Minuto Legal: troca de mensagens causa estresse entre Theresa May e Donald Trump

Novos dados mostram que o número de imigrantes no Reino Unido caiu após o Brexit. Confira essa e outras notícias no Minuto Legal da LondonHelp4U.

Imigração líquida cai no primeiro ano após votação do Brexit
Novos números mostram que a imigração líquida caiu quase um terço, para 230 mil no ano, até junho de 2017. É a primeira vez que um ano completo de dados está disponível desde que o Reino Unido votou para deixar a União Europeia em junho de 2016. Os dados ainda estão aquém do objetivo do governo de reduzir a imigração líquida para menos de 100 mil ao ano. A imigração líquida é a diferença entre as pessoas que chegam ao Reino Unido e o número de pessoas que deixaram o país. Neste período de 12 meses, 572 mil pessoas chegaram ao Reino Unido e 342 mil emigraram, mostrou o relatório do Office for National Statistics. “Essas mudanças sugerem que o Brexit provavelmente será um fator na decisão das pessoas de se mudar para ou do Reino Unido – mas as decisões para migrar são complexas e outros fatores também influenciam os números”, disse Nicola White, chefe do departamento de imigração do ONS.

Diminuição do número de imigrantes pode afetar economia britânica
A visão entre a maioria dos economistas que se especializam em estudos de imigração é que as pessoas que vieram da Europa têm impulsionado a economia do Reino Unido nos últimos 15 anos, fazendo com que o rendimento nacional seja maior.  Eles argumentam que o PIB per capita também aumentou graças à imigração. Isso ocorre porque os analistas acreditam que os imigrantes preencheram lacunas na força de trabalho que, de outra forma, não teriam sido preenchidas por nativos e ajudaram a aumentar a taxa de crescimento da produtividade do país. É provável que taxas mais baixas de imigração funcionem na direção oposta, o que significa uma economia menor do que de outra forma.  A visão especializada é de que os imigrantes europeus têm sido benéficos também para as finanças públicas. Menos imigrantes significarão menos demanda em serviços públicos.

Troca de mensagens entre líderes causa mal-estar entre EUA e Reino Unido
Uma série de tweets presidenciais causou um incidente diplomático sem precedentes entre a Grã-Bretanha e os EUA. Donald Trump compartilhou vídeos anti-muçulmanos da conta de uma líder de um grupo do extrema-direita do Reino Unido. O compartilhamento provocou indignação na Grã-Bretanha e na América. A primeira-ministra Theresa May reprovou a atitude do presidente norte-americano. “Eu tenho claro que o retweeting desse grupo foi a coisa errada a se fazer”. Trump revidou na rede social em resposta à líder britânica. “Não foque em mim, foque no terrorismo radical islâmico que está destruindo o Reino Unido”, respondeu Trump.  Os vídeos postados são de Jayda Fransen, a vice-líder do grupo extremista de extrema-direita Britain First.

Noiva de Harry terá que aplicar para visto para se casar com o príncipe
Essa semana foi anunciado o noivado entre o príncipe Harry e a atriz norte-americana Meghan Markle e o futuro casamento dos dois em 2018. Como Meghan é americana e não possui nenhuma outra cidadania, a atriz terá que aplicar para um visto para poder se casar com o príncipe. A atriz norte-americana terá que aplicar para um visto de noiva. Presume-se que o Kensington Palace já examinou o histórico da atriz antes do anúncio do noivado e que não haverá nada que justifique uma recusa do seu visto. Porém, ainda assim, ela terá que cumprir alguns requisitos necessários para o visto de noiva. Após o casamento, Meghan deve aplicar para o visto de esposa, que tem validade de 2 anos e meio e pode ser renovado por mais 2 anos e meio.  Após 5 anos de matrimônio, ela pode aplicar para o Visto Definitivo e em seguida, para a Cidadania Britânica.

Brexit teria causado aumento da inflação no Reino Unido
Um relatório do Centro de Desempenho Econômico (CEP) diz que as famílias estão gastando £ 404 por ano a mais em alimentos e itens domésticos devido ao aumento dos preços. O aumento seria devido ao voto a favor do Brexit.  Após o voto do referendo, o valor decrescente da libra, em comparação com a maioria das outras moedas, aumentou o custo de muitas importações.  “Mesmo antes do Brexit ocorrer, o aumento da inflação causada pelo voto já prejudicou as famílias do Reino Unido. Nossos resultados fornecem evidências convincentes de que, até agora, as famílias do Reino Unido estão pagando um preço econômico pela votação para deixar a UE”, disse Thomas Sampson, co-autor da pesquisa.

*foto Daily Mail

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *