Minuto Legal: plano de Theresa May inclui novo visto para europeus no Reino Unido

A formação do governo miniritário de Theresa May com o DUP e sua proposta para os europeus no Reino Unido são destaque do Minuto Legal da LondonHelp4U.

Proposta de Theresay May para europeus no Reino Unido inclui novo visto de residência
Na segunda-feira a primeira-ministra Theresa May divulgou detalhes da sua proposta para os imigrantes  no Brexit. De acordo com o documento publicado, europeus residentes no Reino Unido antes da data de corte estabelecida para o Brexit poderão  aplicar para o “settled status”, similar ao status de residência permanente no país, após 5 anos vivendo no Reino Unido. Todos que aplicarem para o “settled status” terão um cartão de identidade de residência especial para identificá-los. Todos que obtiverem o novo documento de residência, terão direito a morar, trabalhar, estudar e pedir benefícios no país. Entre as principais mudanças, está o fato de que após o Brexit, os europeus que estiverem no Reino Unido não ficarão mais protegidos pela Corte Europeia de Justiça, e sim, pelas leis britânicas. A livre-circulação de pessoas entre a Europa e o Reino Unido também vai terminar. Saiba mais aqui.

Para formar governo, Theresa May concorda em investir  £ 1 bilhão na Irlanda do Norte
Também na segunda-feira Theresa May selou o acordo com o DUP (Democratic Unionist Party) formando um governo minoritário para tentar conduzir o parlamento britânico. Como parte do acordo, May concordou em investir £ 1 bilhão na Irlanda do Norte, país do DUP. “Este acordo funcionará para entregar um governo estável no interesse nacional do Reino Unido neste momento vital”, declarou Arlene Foster, líder do DUP. Muitos eleitores lembraram a resposta de May para uma enfermeira durante a campanha, que questionou porque ela e seus  colegas do NHS não receberam aumento de salário desde 2009. “Estou sendo sincera com você e digo que vamos colocar mais dinheiro no NHS, mas não há uma árvore de dinheiro mágico”, disse May na época.

Maioria dos europeus quer que União Europeia mantenha linha dura nas negociações do Brexit
Dois terços dos europeus acreditam que a UE deve tomar uma linha dura com o Reino Unido sobre a Brexit, de acordo com uma pesquisa. Sessenta e cinco por cento dos entrevistados na Bélgica, Alemanha, Grécia, Espanha, França, Itália, Áustria, Hungria e Polônia, disseram que a UE, ao tentar manter uma boa relação com a Grã-Bretanha, não deve comprometer seus princípios fundamentais. A pesquisa  da Chatham House-Kantar mostrou que apenas 18% das pessoas nos nove países – em comparação com 49% das pessoas na Grã-Bretanha – acreditavam o contrário – que a comissão europeia deveria ter como objetivo manter o Reino Unido o mais próximo possível, à custa de seus princípios, durante as negociações.

Imigrantes presos em Centros de Detenção recebem £ 1 por hora para trabalhos
Advogados de 10 imigrantes detidos em centros do Reino Unido querem que o Home Office aumente o salário mínimo para o trabalho voluntário. Segundo o “The Guardian”, os detidos, de países como Nigéria, Jamaica e Polônia recebem £ 1 por hora para o trabalho realizado dentro dos Centros de Imigração. O Home Office diz que o trabalho é fornecido de forma voluntária para atender às necessidades “recreativas e intelectuais” e proporcionar “alívio do tédio” aos detentos.  O trabalho realizado pelos detidos inclui tarefas de cozinha, limpeza de sanitários e coleta de lixo. Eles são pagos £ 1 por hora. Os advogados dos detidos apresentaram processos legais contra o governo. O Ministério do Interior declarou que o trabalho é opcional e rejeitou os pontos levantados, mas disse que vai analisar as taxas de remuneração.

Lei de Trump que bane imigrantes muçulmanos entra em vigor no EUA
A lei que o presidente dos Estados Unidos Donald Trump criou no início do ano para barrar a entrada de imigrantes de 6 países de maioria muçulmana entrou em vigor na última quinta (29). Visitantes da Síria, Sudão, Irã, Iemen, Libia e Somália, estão proibidos de entrar no EUA. A admissão de refugiados desses países também está suspensa. Aqueles que já tinham vistos emitidos, não terão os mesmos revogados. O presidente Donald Trump declarou que proibiria a entrada de muçulmanos no país como forma de prevenção do terrorismo. A lei foi barrada pela Suprema Corte americana, mas foi aprovada essa semana.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *