Segundo o secretário de Justiça, David Gauke, o Brexit apresenta uma oportunidade para os infratores que querem ganhar experiência na força de trabalho antes de serem liberados. O ministro fez a declaração durante o lançamento de HMP Isis, a nova estratégia do governo sobre a educação e emprego de prisioneiros. Gauke afirmou que educar prisioneiros e oferecer-lhes empregos reduz a chance de reincidência, que custa aos contribuintes 15 bilhões de libras por ano. Confira a informação completa no The Guardian.

Theresa May é pressionada a suavizar as regras de imigração para NHS

Theresa May está enfrentando uma revolta no parlamento britânico a favor de aumentar a capacidade do NHS de receber mais trabalhadores estrangeiros. Uma carta escrita por Heidi Allen, a parlamentar de South Cambridgeshire, que foi assinada por dezenas de parlamentares conservadores, pediu à May que relaxasse as regras de imigração para médicos e enfermeiros do NHS. O visto que se aplica a trabalhadores qualificados fora da UE, é atualmente limitado a 20.700 por ano. Se o NHS quiser contratar um trabalhador qualificado de fora do bloco europeu, é necessário fornecer provas de que a posição não poderia ser preenchida por alguém que esteja atualmente no país. Confira a informação completa no jornal The Independent.

Documentos de imigração foram perdidos pelo Home Office

O Home Office está revisando o arquivamento de documentos, após a imprensa divulgar que alguns dados pessoais de imigrantes foram perdidos. Segundo o jornal The Guardian, o problema é grave, pois, o departamento rotineiramente extraviou milhares de arquivos. Na cobertura do escândalo Windrush, o jornal conversou com pessoas cujo o status de imigração foi deixado no limbo depois que os documentos apresentados a imigração misteriosamente desapareceram. O Home Office agora está enfrentando perguntas do órgão de fiscalização de dados do Reino Unido, o Information Commissioner’s Office, à respeito dos relatórios do The Guardian. As informações são do The Guardian.

Mais de 10 mil passageiros entraram no Reino Unido nos aeroportos sem passar pela imigração

Milhares de passageiros aéreos ultrapassaram acidentalmente a fronteira sem passar pela imigração, após terem sido enviados de forma errada na chegada ao Reino Unido. As informações são do The Independent. A responsabilidade de direcionar os passageiros que chegam ao país em vôos internacionais para imigração para exames de passaporte e liberação de segurança é das transportadoras aéreas e operadoras. O mau direcionamento ocorre quando os passageiros chegam a uma parte do aeroporto além da segurança da fronteira, sem terem seus passaportes verificados ou a segurança liberada. Isso pode acontecer quando as portas incorretamente são abertas no portão de desembarque ou quando uma companhia aérea envia os passageiros para o lugar errado.

O Home Office está considerando se deve prosseguir com os planos de impor multas aos aeroportos e companhias aéreas de até 50 mil libras por não direcionar os passageiros aos controles de fronteira. A Lei de Imigração de 2016 já permite que exerça esse poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *