos da era Yeltsin russos ou algo assim. Mas você sabe a pior parte de viver em Londres? Pagamos por coisas. Nós merecemos as coisas de graça, poxa!

Onde começar? Transporte público gratuito, obviamente. Nós nem sequer seríamos o primeiro lugar a fazer isso. Tallinn, a capital da Estônia, ofereceu transporte público gratuito para os residentes em 2013, ajudando a reduzir as emissões de carbono e fizeram crescer o mercado de trabalho. Nós poderíamos compensar o custo aumentando as tarifas para os turistas. Quero dizer, obviamente, os metrôs e ônibus seriam abarrotados, e nós iríamos todos morrer com 35 anos a partir de uma combinação de estresse, superaquecimento e corações atrofiados de nunca mais andar em qualquer lugar, mas pelo menos teríamos dinheiro suficiente para umas compras no Lidl.

E vamos tomar o exemplo de Jerusalém com a introdução livre em toda a cidade de wi-fi (a capital de Israel tem desde 2004). Basta pensar em todas as coisas que poderíamos alcançar no tempo gasto pedindo ao barman suas senhas, ou tentando se qualificar como hotel_guest ou hotel_conf, ou gritando obscenidades implacáveis ​​em BTWifi-com-FON. Poderíamos escrever livros. Nós poderíamos prestar mais atenção aos nossos filhos. Nós poderíamos curar o câncer, provavelmente – se não estivéssemos muito ocupados assistindo Netflix no pub.

Além disso, vamos abrir as portas de algumas das mais amadas atrações de Londres. Todos os residentes devem poder ir à Torre de Londres uma vez por ano, o que equivale a duas viagens na London Eye, ou 40 viagens naquele teleférico que ninguém nunca vai. Isso ajudaria a unir as nossas Londres – Londres de Wetherspoons e lojas de frango e o 176 para Penge – com a estranha e intangível Londres que só turistas experienciam. Mais uma vez, nós poderíamos pagar por isso cobrando o adicional aos “fora da cidade”.

Na verdade, vamos ainda mais longe. Em nossos aniversários, todos nós devemos obter um souvenir gratuito da Cool Britannia em Piccadilly. E vamos ocupar a M&Ms World também. Porque nós somos os 99% de londrinos que nunca estiveram na loja porque é apenas M&Ms e você pode comprá-los no Tesco Express.

Londres é agora a terra das coisas gratuitas. Mas por que parar aí? Por que não vamos espalhar esta gloriosa utopia? Apenas três noites aprendendo como transformar uma caixa de madeira em um banquinho estofado com a bandeira da Union Jack pintada nele, que nos daria todos os meios para abrir a nossa própria lojinha de cerveja caríssima. Poderíamos abrir uma em Croydon. E Bromley. E Derby. E Minehead. Eventualmente todo o país seria exatamente como Londres. E, seja sincero, não é esse o sonho?

Um guia para você sobreviver à greve de metro em Londres

É oficial, o metro está em greve e não há nada que possamos fazer sobre isso. Para aliviar sua dor, nós vasculharam nossos arquivos para trazer a você o melhor guia para sobreviver, incluindo conselhos práticos.

Com o tube fora de funcionamento durante 24 horas, o resto dos transportes de Londres vão ficar bastante agitado. Se as coisas ficarem realmente ruins (que eles vão inevitavelmente), você sair for a da confusão usando seus próprios dois pés.

Mas antes que você coloque seus sapatos de caminhada, dê uma olhada neste mapa acessível por A & J Creatives, o que mostra quanto tempo vai demorar para andar entre cada estação (acima – para ver inteiro, clique com o botão direito do mouse e abra o link em outra janela). Eles também incluíram alguns dos marcos de Londres que você normalmente não vê se você sempre anda de metrô e fica no subsolo. Veja, não é de todo ruim, não é? (É muito ruim).

Depois que você espiou seu Twitter para ver quem mais está sentindo sua dor com a #tubestrike, aqui estão cinco aplicativos que irão ajudá-lo a se locomover em Londres hoje sem metrô.

1. Master Station

Este aplicativo vai lhe dar informações up-to-date.

2. Citymapper

A menos se você estiver vivendo em uma caverna escura nos últimos anos, você provavelmente vai estar familiarizado com o Citymapper. Ele te dá todas as opções da TFL (Transport for London), assim como ciclismo e táxi, mas também oferece uma página designada para como sobreviver à greve. Ele inclui uma ‘seção seguro na greve’, sugestões de como você pode combinar aluguel de bicicletas e opções de trem para se locomover, bem como uma seção bastante otimista, no caso de qualquer uma das linhas do metrô reabrir.

3. Waze

Se você tiver a sorte de possuir um carro, você nem precisa se preocupar com a greve do transporte público. Dê uma olhada neste aplicativo que usa dados dos usuários para encontrar a rota mais rápida para chegar ao seu destino.

4. Join.me

Se você não pode ir trabalhar apesar de seus melhores esforços, então talvez seja hora de voltar pra casa e trabalhar de casa. Para pelo menos dar a ilusão de que você está trabalhando duro, você pode mostrar o seu rosto virtualmente por meio desta app, que permite realizar reuniões virtuais e teleconferências.

5. Melhor café de Londres

É isso aí. Você já tentou o seu melhor, mas agora é hora de abandonar o navio e se refugiar em uma loja de café. Use este aplicativo útil para encontrar o local mais próximo, onde você pode começar seu reparo da cafeína.

Fonte: Time Out