Reino Unido receberá até 20.000 refugiados sírios em 5 anos

A Grã-Bretanha está a responder à crise de refugiados que a Europa enfrenta recebendo 20.000 refugiados dos campos nas fronteiras da Síria ao longo dos próximos cinco anos, anunciou David Cameron.

Cameron disse à House of Commens do Reino Unido que iria “viver de acordo com a sua responsabilidade moral” para com as pessoas forçadas a deixar suas casas pelas forças do presidente sírio, Bashar al-Assad, e do grupo terrorista Estado Islâmico.

O primeiro-ministro disse que aos refugiados não seria imediatamente concedido o asilo completo, dando-lhes o direito de se estabelecer no país, mas sim um estatuto humanitário, que lhes permita pedir asilo ao final de cinco anos.

Críticos disseram que o número, quando espalhado ao longo de cinco anos, não foi tão impressionante como pareceu à primeira vista. Paddy Ashdown, o líder do Partido Liberal Democrata, o chamou de “irrisória” em um artigo para o The Guardian. Na Câmara dos Lordes, Ashdown também condenou a política de deportação de crianças refugiadas quando completam 18 anos, se não é concedido asilo.

Mas um porta-voz do governo disse: “Isso não é verdade. Como o primeiro-ministro delineou na Casa dos Parlamentares, a todos os refugiados sírios sendo acolhidos no país por meio do regime será concedido um visto de proteção de cinco anos. No final deste período, eles podem voltar para casa ou solicitar a residência definitiva. ”

Cameron disse que vai trabalhar com o comissário das Nações Unidas para Refugiados (UNHCR) para identificar aqueles que poderão vir ao Reino Unido. O financiamento integral do programa de refugiados será dada aos conselhos de administração no primeiro ano completo, com o dinheiro vindo do programa do governo de ajuda no exterior.

Ele disse que o ritmo a que os 20.000 refugiados vêm para o Reino Unido vai depender da velocidade com que o UNHCR pode identificar refugiados e quão rapidamente os conselhos locais são capazes de prosseguir com os candidatos.

A pressão de admitir mais sírios tem crescido desde a publicação de fotografias do garoto de três anos de idade Aylan Kurdi, que se afogou com sua mãe e irmão tentando atravessar da Turquia para a Grécia por barco.

David Cameron disse : “É absolutamente certo que o Reino Unido deve cumprir a sua responsabilidade moral de ajudar os refugiados, assim como temos feito com tanto orgulho em toda a nossa história. Mas ao fazer isso, devemos usar nossa cabeça e nosso coração através de uma abordagem abrangente, que aborda as causas do problema, bem como as consequências.”

Mas Cameron insistiu que a Grã-Bretanha não estaria envolvida em qualquer sistema de quotas de refugiado da União Europeia ou ajudar refugiados já na Europa. Ele disse que isso iria encorajar outros sírios a vir para a União Europeia e minaria as fronteiras do Reino Unido.

Fonte: The Guardian

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *