A Grã-Bretanha será legalmente obrigada a pagar sua fatura de 39 bilhões de libras esterlinas do Brexit antes de um acordo comercial com UE. Os deputados serão convidados a autorizar o pagamento quando votarem no acordo de retirada depois do verão britânico, mas não haverá tratado comercial até que o Reino Unido deixe a UE no próximo ano. As informações são do jornal britânico The Independent.

A confissão foi feita por alguns deputados, que disseram que David Davis, secretário do Brexit, havia prometido anteriormente impor “condicionalidades” no acordo Brexit, para proteger o contribuinte. Mas, sob questionamentos do bloco europeu, o governo britânico reconheceu que a UE só estaria assinando um “dever de boa-fé” para buscar um amplo acordo comercial.

Pat McFadden, deputado trabalhista pró-UE, disse que expôs a promessa de Theresa May de que “nada é acordado até que tudo esteja acordado”. A proposta entregue ao comitê Brexit e aos ministros também confirmaram que o chamado batente – manter o Reino Unido alinhado à UE na alfândega depois de 2020 – deve ser “limitado no tempo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *