Vale a pena investir na validação de seu diploma e exercer sua profissão dentro do que a lei britânica exige, pois, os profissionais brasileiros são bem vistos na Europa por sua competência e dedicação. Primeiramente, na Inglaterra, cada profissão é regulamentada por um órgão próprio, que é  responsável pela validação de seu diploma brasileiro. Como existe uma variação considerável entre os cursos de qualificação profissional no Brasil e na Inglaterra, o primeiro passo será saber exatamente qual é a equivalência do seu curso brasileiro aqui. Para isso existe o NARIC (National Recognition Information Centre), uma agência governamental que presta consultoria a estrangeiros sobre como validar suas qualificações profissionais e acadêmicas aqui.

A partir da análise de sua documentação, o NARIC pode fornecer um Statement of Comparability, atestando a equivalência de suas qualificações brasileiras, documento que não é obrigatório para revalidar seu diploma, mas que pode ser exigido por algumas instituições de ensino ou empregadores. O NARIC também pode emitir um documento mais completo chamado Career Path Report, que além da equivalência, fornece informações detalhadas sobre sua profissão e orientações para exercê-la na Inglaterra.

Caso dispense a consultoria do NARIC por já saber a equivalência de seu diploma, você pode se dirigir diretamente ao órgão responsável por sua profissão. O pessoal da área de saúde pode obter informações no site do conselho responsável pela área na Inglaterra, que é o HCPC – Health and Care Professions Council. Se você é fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional, por exemplo, este é o órgão ao qual se dirigir.

Quem não tem nacionalidade europeia e se formou em medicina fora do Reino Unido terá de fazer um exame chamado PLAB – Professional and Linguistics Assessment Boards, antes de praticar a medicina na Inglaterra. No site do GMC – General Medical Council, o Conselho Geral de Medicina britânico, você encontrará as informações necessárias para reconhecer suas qualificações e exercer sua profissão legalmente no país.

E quanto aos dentistas brasileiros que tanto sucesso fazem na Europa? O órgão responsável pela validação do diploma é o GDC – General Dental Council, que equivale ao nosso CFO – Conselho Federal de Odontologia no Brasil. No site deles você encontrará as orientações para fazer o ORE – Overseas Registration Exam, obrigatório para quem quiser cuidar dos sorrisos britânicos mas não se formou no Reino Unido. O exame consiste em um teste escrito e um teste clínico, que não precisam ser feitos juntos. São permitidas quatro tentativas em cada teste; depois de passar no exame escrito, você terá até cinco anos para fazer a parte clínica.

Fluência em inglês

Para exercer sua profissão legalmente na Inglaterra, você precisará ter pleno domínio da língua inglesa. A não ser que você tenha o passaporte europeu, terá de comprovar sua fluência através do IELTS – International English Language Testing System. O exame do IELTS é composto de quatro segmentos: listening, reading, writing e speaking. Em cada um desses segmentos do exame, você receberá uma nota de 1 a 9. A média mínima exigida para revalidar diplomas brasileiros é 7, mas você não pode tirar menos de 6,5 em nenhuma das partes do exame. O comprovante do resultado do IELTS, que tem validade de 2 anos, será um dos documentos a apresentar na solicitação de validação do seu diploma brasileiro.

Importante: todos documentos terão de ser traduzidos de português para inglês.

Fonte: ELondres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *