Brexit: Reino Unido oficializa sua saída da União Europeia

A primeira-ministra Theresa May deu início ao artigo 50 do Tratado de Lisboa nessa quarta-feira (29), oficializando a saída do Reino Unido da União Europeia, após 44 anos de união com o grupo.

Tim Barrow, embaixador do Reino Unido na União Europeia, entregou pessoalmente uma carta de seis páginas de Theresa May ao presidente do Conselho da UE, Donald Tusk, em Bruxelas. Dessa maneira, o Reino Unido tem até março de 2019 para chegar aos acordos necessários com a União Europeia e deixar o grupo.

Após a entrega da carta, a primeira-ministra discursou na Câmara dos Comuns.  “Hoje, o governo age sobre a vontade democrática do povo britânico e atua também na clara e convincente posição desta Câmara. O processo do Artigo 50 está agora em curso e de acordo com os desejos do povo britânico o Reino Unido está deixando a União Europeia. Este é um momento histórico do qual não haverá volta.”

Ela disse que a Grã-Bretanha agora fará suas próprias decisões e suas próprias leis. “Vamos aproveitar esta oportunidade para construir uma Grã-Bretanha mais forte e mais justa, um país que nossos filhos e netos terão orgulho “.

May prometeu representar todas as pessoas do Reino Unido durante as negociações, incluindo cidadãos europeus que vivem no país, cujo status após o Brexit ainda não foi resolvido. “É a minha determinação fazer o negócio certo para cada pessoa neste país”, declarou May.

O chanceler Philip Hammond, em entrevista à rádio BBC 4, disse que o país continuará a  ser membro pleno da UE nos próximos dois anos com “as mesmas regras e obrigações”. Ele também acrescentou que não haverá nenhum corte a partir de hoje com relação  aos direitos dos cidadãos da UE que chegarem à Grã-Bretanha.

O Parlamento Europeu ameaçou vetar qualquer acordo se o Reino Unido acabasse com esses direitos a partir de hoje.

Resposta da Europa
Após ter recebido a carta, o presidente do conselho da UE, Donald Tusk, também fez um pronunciamento. “Não há razão para fingir que este é um dia feliz em Bruxelas ou em Londres.  A maioria dos europeus, incluindo quase metade de todos os eleitores britânicos, gostariam de permanecer juntos e não se afastar”, declarou Tusk.

O presidente, contudo, acredita num aspecto positivo do Brexit, dizendo que os 27 estados-membros da União Europeia estão mais unidos que nunca.  “Paradoxalmente, há algo positivo no Brexit. Brexit nos fez, a comunidade dos 27 países, mais determinada e mais unida do que antes”, disse Tusk.

Ele diz que tem como objetivo  proteger os interesses dos 27 estados-membros e evitar danos: “Não há nada para ganhar … Nosso objetivo é claro – minimizar os danos para os cidadãos da UE, empresas e Estados-Membros”.

Tuks disse que por enquanto, até que o Reino Unido deixe legalmente o grupo, a legistação da União Europeu continuará valendo e encerrou dizendo: “O que posso acrescentar? Nós já sentimos sua falta”.

* foto BBC – European Photopress

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *