Reino Unido rejeita 28% dos pedidos de Residência Permanente de europeus

Uma nova análise dos dados de imigração do governo divulgada pelo jornal “The Guardian” revelou que mais de um quarto de cidadãos europeus tiveram seus pedidos de Residência Permanente negados desde que o Reino Unido votou para sair da União Europeia, em junho de 2016.

Nos últimos 6 meses de 2016, mais de 12.800 cidadãos da UE tiveram seus pedidos de residência permanente recusados, uma taxa de rejeição de cerca de 28%. Cidadãos europeus que desejam aplicar para a Residência Pemanente tem que comprovar que moraram por 5 anos continuamente no Reino Unido.

Um porta-voz do Home Office disse que as taxas de recusa incluíam pedidos que eram inválidos por causa de erros ou taxas não pagas. O responsável declarou que seria “errado tirar conclusões” sobre as razões das rejeições.

“As taxas de recusa não mudaram no último ano”, disse o porta-voz. “Os cidadãos europeus residentes no Reino Unido constituem uma contribuição vital para a nossa economia e para a nossa sociedade. É por isso que vamos garantir o seu estatuto, bem como o dos cidadãos britânicos na UE, uma prioridade logo que desencadear o artigo 50 e as negociações começarem”.

Artigo 50
De acordo com o “The Guardian”, o dia em que Theresa May der entrada no Artigo 50 durante o mês de março é a data mais provável para que os cidadãos europeus percam o direito automático de permanecer no Reino Unido. A primeira-ministra declarou que está diposta a garantir o direito daqueles que já vivem no país antes disso. O governo espera que cidadãos britânicos na Europa também tenham direitos recíprocos.

Fontes do governo disseram que nada tinha sido oficializado no que diz respeito aos direitos dos cidadãos da União Europeia pós-Brexit, mas não negou a possibilidade de início do do artigo 50.

Amber Rudd, secretária do interior, reiterou a promessa de que o governo “vai acabar com a liberdade de movimento como a conhcecemos” entre os cidadãos que vem da Europa para o Reino Unido.   Em entrevista ao canal ITV1, Rudd declarou que várias opções estão sendo consideradas, como um sistesma de permissão de trabalho onde o governo controlaria quantos cidadãos europeus poderiam entrar no Reino Unido a cada ano.

Segundo o jornal “Sunday Times”, alguns ministros disseram considerar um visto de trabalho de cinco anos para europeus, cujos titulares seriam proibidos de reivindicar benefícios do governo.

O que fazer
Se você possui cidadania europeia ou vive como dependente de um europeu, confira o que você pode fazer para se prevenir de futuros problemas com a imigração:

– Certificado de Residência: Portadores de passaporte europeu podem tirar esse certificado assim que mudarem para o Reino Unido.

– Residência Permante: Cidadãos com passaporte europeu ou que viveram no Reino Unido por 5 anos como membro da família de um cidadão da Área Econômica Europeia (EEA) podem solicitar um cartão de residência permanente.

– Cidadania Britânica: todos aqueles que tiverem a Residência Permanente, após 1 ano com o documento, podem solicitar a naturalização britânica

Se você  ficou com dúvidas quanto aos seus direitos ou da sua família, entre em contato com a LondonHelp4U. Nossos profissionais terão prazer em ajudá-lo.

One thought on “Reino Unido rejeita 28% dos pedidos de Residência Permanente de europeus

  1. Rogerio Reply

    Boa tarde, sou cidadão italiano, tenho 1 filho de 12 anos, tb cidadão italiano e tenho união civil com um brasileiro.
    Fiz atualmente o pedido de visto para o meu parceiro no escritorio em Roma, mas foi negado pois não sabia que precisava enviar os documentos traduzidos para o ingles.
    Agora tenho 28 dias para apelar a decisão, só que não consegui entender o processo de apelacao.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *