Os cidadãos europeus que vivem no Reino Unido podem se tornar as próximas vítimas das chamadas políticas de imigração “hostis do Home Office” que atingiram a geração “Windrush” segundo políticos  e especialistas de imigração. “Há um grande número de imigrantes da UE que, daqui a alguns anos, provavelmente cairão na mesma armadilha que os imigrantes Windrush, a menos que a política de ‘ambiente hostil’ seja modificada”, disse Robert Ford, professor de ciência política da Universidade. de Manchester.

Existem aproximadamente 3,6 milhões de cidadãos da UE que vivem no Reino Unido e o Home Office enfrenta a tarefa de lhes conceder o status de residentes, o que lhes permitirá continuar a viver e a trabalhar no Reino Unido, após o Brexit. Preocupações entre os cidadãos da UE sobre o futuro tratamento foram amplificadas na semana passada, quando a imprensa inglesa reveleu uma série de relatórios que o Home Office havia ameaçado deportar vários imigrantes “Windrush”, que se mudaram para o Reino Unido legalmente do Caribe em 1948.

“A situação do Windrush mostrou que a política do Home Office pode ser bastante indiscriminada”, disse Nicolas Hatton, co-fundador do grupo de direitos dos cidadãos da UE. A secretária do Home Office, Amber Rudd, insiste que o registro de cidadãos da UE será um processo simples e direto – completo com um novo ‘app’ fácil ao usuário – que é diferente do sistema de residência permanente atual.

A preocupação, no entanto, é que alguns cidadãos da UE deixem de se registrar ou se esforcem para fornecer documentação suficiente para provar seu status de residente no Reino Unido, o que significa que seriam vítimas da política fortemente criticada pelo “Home Office.” Essa política, defendida por Theresa May em 2012, quando era a secretária da pasta, é direcionada a imigrantes ilegais e destinada a tornar a vida mais difícil para pessoas sem a documentação correta, forçando os empregadores e proprietários a verificar o status de imigração de possíveis candidatos. As informações são do Bussiness Insider.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *